Carteira HC Investimentos – Maio/2010 [+0,72%]

Este post é mais uma atualização da série publicada sobre minha carteira pessoal de investimentos, a Carteira HC Investimentos. Clique no link para ter acesso a leitura de todos os meses de publicação.

O mês de maio trouxe de volta a elevada volatilidade para o mercado financeiro. O índice bovespa chegou a cair praticamente -15% durante o mês, fechando com um rendimento negativo de -6,64%.

Enquanto a preocupação e o desespero tomavam conta da mente de vários “investidores”, a carteira HC Investimentos pode desfrutar de enorme tranquilidade, apresentando um excelente rendimento de +0,72% no mês de maio.

  • Mágica, Segredo, Astrologia?

Com a bolsa caindo -6,64% quem obtém um resultado positivo é muito bem visto pelo mercado, criando até mesmo uma atmosfera mística perante a pessoa. Entretanto, não há nenhum segredo por trás das operações. Existe apenas uma excelente escolha dos investimentos, a alocação de ativos.

Alocação de ativos. A maneira com a qual você distribui seus investimentos em sua carteira é quem definirá o sucesso ou fracasso de suas aplicações. Portanto, tenha em mente uma estratégia bem definida do quanto se posicionar em cada ativo e classe de ativos.

A seguir, um gráfico mostrando como estava a alocação da carteira HC Investimentos no início de Maio/2010.Este gráfico nos traz informações valiosas, sendo o componente principal para compreender o motivo do bom rendimento da carteira HC Investimentos no mês. Vamos analisá-lo:

1. 51,91% em Renda-Fixa: A alocação da carteira está bem concentrada em Renda-Fixa, sinalizando que neste momento é preferível manter uma boa parcela em aplicações seguras do que em investimentos mais arriscados.

2. Concentração em títulos pré-fixados: Dentro da alocação em Renda-Fixa (colunas em vermelho) temos títulos do tesouro direto (LFT, LTN, NTN-BP 15) e Debêntures (BNDP14). Sendo a LFT (com vencimento em 2012) nosso único título pós-fixado e possuindo uma alocação de 13,89%, podemos concluir que nossa posição é mais concentrada em títulos pré-fixados (LTN, BNDP14) e indexados a inflação (NTN-BP15).

3. FII: Nossa alocação nos Fundos de Investimentos Imobiliários é de 13,55%. Interessante notar que ela é bem próxima a alocação em bolsa (17,41%). Portanto, é mais um item que comprova a cautela em relação a situação do mercado no início de maio/2010.

4. Alto Hedge Ratio (88,16%): Nossa posição em câmbio (Fundo Cambial Dólar + Ouro) é de 15,35% enquanto a alocação em bolsa é de 17,41%. Como estas classes de investimentos costumam ter uma correlação negativa, podemos concluir que a alocação em câmbio serve como uma proteção (hedge) para o portfólio. O Hedge Ratio pode ser calculado através da divisão da alocação em câmbio pela alocação em bolsa. Logo, 15,35% / 17,41% = 88,16%, um valor que considero alto para minha carteira.

Esses itens em conjunto nos sinalizam um importante conceito: Esta alocação cautelosa significa que abrimos mão de parte de um possível retorno no mês para estarmos mais protegidos em uma possível queda do mercado, ou seja, preferimos neste momento um baixo retorno aliado a um baixo risco do que um alto retorno associado a um alto risco.

  • Rentabilidade de cada ativo da carteira no mês:

Vimos que a postura adotada para enfrentar o mês de maio/2010 foi bastante cautelosa. Agora vamos observar como cada ativo da carteira HC Investimentos desempenhou neste mês.Mais um gráfico, novos conceitos a serem observados.

1. Títulos Pré-Fixados: A decisão em manter uma concentração maior nos títulos pré-fixados se mostrou correta já que as LTNs e a debênture tiveram desempenho superior a LFT, nosso título pós-fixado.

2. Hedge Ratio: Conseguimos neutralizar a variação negativa da bolsa (-7,79%) em apenas 57,08% com a alocação em câmbio. O hedge ratio observado (57,08%) pode ser calculado através da divisão entre a rentabilidade (inversa) do câmbio e das ações. Logo:

-(4,45% / -7,79% ) = 57,08%. Dado que a correlação entre os ativos cambiais e a bolsa não é perfeitamente negativa este resultado foi satisfatório, ajudando a aumentar a proteção da carteira HC Investimentos.

3. A alocação de ativos: Olhem novamente para o gráfico. Percebem como existem ativos que performaram bem (dólar, ouro) e ativos que tiveram um péssimo desempenho (FPAB11 e PIBB11)? A lição é: Diferencie-se dos outros “pseudo-investidores” no mercado. Diversifique sua carteira. Não é possível acertar quais ativos vão subir ou cair.

O melhor que podemos fazer é adotar uma carteira diversificada, alocando em diferentes ativos possíveis. O único e pequeno viés que podemos tomar é o de aumentar a alocação de um determinado ativo ou classe, baseando-se em uma análise prévia que confirme tal postura, porém, sem comprometer a diversificação geral da carteira.

  • Operações realizadas durante o mês:

Em um mês turbulento como maio/2010 não podemos ficar apenas observando o mercado se movimentar sem tomar nenhuma postura para equilibrar nossa carteira.

E foi exatamente o que fizemos. Ao observar uma queda de quase -15% no ibovespa remanejamos nossas posições de modo a favorecer a alocação em bolsa, em detrimento de investimentos mais seguros. Abaixo um resumo das operações realizadas:

1. Venda de Câmbio – Visando trazer a alocação em Câmbio para um patamar que julgamos mais adequado vendemos parte de nossa alocação em Dólar para alocar na bolsa, através do ETF PIBB11.

Esta operação nos trouxe um lucro bruto de +9,41%, já que haviamos comprado dólar a R$ 1,70 e vendemos a R$ 1,86.

2. Venda de LFT 2012 – Além da venda em câmbio, também vendemos uma boa parcela de nossos títulos pós-fixados para aumentar nossa alocação em bolsa. Deste modo também estamos aumentando (ainda mais) nossa concentração em títulos pré-fixados, desfazendo-se de parte dos títulos pós.

3. Compra de Bolsa (PIBB11) – Aproveitamos a grande queda na bolsa para comprar mais quotas do ETF PIBB11.

Tivemos a oportunidade de comprar PIBB11 por um preço médio em torno de R$ 82,00. No final do mês de maio o preço das cotas já estavam sendo negociadas a R$ 87,60. Uma valorização bruta de +6,83%.

4. Operação especulativa com opções – Embora me considere um investidor conservador/moderado, este mês trouxe a oportunidade rara de fazer uma operação muito  especulativa que só costumo fazer em mercados bastante deprimidos.

Sabendo do altíssimo risco de uma operação de compra a seco de opções, limitei a minha alocação nesta compra de opções em 1,5%. A compra foi realizada em opções da Petrobrás, PETRF30, a um preço médio de compra de R$ 0,51. O ativo (PETR4) estava bastante depreciado, assim como o mercado, porém em uma maior intensidade.

Esta operação foi finalizada próxima ao final do mês ao preço médio de venda de R$ 0,59, garantindo um lucro bruto de +15,69%.

Atenção: Antes de operar com opções entenda bem o que está fazendo. Você tanto pode ganhar 100% como pode perder TUDO nesta operação. Limite seu risco e, se operar, opere sempre pequeno.

  • Alocação da carteira HC Investimentos no final de maio:

Após analisarmos algumas operações e realocações da carteira HC Investimentos podemos concluir esta análise mensal com um visão sobre possíveis cenários e estratégias através da alocação da carteira no final de maio.Conclusão final:

1. Aumento da alocação em Cash: O motivo deste aumento não está condicionado ao fato de que estou querendo me proteger ainda mais do que anteriormente. Essa alocação se deve a novos aportes que fiz na carteira para poder ter dinheiro necessário para um possível exercício de um direito de subscrição do FFCI11.

2. Alocação neutra na Bolsa: 30% em bolsa é um patamar que considero neutro para minha carteira de investimentos. Portanto, com uma alocação de 28,52% podemos concluir que estou próximo da neutralidade. Acredito que o patamar alcançado pelo ibovespa durante a queda de quase -15% no mês reflete um preço “justo” para o índice.

  • Mágica, Segredo, Astrologia?

Repetindo a pergunta no início da análise. Agora você pode perceber que o fator mais importante para seus investimentos é a maneira que você determina o quanto irá investir em cada classe e ativo.

Portanto, esqueça métodos que pretendem te deixar rico da noite para o dia ou aquela dica infalível do seu amigo. Coloque seu foco na alocação de ativos. Estude bastante e esteja sempre se aprimorando no mercado financeiro.

Afinal, da próxima vez que você ver alguém preocupado e estressado com o mau desempenho no mercado, apresente o conceito da alocação de ativos, mostre o poder que ela tem e mostre as análises feitas aqui mesmo no HC Investimentos.

O resultado positivo de +0,72% (líquidos) deste mês foi excelente para a composição e preservação da carteira HC Investimentos. Continue nos acompanhando para receber novas atualizações sobre como está a alocação da minha carteira, quais operações estou fazendo e como estou me preparando para um cenário futuro.

Uma nova análise mensal será feita no final deste mês, avaliando o desempenho do mercado em junho, assim como o desempenho da carteira HC Investimentos. Também farei comentários sobre a alocação da carteira e sobre os cenários e estratégias que podem ser adotados no mês seguinte.

Gostou do artigo? Compartilhe!

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • Investimentos e Finanças

    E ai Henrique,

    Vc mudou totalmente a alocação no fim do mes em relação ao inicio do mes. Ta fazendo uma alocação tática?? Não vejo muita vantagem nisto. Se o mercado for contra sua previsão vc fica meio sem saída. Por exemplo se o mercado subisse forte o que faria?? Venderia uma parte de sua já pequena posição na bolsa e compraria mais renda fixa que vc já tinha bastante?? Prefiro manter uma alocação fixa. Além disto a compra de opções a seco é altamente especulativa. Que bom que deu certo!! Mas o risco é bem alto.

  • Henrique, parabéns pela composição da carteira!

    Um dado muito interessante dela é a concentração do Tesouro Direto em papéis de prazo não muito longo. Isso tende a evitar oscilações negativas de um mês para o outro, sem perda dos ganhos proporcionados pela menor alíquota do IR, de 15%.

    Outro dado digno de nota é o desempenho positivo num mês de alta volatilidade para a Bolsa. Isso mostra a importância da diversificação com ativos que se correlacionem negativamente com a Bolsa, ao lado de uma boa parcela em renda fixa, para amortecer as quedas.

    Finalmente, os ativos que compõem a carteira são muito didáticos, afinal, eles podem ser também utilizados por qualquer investidor.

    Parabéns e continue o bom trabalho que vem desempenhando! Aliás, gostei do banner, muito inspirador!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    • Henrique Carvalho

      Obrigado Guilherme!

      A imagem da praia foi escolhida exatamente para mostrar que a maior razão por trás do investimento é buscar ter uma maior liberdade e tranquilidade na vida. Procurar ter retornos passivos ao invés da preocupação e stress do dia-a-dia em busca de um salário melhor.

      Procurei deixar o artigo bem claro e didático, tentando, ao mesmo tempo, inserir alguns conceitos mais teóricos para fixar conceitos do mercado.

      A alocação de ativos é fundamental para ter um ótimo desempenho em qualquer cenário no mercado. Basta definir bem a proporção de seus investimentos.

      Grande Abraço!

  • Henrique Carvalho

    Olá Investimentos e Finanças!

    Sim, utilizo a alocação tática. Seria o nome mais formal para o pequeno viés em que podemos incorrer em nossa análise.

    Tenho maior preferência pela alocação tática do que pela alocação fixa, já que procuro me posicionar de formas diferentes em relação a diversos cenários. É aquela coisa: Se você vê uma tempestade se aproximando você irá sair de casa sem o seu guarda-chuva?

    É um viés que prefiro correr. A mudança na alocação não é tão comum como foi neste mês de maio, em que analiso como sendo um mês de maior inflexão dos mercados.

    Caso o mercado continuasse subindo forte a alocação em bolsa provavelmente continuaria subindo. Ela continuaria baixa, porém, ao invés de vender eu apenas manteria a alocação. Venderia apenas se a alocação em bolsa me deixasse desconfortável em relação as outras classes de ativos.

    Sobre a operação com opções eu queria deixar novamente bem claro para todos o altíssimo risco envolvido. É uma operação que raramente faço. Apenas quando noto uma enorme e rápida sub-valorização da bolsa. E limito o tamanho da posição para conter o alto risco envolvido.

    Grande Abraço!

  • rodpba

    Caríssimo Henrique,

    Parabéns pela nova “fórmula” de posts. Ficou excelente!

    Tenho três dúvidas:

    – Como investe em câmbio?
    – Como investe em ouro?
    – Os custos de transação não comem a rentabilidade da alocação “tática”?

    Grande abraço
    rodpba

    • Henrique Carvalho

      Olá rodpba!

      Respondendo:

      1. Fundos Cambiais
      2. BMF (OZ1D / OZ2D), Ourominas
      3. A rentabilidade de +0,72% é líquida. Se você fizer muitas operações comerá boa parte sim. Tomo muito cuidado com custos. O fato é que considerei o mês de maio como sendo uma ótima oportunidade para mudar minha alocação.

      Grande Abraço!

  • André Tavares

    Henrique,

    parabéns pelo formato ficou muito bacana.

    Assim como perguntei para o Investimentos e Finanças, também gostaria de saber como operar cambio e ouro?

    Não existe uma maneira mais virtual para se fazer, ao invés de ter que comprar as barras de ouro ou notas de dolar? Seria interessante poder comprar e vender como se fosse uma ação ou cota de um fundo e com liquidez diária para poder atualizar a alocação sempre que necessário.

    André Tavares

    • Henrique Carvalho

      Olá André!

      Muito obrigado pelo apoio!

      Dólar/Euro: Procure pelos Fundos Cambiais oferecidos pelos bancos.

      Ouro: Você também pode negociá-lo na BM&F, através do código OZ1D (250g) e OZ2d (10g). A liquidez é baixa (em torno de 5 negócios…) e o custo não é tão barato.

      Abraço!

      • André Tavares

        Henrique,

        Esta é a primeira vez que vejo falar de OZ1D e OZ2D. Você pode me passar mais algumas informações? Pesquisei um pouco, mas parece que não tem muita informação disponível.

        Você disse que o OZ1D (250g) e OZ2d (10g). Mas me parece que o preço dos dois está muito próximo, por volta de R$68,00. Então qual é a diferença entre eles?

        Qual é a tributação sobre a compra e venda de ouro? E quais são as taxas?

        Obrigado,
        André Tavares
        Me parece que o preço de OZ1D e OZ2D esta muito próximo. Qual a diferença deles?

  • Major

    Olá HC,

    Muito didático mesmo o post. Obrigado!

    Como vc tem encarado a questão tributária do PIBB ? Pretende mais pra frente montar uma carteira com ações replicando o índice para se beneficiar de isenção fiscal dos R$ 20 mil ?

    Abraço

    • Henrique Carvalho

      Olá Major!

      Ainda prefiro a simplicidade e tranquilidade do PIBB11, mesmo com IR.

      É possível que eu faça uma reavaliação até o final do ano.

      E você, como tem encarado essa situação?

      Grande Abraço!

      • Major

        Eu também continuo no PIBB. Mas estou criando coragem para tentar replicar o índice com ações.

        Li em algum lugar (talvez aqui ou no blog do Investimentos e Finanças) que replicar o fundo só valeria a pena a partir de 70k, então preciso juntar um pouco mais….

  • Meu caro Henrique,

    Como você já deve esperar, não gostei nada dessa sua alocação. Muita commodity, muita realocação (tática, ainda por cima! Nada mais é do que uma gestão ativa com eufemismo), pouquíssima renda variável pra alguém de sua idade. Acima de tudo, uma perigosa inferência de que se pode advinhar os caminhos do mercado. Esse é o início de um caminho tortuoso que você sabe onde acaba, mas cada um sabe o que é o melhor para si e pode ter certeza que desejo o melhor para o seu portfolio.

    Cuidado ao ler tanta coisa sobre AA/diversificação e se esquecer da expectativa de retorno do ativo, coisa que gente muito boa pouco leva em consideração (Zvi Bodie, etc.)

    • Henrique Carvalho

      Olá Viver de Renda!

      Já imaginava uma resposta parecida com a sua. Alguns pontos:

      1. Commodity – A alocação em Ouro é de apenas 5,83%. Não estou interessado na expectativa do retorno deste ativo e, assim como no Dólar, ele serve mais para proteção, através de um pequeno hedge da carteira. Curiosamente o Ouro é o ativo com maior rentabilidade em 2010.

      2. Muita realocação tática – É minha filosofia dentro da alocação de ativos. Atuando mais como um fundo multimercado ativo. No próximo mês farei uma comparação dos meus rendimentos com os melhores fundos do mercado. Não tento adivinhar qual será o caminho do mercado. Apenas coloco um viés maior do que a realocação padrão.

      Grande Abraço!

  • André Tavares

    Ola Henrique,

    recebi um email com uma resposta sua para minha pergunta acima. O email continha apenas parte da resposta e um link para esta página. Mas aqui não vejo a resposta. Aconteceu algum erro?

    Abraços,
    André Tavares

    • Henrique Carvalho

      Olá André!

      Tentei lhe responder pelo computador da faculdade. Entretanto, deu um problema no meio da reposta…

      O preço entre OZ1D e OZ2D será sempre parecido pois os dois são contratos de Ouro disponível. A diferença entre eles é justamente o lote negociado. No OZ1D você compra 250g e no OZ2D 10g.

      A tributação na venda de Ouro é de 15%.

      Grande Abraço!

      • André Tavares

        Obrigado.

        Vou estudar melhor esta opção de investimento para proteger minha carteira.

        Abraços,
        André Tavares

  • Gustavo

    Henrique, como faço para comprar OZ1D? é possível comprar através de home-broker?

    • Henrique Carvalho

      Olá Gustavo!

      Vai depender de qual corretora você utiliza. Algumas permitem a compra de OZ1D pelo HB, porém, outras só realizam através do balcão mesmo. Aí é preciso entrar em contato através do telefone para realizar a operação.

      Grande Abraço!

      • Gustavo

        Henrique, opero pela LinkTrade. Vocë sabe quais corretoras permitem a compra direta pelo homebroker? Obrigado.

      • Gustavo

        Desculpe, esqueci de perguntar, para a custódia do ouro é cobrada alguma taxa especial, mesmo sendo escritural?

  • Henrique Carvalho

    Olá Gustavo!

    Realmente pela LinkTrade não é possível. Se não estou enganado pela Alpes (WinTrade) era possível comprar e vender pelo HB.

    Sobre os custos de custódia do Ouro escritural vou ficar lhe devendo a resposta por enquanto.

    Pretendo fazer futuramente um artigo bem completo explicando todo o processo de investimentos no Ouro, desde a compra até os custos envolvidos.

    Continue nos acompanhando!

    Grande Abraço!

  • Pingback: Carteira HC Investimentos – Atualização Mensal – Junho/2010 | HC Investimentos()

  • Pingback: Carteira HC Investimentos: Atualização Mensal | Setembro/2010 | HC Investimentos()

  • Pingback: Carteira HC Investimentos – Dez [+2,36%] | Ano [+14,42%] « HC Investimentos()

eBook-alocacao-ativos