Retorno Líquido dos Títulos do Tesouro Direto

299 Flares Facebook 150 Twitter 56 Google+ 11 299 Flares ×

tesouro direto Retorno Líquido dos Títulos do Tesouro Direto

Com o aumento do juro previsto para este ano de 2011, as taxas dos títulos públicos subiram bastante, tornando-se atrativos investimentos para os investidores.

O Tesouro Direto é um importante instrumento de investimento para buscar driblar a inflação.

Quanto maior a inflação esperada, maior tendem a ser as taxas oferecidas pelos títulos.

Portanto, se você deseja se proteger do IPCA ou IGPM, o Tesouro Direto oferece ótimas opções.

Ao longo deste artigo você terá acesso aos seguintes tópicos:

  • Todos os custos presentes no investimento em títulos públicos
  • Cálculo da Inflação Implícita para diversos anos desejados
  • Aproximação de cálculo para a Rentabilidade futura dos títulos posfixados
  • Tabela Final com o Retorno Líquido para todos os títulos ofertados no Tesouro Direto

Tesouro-Direto: Rendimento Atual (04/02/2011)

tesouro direto titulos Retorno Líquido dos Títulos do Tesouro Direto

Títulos prefixados passaram a oferecer taxas superiores a 13% ao ano.

Entretanto, ao acessarmos a página do Tesouro Direto é possível constatar apenas o retorno bruto dos títulos.

Ou seja, uma taxa de 13% ao ano oferecida pela LTN com vencimento em 2013 não inclui os diversos custos na operação com este título.

Custos para investir no Tesouro Direto

1. Taxa de Negociação

  • 0,10% sobre o valor da operação.

2. Taxa de Custódia

  • 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos.

Para saber mais, leia o artigo “Taxas cobradas no Tesouro Direto“.

3. Taxa dos agentes de custódia (corretoras)

  • É cobrada livremente e varia de 0% até 1% ao ano.

Veja a lista das melhores corretoras para investir no Tesouro Direto neste artigo do meu amigo Rafael Seabra, do site Quero Ficar Rico.

4. Imposto de Renda

O imposto cobrado é semelhante aos fundos de renda-fixa. A tabela do IR é a seguinte:

  • 22,50%, em aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20,00%, em aplicações com prazo de 181 dias até 360 dias;
  • 17,50%, em aplicações com prazo de 361 dias até 720 dias;
  • 15,00%, em aplicações com prazo acima de 720 dias.

Para maiores detalhes, veja o artigo “Tributação do Tesouro Direto“ no site Quero Ficar Rico.

Retorno Líquido dos Títulos do Tesouro Direto

tesouro direto retorno liquido Retorno Líquido dos Títulos do Tesouro Direto

Com todos os custos acima podemos trabalhar nos dados do Tesouro Direto para calcularmos o Retorno Líquido de cada título oferecido.

E se você ainda não tem ideia da influência dos custos em sua carteira de investimentos leia meu artigo:

Custos de Investimentos.

Antes de partir para os cálculos precisamos fazer algumas suposições:

1. Inflação Implícita

Títulos Públicos indexados ao IPCA possuem dois componentes em sua taxa anual:

  1. Taxa prefixada - A taxa apresentada no Tesouro Direto – Ex. NTN-B 15/05/2015: 6,47%.
  2. Variação do IPCA no período - Ano passado (2010), o IPCA registrou alta de 5,91%.

Portanto, a taxa (bruta) deste título seria de 12,76%, utilizando a fórmula: ( 1 + 0,0647) x ( 1 + 0,0591) -1 = 0,1276.

Entretanto, não sabemos qual será a inflação para cada vencimento dos títulos indexados ao IPCA.

Como então calcular a inflação implícita para 2015, 2017, 2020, etc?

Fórmula para Inflação Implícita: [ ( 1 + Taxa DI Futuro ) / ( 1 + Taxa NTN-B ) ] -1 – Spread

Exemplo: Inflação Implícita para 2015: [ ( 1 + 0,1289 ) / ( 1 + 0,0647 ) ] – 1 – 0,002 = 6,03%

É necessário retirar o spread pelo fato dos títulos prefixados apresentarem maior retorno (e maior risco) em relação aos títulos indexados ao IPCA com mesmo vértice (vencimento).

Logo, citando um exemplo, uma LTN 2015  é considerada mais arriscada do que uma NTN-B 2015, de acordo com dados históricos.

Portanto, embora não seja possível atribuir um valor exato para o desconto do spread, resolvi atribuir livremente um pequeno valor de 0,20% para o spread.

2. Taxa dos Títulos Posfixados

Os títulos posfixados tem como rentabilidade a Taxa Selic Média do período.

Portanto, como calcular a taxa destes títulos se não sabemos qual será a taxa Selic daqui a 1, 2 ou 5 anos?

Com o intuito de facilitar os cálculos utilizados, optei por realizar apenas um média entre a Meta Selic atual (11,25%) e a taxa de juros futura para os diferentes vencimentos, 2015 e 2017.

Você pode acessar as taxas de juros futuras para diversos vencimentos neste link, da própria Bovespa.

Logo, basta verificar as taxas do DI Futuro e calcular a média com a Meta Selic atual.

Neste caso, temos 12,89% para o vencimento em 2015 e 12,79% para 2017.

3. Alíquota Média para o IR

Calcular a alíquota do IR para os títulos sem cupom é fácil. Basta seguir a tabela de IR exposta anteriormente no artigo.

Entretanto, o problema aparece nos títulos com cupom.

Visando simplificar nosso modelo, não considerei o efeito do IR nos cupons.

Em termos práticos, a alíquota de IR média para a NTN-B 15/05/2035 é de 15,12% [fonte].

Portanto, como a diferença entre a alíquota de IR é de apenas 0,12% para o título sem cupom (NTN-B Principal 15/05/2035) e esta alíquota incide apenas sobre os lucros, optei por simplificar os cálculos.

Resultado Final

Após juntar todos estes dados e cálculos podemos, enfim, calcular a rentabilidade líquida dos títulos do tesouro direto.

Ranking de Rentabilidade:

  • 1. Prefixados
  • 2. Indexados IPCA
  • 3. Posfixados

Lembrete de sempre: Embora os dados possam sugerir uma maior rentabilidade em um título ou outro, o ideal é procurarmos sempre diversificar nossos investimentos.

O futuro não nos pertence e os dados apresentados acima podem ser diferentes na realidade futura.

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Fique atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • André Savi

    Olá HC, tudo bem?

    Muito bom o artigo, muitas pessoas esquecem de considerar os custos nos investimentos, impactando totalmente na rentabilidade ou optando por um investimento inferior a outro com caracteristicas semelhantes.

    Só tenho uma dúvida, onde consigo as taxas DI Futuras?

    Forte abraço.

    • Henrique Carvalho

      Olá André!

      Já inclui o link para acesso do DI Futuro com todos os vencimentos disponíveis na Bovespa.

      Abraços!

  • Bruno Peruch

    Henrique, vc poderia ter dito que no próprio site do tesouro direto tem uma calculadora para descobrir a rentabilidade líquida dos títulos. Poucas pessoas conseguem fazer a conta e/ou tem tempo para isso. A pessoa coloca os dados do título lá e já sai a rentabilidade líquida. É mais prático.

    • Henrique Carvalho

      Olá Bruno!

      Para fazer a conta para 1 título a calculadora do Tesouro Direto é a melhor opção.

      E para quem ainda não conhece a calculadora, clique neste link para maiores informações.

      Entretanto, se o objetivo é analisar todos os títulos com o objetivo de saber quais estão com as melhores taxas líquidas, a tabela neste artigo pode ser uma melhor opção.

      Ela permite você fazer comparações entre uma mesma categoria (indexados ao IPCA, por exemplo) e entre todas as categorias, como listado no ranking ao final do artigo.

      Ademais, cálculos como a inflação implícita e a média entre o DI Futuro e a Meta Selic são novidades que podem auxiliar o investidor no processo de decisão na escolha dos títulos.

      Acredito que o objetivo do artigo não seja “reinventar a roda”, afinal a calculadora do TD é muito boa.

      Entretanto, o intuito é mostrar um meio mais eficaz de como avaliar as taxas líquidas do Tesouro Direto, além de uma melhor organização da tabela apresentada.

      Grande Abraço!

      • http://www.mapadotesourodireto.com.br Equipe Mapa do Tesouro Direto

        Prezados,
        Mais limitações importantes da calculadora do site:
        * Não identifica situações de máximo retorno
        * Não prevê reinvestimento de juros com taxas de mercado
        * Não indica o que fazer passo a passo
        * Na anállise de venda antecipada, analisa o passado e não o futuro, que é o que importa para tomar decisões de manter ou vender títulos em carteira
        Sds!

  • http://www.financasinteligentes.com Finanças Inteligentes

    Essas LTNs a partir de 2013 estão dando sopa acima dos 13% a.a., é uma operação de risco mas o governo já mostrou que não pretende ficar elevando a taxa selic, pelo contrário, a tendência é ir abaixando sempre que possível no longo prazo. Talvez com a inflação controlada a partir de 2012 a selic comece a cair, nesse caso quem pegou os pré-fixados se dará muito bem.

    Abcs,

    • Henrique Carvalho

      Olá F.I!

      Acredito que o atual aumento nos juros futuros deve-se ao fato da inflação crescente. Inflação implícita para o ano já está acima de 6%, parto do limite superior de 6,5%.

      Também compartilho com a opinião de taxas menores no longo prazo e, portanto, o investimento em prefixados tem boas probabilidades de se sair melhor que posfixados.

      Abraços!

  • http://investimentosefinancas.blogspot.com/ Investimentos e Finanças

    Excelente post.
    Muitos analistas acham que devido as pressões inflacionárias a Selic vai aumentar 0,75 na proxima reunião e depois mais 0,5; chegando rapidamente em 12,5%.
    O que acha?

    Abs

    • Henrique Carvalho

      Não sei se será tão rápido deste modo, mas acredito em Selic a 12,50% no final do ano.

      Abraços!

  • http://lauro.valente.eng.br Lauro Valente

    Olá Henrique,

    Gostaria de entender melhor sobre o pagamento de juros semestrais. Não os vi na sua conta. Tem algum motivo especial?

    Obrigado,

    Lauro

    • Henrique Carvalho

      Olá Lauro!

      Não coloquei os juros semestrais na conta pois a diferença da taxa (líquida) dos títulos com e sem cupom é pequena. Entretanto, você pode simular um investimento em um título com cupom (NTN-B e NTN-F) no próprio site do Tesouro, através da calculadora.

      Abraço!

  • http://investidordefensivo.blogspot.com/ Investidor Defensivo

    Muito bacana o post. Pretendo investir metade em um título mais próximo (LTN) e metade em um título mais distante de vencimento (NTN-B Principal).
    Ando com dúvida se continuo investindo em Tesouro direto ou se aplico também em Fundos Imobiliários. Posso considerar os fundos imobiliários como renda fixa ?
    Se sim, posso acreditar que a longo prazo a rentabilidade é melhorque a do tesouro direto?

    • Henrique Carvalho

      Olá I.D!

      Eu prefiro separar Fundos Imobiliários de Renda-Fixa. Vejo como duas classes distintas.

      Sempre faço uma análise de viabilidade entre os FII e RF, com o intuito de saber qual tem melhor perspectiva para o futuro.

      No momento, com estas taxas perto de 13% nos prefixados e 6,5% na NTN-B Principal, prefiro ficar com o Tesouro Direto.

      No longo prazo, é esperado (embora não seja uma certeza) de que os FII tenham rendimentos acima do TD, já que apresentam maior risco.

      O ideal, na minha visão, é ter um pouco dos dois mundos.

      Abraços!

  • Investidor Perneta

    Complementando a opinião do IDefensivo, talvez fosse interessante um desdobramento deste post, comparando essas taxas líquidas com LCI, que é comprovadamente uma boa opção de renda fixa, além de isento de imposto. Pense com carinho no tema HC e parabéns pelo post.

    • Henrique Carvalho

      Olá amigo!

      O “problema” das LCI é o alto investimento necessário, o que dificulta o processo de alocação de ativos. No entanto, este tipo de investimento é uma ótimo opção em relação ao Tesouro Direto e os FII.

      Abraços!

  • Marco

    Caro Henrique,
    Como sempre você está de parabéns pelo seu artigo sempre bastante detalhado. Só gostaria de tirar uma dúvida de talvez outra forma de analisar estes resultados. Na sua comparação da rentabilidades, para o cálculo da NTNB você usa a inflação implicita que não sabemos se realmente irá ocorrer. Eu estava pensando de talvez uma outra forma de interpretar a inflação implicita poderia ser a seguinte: se nós considerarmos que o spread também “dá conta” da diferença entre as taxas DI futuro e de um título LTN com vencimento na mesma data da título NTNB (na prática deveria ser uma data próxima), então se a inflação real, na média, fosse exatamente igual a inflação futura, então os dois títulos teriam exatamente a mesma rentabilidade. Por outro lado, se a inflação real (média) fosse maior que a implicita, a NTNB teria uma rentabilidade maior que a LTN e se a inflação real (média) fosse menor a LTN teria uma rentabilidade maior. Se esta minha interpretação está correta (e considerando que o spread cobre a diferença entre DI futuro e LTN), a partir do seu resultado significaria que entre a NTNB e a LTN de vencimentos em 2015, se alguém acredita que a inflação real média será abaixo de 6% vale mais a pena pegar a LTN e se por outro lado acreditar que será maior vale a pena a NTNB (na prática é sempre um pouco de cada). O que você acha?

    • Henrique Carvalho

      Olá Marco!

      Achei interessante sua ideia! É uma forma ligeiramente diferente de procurar um valor mais “justo” para a inflação futura.

      Pelo que tenho observado, a diferença entre as taxas de juros dos títulos no Tesouro Direto e no DI Futuro (com mesma duração – vértice) é mínima. Portanto, acredito que o resultado não trará grandes diferenças entre as taxas da LTN e NTN-B. Mas certamente daria um refinamento melhor ao modelo.

      E na prática é isso mesmo! Um pouco de cada. Muito bem lembrado!

      Abraços!

  • Flávio

    Excelente comentário Henrique. Concordo com a atratividade atual das taxas prefixadas nos vértices 2013, 2014 e principalmente 2015. Não acredito que a inflação fique acima de 6,00% (inflação implícita) em 3 anos e 11 meses e também não acredito que o COPOM promova um aumento significativo a ponto da aplicação prefixada perder em relação a taxa de juro de curtíssimo prazo (CDI ou TMS). O rendimento mensal líquido de 0,87% está mais atrativo do que a maioria dos Fundos Imobiliários que pagam renda de aluguel.

    • Henrique Carvalho

      Olá Flávio!

      Muito obrigado pelos seus excelentes comentários. Concordo plenamente com todos os seus pontos levantados.

      Abraços!

  • http://forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?t=13849 Willy Fog

    Muito interessante este artigo. Parabéns HC!
    .
    A renda fixa da minha carteira virtual é composta por títulos dos 3 tipos: LTN, LFT e NTN-BP. Neste mês de janeiro o rendimento total dos 3 títulos foi de apenas 0,14%. Vamos ver como vai ser até final do ano.
    .
    Abcs

    • Henrique Carvalho

      Olá Willy!

      Em janeiro os juros futuros subiram bastante e, portanto, os títulos prefixados tiveram baixo rendimento.

      No longo prazo, a situação, para quem está comprando agora, parece estar bem melhor.

      Abraços!

  • Isopor

    Muito bom o artigo.
    Não tem erro: toda vez que visito seu blog, eu sempre aprendo mais um pouquinho. No mínimo.
    Parabéns.

    • Henrique Carvalho

      Valeu Isopor!

      Abraço!

  • Fabio Pacheco

    Excelente artigo (como aliás costumam ser todas as postagens do blog).

    Uma dúvida: Geralmente quem emprega estratégia de asset allocation usa um mix de títulos pré-fixados e pós-fixados. Você tem algum dado sobre a correlação desses ativos?

    • Henrique Carvalho

      Olá Fabio!

      Tenho este dado sim.

      Para facilitar a comparação, irei utilizar os dados históricos do IMA – Índice de Mercado Anbima (mais detalhes sobre o índice aqui):

      1. prefixado (IRF-M) x posfixado (IMA-S): 33,87%
      2. indexado IPCA (IMA-B) x posfixado (IMA-S): -0,24%
      3. indexado IPCA (IMA-B) x prefixado (IRF-M): 72,10%

      Abraços!

  • marcio

    não entendo como funciona a rentabilidade dos TDs em seu site, pois no momento muitos apresentam rentabilidade negativa. Como isto é possível se alguns são prefixados e outros atrelados ao ipca (+juros) e selic???? Por ex, os prefixados não deveriam dar EXATAMENTE o percentual fixado??? se alguem puder me explicar…

    • Henrique Carvalho

      Olá Marcio!

      O investimento em títulos públicos pode ser dividido da seguinte forma:

      1. Levar o título até o vencimento – Se você comprar uma LTN com vencimento em 2015 com taxa de 13% a.a e levar o título até o vencimento (não vender antecipadamente), receberá exatamente os 13% ao ano.

      2. Vender o Título antes do vencimento – Se você optar por vender o título antes, ficará sujeito as variações do mercado. Então, se você comprou o título ao preço de R$ 700 com taxa de 13%, se a taxa dele no dia da venda for de 20% provavelmente o título valerá menos do que R$ 700. Existe basicamente uma relação inversa entre taxa e preço.

      É por este motivo que você vê alguns títuls com rentabilidade negativa no último mês. O Tesouro apresenta a rentabilidade com o preço de mercado, preço pelo qual a pessoa que comprou há 1 mês atrás irá encontrar para vender agora.

      Conclusão: Se você precisar do dinheiro antes do vencimento você pode ter rentabilidade negativa no Tesouro Direto, ao investir em títulos prefixados e/ou indexados ao IPCA. Quanto maior o tempo segurando o título maior a probabilidade dele apresentar um resultado próximo a taxa que você contratou (ex.13%). Se levar o título ao vencimento terá exatamente a rentabilidade contratada (13% ao ano).

      Abraços!

      • http://www.mapadotesourodireto.com.br Equipe Mapa do Tesouro Direto

        Boa discussão, parabéns a todos.
        Sobre vender títulos antes do vencimento, temos verificado que os títulos que estão prestes a vencer têm apresentado taxas muito abaixo do que outros da mesma família, portanto uma rentabilidade baixa na reta final. Por exemplo, taxas de LTNs no dia 10.2.2011:
        LTN 010711: 11,92%
        LTN 010112: 12,37%
        LTN 010113: 12,78%
        LTN 010114: 12,78%
        LTN 010115: 12,77%
        Esta diferença entre taxas tem gerado oportunidades de vender títulos “decadentes” e comprar títulos de maior rentabilidade com lucro.
        Sds,
        Equipe Mapa do Tesouro Direto

        • Henrique Carvalho

          Concordo com a opinião! Esta troca está interessante.

          Abraços!

  • Ânderson Carvalho

    Olá!

    Sou novo por aqui e também novo em “investimentos”. Tô ‘garimpando’ informações ainda… comecei pelos blogs.. lí o ‘Viver de Renda’ inteiro e o “Valores reais” e agora comecei ler o seu :P… E já notei que se trata de um blog excelente!

    Bom é isso, parabéns pelo blog, pela carteira, pelas planilhas.

    Abraços
    Ânderson Carvalho

    • Henrique Carvalho

      Anderson,

      Muito obrigado pelos elogios! Qualquer dúvida, crítica ou sugestão que tenha, sinta-se à vontade para compartilhar conosco ou, se preferir maior privacidade, envie-me sua mensagem através do contato que lhe responderei via e-mail.

      Aproveite para conhecer cada parte do HC Investimentos e boa leitura!

      Grande Abraço!

  • Ânderson Carvalho

    Obrigado Henrique!

    Mais uma vez parabéns pelo blog. Já lí boa parte (estou quase acabando rsrs). É fantástico como aprendi aqui… Você é um cara muito inteligente e é muito bacana dividir isso com as outras pessoas.

    Mandei uma “dúvida” através do ‘contato’, se puder me ajudar, agradeço!

    Já ‘favoritei’ vários textos e vou indicar o blog para o máximo de gente que eu puder.

    abraço!

    • Henrique Carvalho

      Olá Anderson!

      Muito obrigado pelas palavras amigo!

      Acabei de respondê-lo pelo e-mail. Espero que a resposta lhe seja útil.

      Grande Abraço!

  • http://forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?t=13849 Willy Fog

    Henrique,
    .
    ultimamente não tenho recebido alguns comentário seus e de outros leitores no meu leitor de feed (Google Reader). Por exemplo, neste último dia 13 recebi a resposta que você deu ao comentário do ID, porém não recebi as respostas que você deu ao meu comentário e ao do Marco e do Flávio.
    .
    É problema aqui ou aí? Será que alguém mais está tendo este problema?
    .
    Abcs

    • Henrique Carvalho

      Olá Willy!

      Não sei exatamente como funciona, porém, acredito que haja um certo delay entre a minha resposta no blog e a publicação do feed para quem os acompanha.

      Você já recebeu as respostas no feed?

      Abraços!

      • http://forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?t=13849 Willy Fog

        Olá Henrique!
        .
        Então eu sei que existe um certo delay, mas não é isso que está acontecendo. Na verdade isso vem acontecendo desde dezembro do ano passado. Acompanho outros blogs também, porém só notei que isto acontece com os comentário do seu blog.
        .
        Inclusive esta resposta que você me deu não apareceu no meu leitor de feed e nem a resposta que você deu ao Leonardo abaixo no dia 18, porem a resposta que você deu a ele no dia 20 eu recebi.
        .
        Parece ser algum TILT do wordpress ou do google reader, vai saber.
        .
        Obrigado por responder.
        .
        Abcs

        • Henrique Carvalho

          Olá Willy!

          Obrigado pelo detalhe do problema. Infelizmente, o RSS para os comentários é um procedimento automático da própria wordpress.com, fugindo do meu alcance de atuação…Desculpe pelo incômodo amigo.

          Grande Abraço!

  • Leonardo

    Para comparar o tesouro (rentabilidade líquida) com o CDB, baseado no CID, qual a porcentagem do CID para ganhar da rentabilidade líquida tesouro???
    A taxa selic hoje está em 11,25.
    Se conseguíssemos um CID de 98%, por exemplo, teríamos = 11,25 x 98% = 11,025 – 15% (imposto de renda) = 9,37125. Esse seria a porcentagem líquida de um CDB com 98% do CID considerando 15% de alíquota de imposto de renda???

    • Henrique Carvalho

      Olá Leo!

      Primeiramente seria preciso saber se é um CDB posfixados (que acompanha a taxa selic ou prefixado).

      O problema dos CDBs é o alto valor de aplicação para conseguir taxas perto de 100% do CDI.

      Por esta razão, os títulos públicos geralmente são melhores escolhas.

      Abraços!

  • Leonardo

    São pós-fixados … considerando as premissas que lhe passei (98% do CID)… tá correto meu cálculo?

    • Henrique Carvalho

      Sim Leo!

      Porém, lembre-se que como é posfixado, essa rentabilidade pode tanto subir como cair, dependendo da Taxa Selic Atual.

      Hoje está em 11,25%. A expectativa para final de ano é de 12,50%. Porém, para final de 2012 é de 11,25%.

      Abraços!

  • Franklin Gomes

    Olá Henrique! Em primeiro lugar, parabéns pela qualidade do site. É realmente muito útil e com conteúdo excelente. A forma como os temas são abordados e sua atenção com os comentários tornam ainda mais atrativa a sua visitação.

    Tenho um questão e gostaria de sua opinião: um pessoa que dispõe de 50k para investimento, para compra de um imóvel, que pode ocorrer (ou não – depende de acontecimento incerto) em um (01) ano deveria deixar esse dinheiro, durante esse período, alocado no TD, Pounpança ou em CDB? Talvez a compra demore mais tempo , mas a idéia é em uma ano. Nesse período, provavelmente ocorreram outros aportes mensais. Penso que nesse caso talvez realmente CDB seja mais interessante que TD, haja vista a possibilidade de queda no valor quando da venda antecipada. Poupaça acha que perde para CDB, em 12 meses… Ações não acredito para esse cenário, muito embora tenha utilizado essa alocação para compor previdência/aposentadoria, mas num cenário de 20 anos….
    Um abraço,
    Franklin GOmes

    • http://www.mapadotesourodireto.com.br Equipe Mapa do Tesouro Direto

      Prezados,
      Comentário apenas sobre a possiblidade de queda no valor quando da venda antecipada de títulos do Tesouro Direto. Observamos que, ao contrário, reter títulos do Tesouro Direto até o final é que gera redução da rentabilidade máxima possível. NTN-B 150511, por exemplo, está pagando cerca de 3,00% mais IPCA em sua reta final. A excessão é LFTs, mas a taxa em geral fica abaixo das demais taxas oferecidas no mercado (LTNs, etc.).
      Sds,
      Equipe do Mapa do Tesouro Direto

      • Breno

        Equipe do Mapa,
        Não entendi bem o raciocinio.

        Se você comprou a NTN-B 150511 a taxa 6% em 2008, por ex, que diferença faz se hoje está a 2%?

        Ou vc quis dizer que para alguem que comprou a 6% vale mais a pena vender hoje do que levar ao vencimento?

        Um abraço

    • Henrique Carvalho

      Olá Franklin!

      Obrigado pelas palavras!

      Sobre sua opção, acredito que um investimento com vencimento definido poderia ser a melhor opção. No caso, a LTN com vencimento em janeiro de 2012. Pagará mais do que a poupança e o CDB. Entretanto, o dinheiro deverá ficar “preso” para que tenha a rentabilidade contratada.

      Grande Abraço!

  • http://www.mapadotesourodireto.com.br Equipe Mapa do Tesouro Direto

    Breno,

    Nas quartas-feiras o investidor tem a opção de vender ou manter títulos em carteira, e é interessante avaliar cada uma das opções separadamente.

    Um título comprado para render 6%+IPCA em 2008 que hoje apresenta taxa de 3%+IPCA renderá de fato 6%+IPCA durante o período completo, mas a partir daqui renderá apenas 3%+IPCA. Isso significa que o rendimento de 2008 até aqui foi superior a 6%+IPCA, e a elevação acentuada do preço do título demonstra isso.

    Esta queda das taxas no final da duração dos títulos é comum e é chamada de “curva de juros”. Os fundos de renda fixa dos bancos têm equipes que monitoram esta evolução e executam as transações necessárias para elevar a rentabilidade da carteira. O investidor do Tesouro Direto também precisa estar atento.

    Quem tiver interesse em um gráfico comparando NTNB 150511 e 150515 desde 2010 basta solicitar para o email contato@mapadotesourodireto.com.br. A “curva de juros” da NTNB 150511 fica clara.

    Para recomendar uma venda é preciso avaliar caso a caso (preço pago, taxa do dia, cenário, objetivos, etc.) e cada título, inclusive os que estão disponíveis para serem comprados. A taxa da NTNB 150511 recuperou-se recentemente para 4,26%+IPCA e o tempo restante é curto. Talvez já não compense arcar com o pequeno deságio que sempre existe em uma venda antecipada.

    Sds,

    Equipe do Mapa do Tesouro Direto

    • Rafael

      Prezados!

      Gostaria de compartilhar minha opinião com vcs!

      Utilizo o TD há alguns anos e migrei para esta aplicação por não identificar um banco comercial que remunere mais que o TD. Se contarmos a taxa administrativa, taxa de performance, etc. o retorno fica geralmente abaixo do CDI (90% a 98% o que geralmente é tido como benchmark pelo mercado).
      Apenas como constatação prática: o CDI em fevereiro/2011 apresentou indice de 0,8424%. Caso o investidor tenha aplicado no TD (NTNB 6% + IPCA) obteve o rendimento mensal por volta de 1,30% ou aproximadamente 155% do CDI.
      Obviamente que em algum recanto deste país algum banco obteve rendimento similar e/ou superior gerindo a carteira de forma mais efetiva, contudo, devemos levar em consideração outros fatores como a necessidade de efetuar DOC e/ou TED o que, dependendo dos recursos investidos, tamanho do banco, etc. pode acarretar em mais custos e reduzir a rentabilidade final.
      Por outro lado a venda antecipada incorre no risco da reaplicação do montante gerando custos de IR e emolumentos (quando não taxas da corretora).
      Finalmente, antes de utilizar esta opção de investimento debrucei-me sobre alguns livros, artigos e teses de mestrado e nenhuma pesquisa séria identificou ganhos substanciais com a `especulação` desta ferramenta financeira. Estudiosos argumentam que a própria bolsa de valores (plataforma amplamente utilizada para especulação financeira) deveria ser utilizada para ganhos de LP com inúmeras teses mostrando o benefício que o tempo trás para este tipo de investimento.

      Obrigado por abrir este espaço democraticamente para troca de ideias e ideais.

      Um grande abraço a todos!

      Rafael.

      • Henrique Carvalho

        Olá Rafael!

        Nós é que agradecemos pelos seus comentários construtivos!

        Sinta-se sempre à vontade para participar!

        Abraços!

  • JZ

    Henrique, excelente comentário. Estou começando agora a investir no TD. Meu investimento inicial foi 75% na NTNB-Principal 150515 e 25% na LTN 010114.

    Tenho porém algumas dúvidas com relação ao funcionamento deste investimento.

    1.Digamos que eu tivesse comprado essa mesma NTNB-Principal 150515 a R$896. Se eu decidir vender hoje esse título o meu rendimento é (896/1549) – 1 ou alguma coisa diferente disso?

    2. Montei uma planilha simples com suas informações para me ajudar a fazer comparações de rendimento de títulos. Do jeito que fiz a única variável para o rendimento é a data do vencimento. O restante é constante devido a taxa venda estar tanto no cálculo da rentabilidade bruta quanto no de inflação implícita. Está correto isso?

    Obrigado,
    José

    • Henrique Carvalho

      Olá José!

      Ótimas compras. São meus dois títulos favoritos. NTN-BP 2015 e LTN 2015 (busco sempre a de maior prazo).

      1. No caso seu rendimento seria 1.549 / 896 – 1 = 72,88%. Adicione os custos (CBLC, Taxa adm corretora e IR) e você terá a rentabilidade líquida.

      2. Não sei se peguei a ideia mas eu também usos apenas como variável o vencimento do título no cálculo do rendimento líquido. O resto já vem pronto.

      Abraços!

      • JZ

        Henrique, obrigado!

        Na hora de escrever acabei invertendo o numerador com o denominador mas foi isso que eu quis dizer.

        Quanto ao 2, o que eu quis dizer é que você substituindo a fórmula da inflação implícita no cálculo do rendimento previsto do título o fator (1+ Taxa NTNB) – presente nas duas fórmulas – vira a constante 1 fazendo com que o seu rendimento bruto seja igual à taxa de juros futuro. Aí é que veio a minha dúvida, pela lógica matemática é isso mesmo, mas não tenho certeza de que a coisa é tão simples assim.

        Abraço,

        José

  • Rodrigo

    Henrique,

    parabéns pelo blog!
    Gostaria da sua ajuda e dos outros para a seguinte situação:
    Hoje tenho 30mil na poupança. Gostaría de aplicar este dinheiro em TD ou CDB. O meu prazo de retirada seria daqui a uns 3 ou 4 anos para a compra de um apartamento e tb nao necessito de cupons. Qual a melhor forma, TD ou CDB e qual o tipo de CDB ou TD (qual o código e vencimento)?
    Além disso, qual a fórmula matemática para calcular a rentabilidade líquida do TD e CDB, já que no seu post tem apenas a fórumla por extenso.
    Agradeço!

    • Henrique Carvalho

      Olá Rodrigo!

      A fórmula não é tão simples como parece. Na verdade é uma macro que fiz no excel para gera o valor líquido bem aproximado do valor que seria real.

      Entre CDB e TD eu prefiro TD. Dá mais liberdade de atuação. Um exemplo são os títulos indexados a inflação, essenciais em qualquer portfólio. Até onde conheço, não existe CDB indexado à inflação. E no TD você também pode escolher o vencimento dos seus títulos.

      Como seu prazo é de 3 ou 4 anos veja os seguintes títulos: (os números no final do título expressam seu vencimento em dd/mm/aa (data/mês/ano)

      1. LFT 070315 (indexado à Selic. Taxa de juros sobe, rendimento do título sobe. E vice-versa)
      2. NTN-B Principal 150515 (Indexado à inflação. Taxa prefixada – hoje está em torno de 6,50% + inflação, IPCA, no período)
      3. LTN 010115 (taxa prefixada. Título tem valor de R$ 1.000 no vencimento. Para saber a rentabilidade bruta basta dividir R$ 1.000 pelo preço de hoje)

      Agora a alocação neles dependerá do seu perfil.

      Abraços!

      • Rodrigo

        Henrique.

        obrigado pelas dicas. Agora, eu talvez prefira os pósfixados, porque tenho o receio de que possa precisar do dinheiro antes deste 4 anos e aí se for pré-fixado não seria uma boa. Correto? O que vc me indica então?
        Já ouvi gente dizendo que o CDB é melhor pq os rendimentos são melhores. Vc tem esta informação?
        Agradeço!

  • Rodrigo

    Henrique,
    diante da sua ajuda acima, gostaria de saber se este título NTN -BP é considerado mesmo préfixado. Caso eu precise retirar o dinheiro antes do prazo eu não recebo a a taxa contratada (6,44% hoje)+IPCA? Corre o risco de ter rendimento menos que a poupança ou CDB?
    Qual seria o melhor título que eu não tenha perdas se retirar antes do prazo?
    Vlw

  • Came Tilonus

    Olá HC,

    Parabéns pela excelente matéria e exemplificação. Veja se pode me tirar algumas dúvidas:

    - O site do TD oferece uma calculadora para simulações. Os exemplos que vc citou aqui em cima, podem ser substituídos pela utilização dessa calculadora?

    - No link para a BMF, qual o produto (mercadoria) que representa o DI Futuro? (DI de 1 dia)?

    - Percebi que desde Março para cá, a maioria dos fundos que tinham em suas carteiras NTN-B, mudaram para LFT….Alguma explicação? Pois pelas simulações, a rentabilidade das NTN-B continuam mais altas.

    Obrigado desde já,

    ATT,

    cameti

    • Henrique Carvalho

      Olá Came!

      Respondendo suas dúvidas:

      1-) A calculadora do TD é muito boa para este tipo de cálculo. Entretanto, você terá de fazer título por título para saber qual é o mais atraente. O objetivo desta análise foi juntar tudo em uma única tabela, afim de comparar melhor a rentabilidade líquida dos títulos.

      2-) Isso! DI de 1 dia.

      3-) Provavelmente eles estão preocupados com o aumento da Selic. Isso faria com que os títulos indexados a inflação, que tem um componente prefixado, perdessem um pouco de valor (maior taxa esperada resulta em menor preço). Logo, na visão deles, investir em LFTs traz melhores benefícios para suas carteiras do que NTN-Bs. Eu acho que NTN-B principal 2015 com taxa perto de 6,70% é atraente. Minha visão!

      Abraços!

      • Came Tilonus

        Muito Obrigado HC pelo rápido retorno.

        Como eu esperava, para a carteira dos Fundos, eles comprem e vendem de mês a mês, tentando maximizar os retornos, por isso acreditava nessa mudança repentina da composição de NTN-B para LFT….mas para nós, serem mortais, tb continuo achando a NTN-B para 2015 show de bola, dando banho em qlq CDB, LCI, e outras opções por aí….!
        ABS!

        • Henrique Carvalho

          Os fundos apresentam uma gestão mais ativa.

          Nós investidores devemos nos preocupar mais com o longo prazo e não mudar muito a carteira para minimizar os custos.

          Abraços!

  • Larissa Del Vale

    Henrique, muito interessante essa sua matéria.

    Estou confusa ao calcular a rentabilidade dos títulos indexados a SELIC a LFT.

    Pesquisei na calculadora do Tesouro. Aí pede a taxa do papel na compra. Na página do Tesouro (Preços e taxas dos títulos públicos disponíveis para compra) aparece a taxa como 0%, diferente dos outros títulos.

    Seria muito pedir para me auxiliar como simular a compra desse título?

    Obrigado.

    • Henrique Carvalho

      Olá Larissa!

      Essa taxa de 0% que aparece é uma taxa extra em relação a taxa que você receberá ao investir no título. O nome correto para isso é ágio/deságio.

      Mas qual é afinal a taxa que o título oferece?

      Como o título é indexado a Selic, não temos como saber hoje qual será a taxa. Entretanto, ela nada mais é do que a média da Selic entre o momento da compra até o vencimento do título.

      Imagine que estamos em 01/01/2012. A Selic hoje é de 12%.

      Ela se mantém estável até o dia 01/01/2014, quando muda para 14%, permanecendo neste valor até o vencimento do título em 01/01/2016.

      Logo, qual será a taxa média neste período? Em 2 anos ela ficou em 12%. Nos outros 2 anos em 14%. Logo, a taxa recebida é de 13%, a média das taxas no período.

      Portanto, a taxa ofercida hoje pelas LFTs é desconhecida, mas será a média da Selic entre o dia de compra do título e seu vencimento.

      A Selic hoje está em 12%. Logo, se ela aumentar no futuro, sua taxa será maior do que os 12%. Se a Selic cair, a taxa do título será menor.

      Espero ter me expressado de modo claro e objetivo. Caso tenha alguma dúvida a mais, estou a disposição!

      Grande Abraço!

      Henrique

      • Larissa Del Vale

        Henrique, você foi 10! Ficou fácil agora de entender o raciocínio, mas você pegou 2 extremos.
        Digamos que a taxa como vc exemplificou em 1/1/2012 ficou em 12%. Depois ela subiu para 13%. Depois desceu para 11%. E no dia do vencimento em 1/1/2016 fechou em 14%. Como fica a taxa nesse caso? (o cálculo).
        Obrigado!

        • Henrique Carvalho

          Olá Larissa!

          A dica é sempre pensar na média da taxa. No mundo real ela varia em períodos desiguais.

          Portanto, no seu exemplo, como você não especificou a data em que a Selic subiu para 13% e desceu para 11% não posso lhe dizer com exatidão qual será a taxa média.

          Entretanto, não fique descontente com isso. O importante mesmo é pensar que se a taxa Selic sobe você ganhará mais, se cai ganhará também, mas um pouco menos.

          Uma dica, um pouco mais avançada: No site da BM&FBovespa, neste link específico, você pode acompanhar a taxa de juros esperada para um determinado período, o que eles chama de DI Futuro.

          Por exemplo, para Janeiro de 2017 (F17), espera-se uma taxa de juros de 12,52% (últ.preço). Logo, você pode pegar a média entre este valor e a Selic de hoje para saber o a taxa média (com as expectativas de hoje – no futuro tudo pode mudar…). Portanto, a média entre 12,52% (DI Futuro de 2017) e 12% (Selic Atual) seria de 12,26% no período entre Maio/2011 e Janeiro/2017.

          Espero ter sido claro no exemplo!

          Grande Abraço!

  • Luiz Fernando

    Olá Henrique, e parabéns pelo trabalho!

    Como pequeno investidor, não sei se fui tolo ou sábio. Visitei vários blogs ao longo do período compreendido entre 20/07/2010, quando entrei na Bolsa e hoje, 24/05/2011. Acredito que a minha posição hoje e as dúvidas que vou lhe passar, COMPLEXAS, são também de muitos investidores/seguidores que visitam seu blog.

    Tenho o hábito de poupar desde o meu primeiro emprego. Hoje tenho 46 anos, e viso, com os investimentos, o pagamento, se necessário, do 3º grau de meus filhos, mais um imóvel, a ser comprado daqui há 10 ou 15 anos, pois já tenho 1 e pretendo deixar 1 para cada filho (tenho 2 filhos), e viagens em minha aposentadoria, se Deus quiser.

    Agora sobre investimento mesmo:

    1) observei o ótimo rendimento do Fundo de investimento momento ações do Banco XXXX (cobra uma fortuna de corretagem) no final de julho/2010, 160%, que tem sua carteira fundamentada em ações, (claro que esse rendimento se deu em decorrência da crise de 2008, só que na época eu sabia e entrei de sola);
    2) comecei, assim, a investir em ações e cheguei a ganhar uma pequena quantia já nos primeiros dias, pois o IBOVESPA estava na alta, e era fácil fazer isso, até daytrade era possível;
    3)fechou o mês e o ibovespa se reverteu e passei aperto, pois comprei em grande quantidade no inicio de agosto, resgatando valores de CDB;
    4)em novembro/2010 ganhei mais uma pequena quantia e fiquei quase no 0 x 0 – com um pequeno lucro, cerca de R$ 600,00;
    5)troquei de corretora buscando custódia sem pagamento tx, para a manutenção das ações em carteira, 200 ações GGBR4, compradas por indicação da corretora do Banco XXXX;
    6)investi em novembro/2010 em ntnb-p 170k em média 6,20 a.a. e em abril/2011 consegui 30k em LTN à 13,02 a.a. sem taxa de custódia;
    7)Estudei e vi que a perscpetiva para o consumo de aço no mundo, nesse momento recessivo, não é boa e vai demorar para melhorar. Devido a esse fato, realizei um prejuízo de R$ 2.500,00 hoje, com apenas 200 ações, ou seja, vi meus R$ 5.400,00 se transformarem em R$ 3.300,00 sem falar nos rendimentos que deixei de ganhar em CDB, onde o dinheiro estava aplicado;

    Em suma, eu tinha todo o valor aplicado em CDB à 97 e 98% do CDI em julho de 2010. R$ 200.000,00

    Considerando, o prejuízo acima mencionado, é possível estimar se fiz bem em trocar o valor que estava investido em CDB por NTNB-P para maio de 2015 e LTN para janeiro de 2014, conforme relatei acima?

    Gostaria de saber, na sua opinião técnica, se valeu a pena a troca ou não adiantou de nada, e se essa troca vai me trazer algum retorno vantajoso ao menos para cobrir esse prejuízo de R$ 2.500,00 realizados hoje na venda das ações?

    Obrigado pela atenção! desejo a todos sucesso e que Deus nos abençôe!

  • Pingback: Carteira de Investimentos: Estratégias e Resultados

  • Ruy de Freitas Martins Barbosa

    Oi, Henrique, tudo bem?
    como eu nao tenho experiencia alguma em TD, vai a pergunta:

    Voce acha que, com uma alocação simples ( 33-33-34 ) em cada tipo de titulo, eu conseguiria bater ou igualar  o CDI anual com consistência?

    Abraços

    Ruy

    • http://hcinvestimentos.com/ Henrique Carvalho

      Olá Ruy!

      É bem provável.

      Basta analisar como o IMA Geral tem batido o CDI constantemente.

      Porém nada é garantido…principalmente no curto prazo.

      Grande Abraço!

      • Ruy de Freitas Martins Barbosa

         Oi, Henrique,

        é no LP mesmo, eu não sou CP mesmo.
        Valeu,

        Abração.

        • Ruy de Freitas Martins Barbosa

          Olá, Henrique, 
          Mais perguntas, se me permite:
          1- Não era para pelo menos uma parte dos gestores dos fundos de RF ( nao os gestores dos fundos  DI ) baterem o CDI? Ou seria mais ou menos comos os gestores de RV, em que a grande maioria não consegue bater o seu Benchmark ( Ibovespa )?
          2- Se vemos um título se desvalorizar no CP, é hora de entrar comprando, assim como eu faço com as ações?

          Abraços

          Ruy

  • Léo

    Henrique, sei que estou comentando um post um pouco antigo, mas por acaso você sabe um site que se possa pesquisar as cotações históricas diárias dos títulos públicos como conseguimos com ações?
    Abraços!

    • http://hcinvestimentos.com/ Henrique Carvalho

      Claro Léo!

      E o site é…….

      O próprio Tesouro Direto! ;)

      http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/historico.asp

      Grande Abraço!

      • Léo

        Hahahahahaha! Obrigado Henrique! Eu juro que eu olhei o site do tesouro de tudo quanto é jeito e não consegui achar! Tem horas que não enxergarmos mesmo..

        Grande abraço!

        • http://hcinvestimentos.com/ Henrique Carvalho

          Sem problemas Léo!

          Qualquer coisa é só perguntar.

          Grande Abraço!

  • Pingback: Carteira de Investimentos: Sobrevivendo a Crise [Setembro]

  • Rafael

    Por que algumas LFT’s não possuem preço de compra?
    http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/consulta_titulos/consultatitulos.asp

    Obrigado

    • http://hcinvestimentos.com/ Henrique Carvalho

      Olá Rafael!

      Todos os títulos disponíveis para compra possuem um preço de compra.

      Se você não encontrar o título nesta página do Tesouro é porque o título não está mais disponível para compra.

      Se tiver o título, fique tranquilo, pois você continuará podendo vendê-lo toda quarta-feira.

      E o preço de todas as LFTs é o mesmo.

      Abraços!

  • Pingback: Carteira de Investimentos: O Gigante não está mais adormecido

  • Lukasemanuel

    como funciona esse rendimento anual dos títulos do tesouro? por ex. 13% a.a. , vc compra o título que vence em 2015, ex. 100 reais, em 2013 vai ser 113 e em 2014 vai ser 13% em cima dos 113 ou é juros simpres???

  • Pingback: Manual do Tesouro Direto – Prof. Elisson de Andrade

  • Investidor de Risco

    Neste artigo, mostro como é possível lucrar 30%, 40% com Tesouro Direto em tempos de queda da taxa de juros…

    http://investidorderisco.blogspot.com.br/2012/05/tesouro-direto-renda-variavel.html

  • Courtnay Guimaraes Junior

    Muito bomo artigo, voce tem alguma planilha que tenha esses cálculos prontos?

  • Felipe Felisberto de Souza

    Olá Henrique! Parabéns e obrigado pelo post! Tenho procurado informações exatamente sobre isso. Gostaria de saber se há alguma planilha/fórmula que possa ser utilizada para calcular a rentabilidade líquida dos títulos e facilitar na hora de decisão (basicamente juntando tudo o que foi proposto nesse post). Muito obrigado!!

  • Pingback: Invista no Tesouro Direto sem medo em 5 passos | Quero Investir Agora

  • Pingback: Tesouro Direto: Invista sem medo em 5 passos | Quero Investir Agora

  • Pingback: Carteira de Investimentos: Gerenciamento de Risco [Agosto]

  • Pingback: Carteira de Investimentos: Diversificação Não é Opção, é Obrigação!

eBook-alocacao-ativos
299 Flares Facebook 150 Twitter 56 Google+ 11 299 Flares ×