Um Manifesto pelos ETFs: 10 Sábios Pensamentos sobre Investimentos Passivos

BUFFETT CREDIT

O investimento em ETFs ou fundos de índices não deve ser novidade para nenhum leitor aqui do HC Investimentos.

Porém, nem todos os investidores estão acostumados com as diversas vantagens oferecidas por esse tipo de investimento.

Ainda há muito debate sobre a viabilidade dos investimentos passivos x ações individuais.

Porém, a tranquilidade, menor risco e o maior tempo fora do mercado, fazem dos ETFs e desses fundos uma ótima opção tanto para investidores iniciantes como profissionais.

Dessa vez, vou deixar a palavra com verdadeiras lendas do mercado financeiro e suas opiniões sobre ETFs.

Separei abaixo 10 sábios pensamentos de famosos investidores (alguns até mesmo conhecidos por sua boa gestão ativa nos investimentos).

1. Warren Buffett, 1996. Annual Report, Berkshire Hathaway.

“A maioria dos investidores, tanto institucionais como individuais, verá que a melhor maneira de possuir ações é através de um fundo de índice que cobra taxas mínimas.

Aqueles que seguem esse caminho terão a certeza de vencer os resultados líquidos (após taxas e despesas) da grande maioria dos profissionais de investimento.”

 

2. William F. Sharpe, Nobel Laureate in Economics, 1990 (BusinessWeek & The Parable of Money Managers)

“A maioria dos meus investimentos estão em fundos indexados”.

 

3. Jason Zweig, quoting Warren Buffett | CNNMoney.com, May 5, 2008 -About the Berkshire Hathaway 2008 Shareholder Meeting

Quando um acionista pediu a melhor ideia de investimentos que Buffett poderia recomendar a um indivíduo, Buffett disse:

“Eu colocaria tudo em um fundo de índice com baixo custo”.

 

4. Peter Lynch, The Little Book of Common Sense Investing 2007

“O S&P 500 está com um retorno de 344% nos últimos 10 anos. É um número formidável. Já os fundos de ações apresentam retorno de 283%. Portanto, a deterioração dos profissionais está ficando cada vez pior. Os investidores ficariam muito melhor em um fundo de índice .”

 

5. Mark T. Hebner, President and Founder of Index Funds Advisors and author of Index Funds: The 12-Step Program for Active Investing.

“A maioria dos investidores é batida pelo mercado, ao invés de bater o mercado”.

 

6. William Bernstein, July/August Journal of Indexes & The Intelligent Asset Allocator (2001)

“É da natureza humana encontrar padrões onde não existem e encontrar habilidade onde a sorte é a explicação mais provável, especialmente se você é o sortudo gestor de um fundo.”

“Existem dois tipos de investidores, sejam eles grandes ou pequenos: (1) aqueles que não sabem para onde o mercado está indo, e (2) aqueles que não sabem que não sabem. Então, novamente, há um terceiro tipo de investidor – o profissional de investimento, que de fato sabe que não sabe, mas cujo sustento depende de aparentar saber.”

 

7. Benjamin Graham, Legendary investor and author. Security Analysis 1934 classic

“Se eu notei alguma coisa ao longo destes 60 anos em Wall Street, é que as pessoas não conseguem prever o que vai acontecer com o mercado de ações.”

 

8. David Swensen, chief investment officer, Yale University Endowment Fund

“Apenas 4% dos fundos conseguem bater o mercado depois de impostos, com raros resultados de 0,6% anuais de margem de ganho. Os demais 96% dos fundos que não conseguem superar o mercado, perdem por uma grande margem de 4,8% ao ano.”

 

9. Nassim Nicholas Taleb, Fooled by Randomness: The Hidden Role of Chance in Life and in the Markets 2001

“Jogue uma moeda para o alto. Cara e o gerente ganhará R $ 10.000 durante o ano, coroa e ele vai perder $ 10.000. Supondo 10.000 gerentes e um concurso de 1 ano, no final do ano, espera-se que 5.000 gestores ganhem $ 10.000, e 5.000 percam $ 10.000

Agora vamos rodar o jogo no segundo ano. Novamente, podemos esperar que 2.500 gestores estejam com ganhos em 2 anos consecutivos; mais um ano, 1.250, 4 anos, 625; 5 anos, 313. Temos agora, simplesmente em um jogo justo, 313 gestores que ganharam dinheiro por cinco anos consecutivos. Em 10 anos, apenas 10 dos originais 10.000 gestores ganhariam dinheiro.

Sabe-se que foi pura sorte como jogar moedas para o alto …Uma população inteiramente composta de maus gestores irá produzir uma pequena quantidade de ótimos registros de ganhos….

Portanto, o número de gestores com grandes ganhos no mercado depende muito mais da quantidade de gestores do que de fato da habilidade real desses gestores.”

 

10. Charles Schwab, Money Magazine – p. 88, Jan 2007 Issue

“Compre fundos de índice. Pode parecer que não há muito ação rolando, mas é a decisão mais sábia a se tomar.”

 

Está gostando desse artigo?

Coloque seu email abaixo para receber novas atualizações do site, assim como nosso curso de investimentos 100% grátis.

Ícone curso Curso 100% grátis!

Junte-se a leitores que recebem as nossas 10 aulas grátis sobre investimentos!

Qual é a sua opinião sobre o investimento passivo?

Infelizmente os ETFs e fundos de índice ainda não ocupam nem 1% do volume transacionado em bolsa aqui no Brasil.

Exemplos são: BOVA11, PIBB11 e SMAL11.

No mercado americano, esse volume já ultrapassa 25%.

Seria esse número uma expressão de maior maturidade?

Você acredita que esse tipo de investimento será uma tendência no Brasil?

E qual é o motivo que ainda impede os investimentos passivos de decolarem por aqui?

Compartilhe sua opinião nos comentários.

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • Alison

    Olá Henrique. Parabéns pelo artigo.

    O que ainda me impede de investir em ETF’s é que acredito haverem muitas empresas não tão boas compondo os indices.

    Os ETF’s nos EUA seguem a mesma idéia dos indices aqui no Brasil?

    Obrigado.

    []s

    • Concordo com o colega que os índices brasileiros possuem muitas empresas que não possuem fundamentos que me agradam. Os índices americanos são tão heterogêneos quanto o Ibovespa?

    • Oi Alison!

      Entendo sua opinião.

      Entretanto, esse comentário pressupõe que você sabe quais empresas são boas ou ruins para investir e que é possível bater o mercado investindo ativamente.

      Sim, seguem. Porém, a variedade de lá é muito maior do que aqui.

      Abraços!

      • Alison, uma solução caso você realmente acredite que algumas empresas são ruins é comprar ETFs de setores, como dividendos, small caps, etc.

        Abraços!

  • Olá Henrique! Parabéns pelo artigo, adorei os ‘recortes’ dos mestres dos investimentos!

    Penso que ainda é uma questão de desconhecimento do que se trata ETF (convenhamos, no Brasil ainda é muito recente esse tipo de investimento) bem como a pouca cultura voltada para ‘o investir’. Ainda a maioria da população é bastante conservadora, deseducada financeiramente, imediatista – e isso se deve às cicatrizes históricas. Penso que os mais jovens (aí englobo a geração X em diante) têm mais clareza e mais facilidade emocional de compreender que o mercado mudou muito e pode se desenvolver ainda mais.

    Porém, ao mesmo tempo, as pessoas entram pela porta da emoção: gostam de sentir o coração pulsando quando abrem o homebroker para fazer alguma coisa quando deveria apenas abrir a plataforma para executar ordens – a decisão vem antes com o planejamento do que se fazer.

    Penso que é insistir e persistir em educação financeira, educação para investimentos e só com o tempo perceberemos um amadurecimento.

    Abraço.

  • Como eu postei na resposta do comentário acima, existem muitas empresas no Ibovespa que, ao meu ver, não possuem bons fundamentos e, por eu ser um investidor mais consciente do que eu busco em empresas, preferi buscar empresas com que me identifico e que possuem fundamentos sólidos de sobrevivência. Acho que os ETFs servem apenas para investidores que não desejam passar um tempo analisando empresas com as quais eles se identificam. Acho que não são adotados pois o Brasileiro, além de não ter muita noção do que é investimento em Bolsa de Valores, achando que não passa de um jogo de especulação, está acostumado a ouvir conselhos de “gurus” que falam que essa ou aquela ação está bombando e acabam aumentando o risco ao invés de diminuir. Acho que falta muita maturidade para o mercado financeiro brasileiro.

    • Oi Rodolfo!

      Além desse tipo de investidor, diversos fundos de investimentos com analistas profissionais que dedicam seu trabalho apenas para isso também perdem do Ibovespa.

      Sim, falta muita maturidade.

      Abraços!

  • Mateus

    Ah, e aproveitando, qual sua opinião sobre o investimento em DIVO (40%), CSMO (40%) e SMALL (20%) para o longo prazo?
    Um abraço!

    • Oi Mateus!

      Não recomendo alocar 100% em ações, mesmo que em ETFs.

      Diversificar é investir em classes diferentes também.

      Abraços!

  • Oliveira

    Bom artigo, Henrique.
    Não gosto dos ETFs por não terem isenção de IR para qualquer valor de alienação com “lucro” ainda que este nem compense a inflação do período e porque não geram fluxo de caixa, uma vez que os dividendos são automaticamente reinvestidos.
    Também há muitas ações nos ETFs que não me agradam – ainda que tenha quase certeza que no longo prazo minha carteira de “boas” empresas perderá para o índice – a escolha individual de empresas cria a falsa impressão de que se pode bater o mercado, além e claro do prazer de acompanhar as “minhas” empresas. Na verdade é uma falso conforto psicológico, que tem como preço uma provável rentabilidade inferior.
    Abc

    • Oi Oliveira!

      Entendo seu ponto de vista.

      Todos investidores são diferentes em diversos quesitos como:

      1. Tempo para acompanhar o mercado
      2. Habilidade para escolher suas próprias ações
      3. Controle financeiro de todas operações
      4. Custos
      5. Capital Inicial e aportes
      6. Entre outros…

      Na média, a probabilidade dos ETFs tende a ser superior dos fundos de investimentos e dos investidores pessoa física. Porém, sempre haverão exceções.

      Talvez pela habilidade de escolher as próprias ações ou talvez por mera sorte no período.

      Estar ciente disso, como percebo no seu comentário, já coloca o investidor bem à frente dos demais.

      Abraços!

  • Sérgio

    ETF tem uma série de vantagens, tais como pulverização de risco, facilidade de comprar e vender, diminuir custos com corretagens. A desvantagem é ter que carregar o maldito governo nas costas, com seus 15% de imposto de renda…

    • rsrs O IR realmente é uma desvantagem.

      Entretanto, na minha opinião é compensada pelas diversas vantagens apresentadas pelos ETFs.

      Abraços!

  • Giuliano Tognetti

    Henrique,

    Concordo com todos os comentários dos grandes investidores acima. No entanto, no longo prazo, a maior parte dos rendimentos das ações se dão pelos lucros distribuidos (seja por jcp ou dividendos). Investindo em ETFs que reinvestem os rendimentos, você simplesmente terá tributação de IR sobre esses rendimentos. Isso significa que num ETF com Zero de Tx de adm. teríamos um rendimento inferior ao índice. Na prática, manter uma carteira em proporções bem próximas ao índice pode ser mais lucrativa no longo prazo. Outra opção seria os fundos que distribuem dividendos, são raros mas existem. Concorda ?

  • Bruno Nunes de Paula

    Henrique, os ETF’s são perfeitos dentro da ideia de allocation. Entretanto, embora acredita-se que todos os investidores queiram ganhar no longo prazo com o menor risco possível, alguns indivíduos simplesmente querem ações no molde tradicional porque estão em busca de mais risco/retorno. Esses indivíduos entendem que a parte do capital dedicada à buscar um risco/retorno maior esteja justamente no mercado acionário, o que não quer dizer necessariamente que estão jogando uma moeda para cima e torcendo pelo resultado, mas sim que acompanham alguma(s) empresa(s) como verdadeiros sócios.

    Dentro dessa lógica, quando não se busca eliminar o risco diversificável e admite-se um portfólio mais concentrado, é possível sim gerar alfa e bater o mercado com estratégia e consicência. Seria muita prepotência julgar investidores que analisam empresas e negócios como algo tão randômico como supõem os apóstolos de Markowitz. Dessa forma, por consequência, qualquer empresário de sucesso seria um simples sortudo e o modelo ideal de negócio seria ter uma holding com negócios ultradiversificados. Não faz muito sentido!

    Enfim, acho que seria válido ressaltar nesse post que ao comprar um ETF você perde a essência de se tornar sócio de uma empresa.

  • Emerson

    Sei que não é o forum apropriado mas não encontrei outra forma , meus emails estão retornando , eu investia através do clube vienna , sei que você era um dos colaboradores e acompanhava sua carteira , saí momentaneamente e gostaria de voltar , mas parece que o site está fora do ar , o que aconteceu ?

  • Theóphilo Mário

    Acredito no aumento de investidores nesses índices. E sendo mais sofisticado comprando Bova11 e vendendo mini índice ou índice cheio, por ex. Seria uma proteção interesante. Mas segurança tem o seu preço. E como todo investimento o gerênciamento ao risco é fundamental.

  • A minha opinião, depois de acompanhar esse blog e ler alguns escritos das lendas do mercado, é a de que a diversificação é a melhor PROTEÇÃO que existe. Reduz muito o risco.

    Mas como não existe almoço grátis, a ESPERANÇA de ganhos é menor. Mas como tudo na vida, quanto mais você almeja ganhar, a tendência é que os riscos sejam maiores.

    (lembrei daquele gráfico do risco vs retorno, postado aqui)

    Todos aqueles que são realmente ricos tiveram que arriscar muito em algum momento. Depender basicamente apenas da sorte. Eles são empreendedores ou investidores. Se examinarmos apenas o setor financeiro, veremos que a maioria, em seu início, não diversificava. Preferiu arriscar, acumular e depois diversificar. Seria interessante estudar porque isso acontece.

    O artigo é excelente, mas não concordei com a alusão das frases sobre “não saber por onde anda o mercado” com investimentos passivos. Uma estratégia ativa já depende desse pressuposto (trendfollowing). E basta uma olhada no ranking dos CTAs para observar que a maioria dos líderes é trendfollower sistemático ainda.

    Pode ser sorte (como o fundo que venceu por 15 anos). Aliás, até a diversificação pode ser. Mas com ou sem acaso, quem quer retornos acima da média, deve se preparar pros riscos acima da média.

    É o que eu penso.

  • Kingkullt

    Oi henrique, muito válido o post. Gostaria que comentasse se possível 2 aspectos dos ETFs: viu alguma discussao sobre isençao de IR até 20k de retirada? No seu proprio site um leitor abordou isso e eu colei algumas notas do DOU a respeito.
    Outro ponto: a Folha de SP recentemente publicou um caderno de Investimentos e baixos juros no Brasil. O conteudo como um todo estava bom, mas ETFs só mencionavam 3ou4 miseros paragrafos enfiados la num canto do cadero e omitiram o PIBB11. Será favorecimento a black rock ou preconceito com o PIBB (que reconheco ter varios problemas, pptte de liquidez)?

    grande abraço

  • PJ

    Bom dia HC! Como sempre parabéns pelo artigo. Dúvida que ainda não está clara…já vi de tudo na internet…afinal os ETFs até R$ 20.000,00 pagam ou não IR? Abç.

  • adamastor

    Nem tudo o que funciona bem para investidores em mercados sérios do primeiro mundo funcionam pra mercados do terceiro mundo onde os governos tem plena liberdade pra praticarem ingerência política de toda sorte num viés populista e socialista que não existe nos mercados ditos livres.

    No Brasil um fundo destes que entrarem por exemplo em Petrobrás, Eletrobrás, bancos tipo BB, elétricas em geral, telecomunicações, call centers, etc…podem ter um prejuízo pela interferência governamental que lá fora seria inconcebível, portanto eu sugiro muito cuidado pra investir no Brasil do PT.

  • Wanderley

    Investi em Bova e Divo, mas só tive prejuízo e acabei vendendo as cotas. Acho que é um investimento como outro qualquer. Quanto as citações desses famosos investidores, eles falam baseados em outra realidade, onde a volatilidade não é tão alta como a nossa. Deve ser utilizado apenas como diversificação, apenas isso. O Warren Buffet ao apoiar os ETF´s, está indo contra um de seus mandamentos, que é evitar grande diversificação de ações.

    • douglas

      Nao vai contra nao! Qnd ele investi em etf na verdade investi numa coisa só!

  • Ricardo S.

    Invisto em PIBB11 faz um bom tempo para aposentadoria e acho que no meu caso o ETF é uma boa opção pois desejo ter uma parcela de aplicação em renda variável, sem muito risco, baixo custo em termos de taxas e corretagens e quase sem nenhum esforço. Com esta comodidade talvez esteja abrindo mão de um rendimento maior se me dedicasse ao estudo das empresas ou utilizar análise técnica, mas pode ser pode ser que perca dinheiro tentando bater os índices de mercado.

    Outra opção seria aplicar em fundos com gestão ativa, mas teria que confiar no trabalho do gestor e ter esperança que o gestor consiga bater os índices de mercado. Acredito que o trabalho de gestão de um ETF seja bem mais simples onde o fundo deve reproduzir um índice de mercado.

    Em relação ao ETF pagar IR para valores abaixo de 20 mil é uma desvantagem, mas acho que não se pode ter certeza deste benefício no longo prazo, quem garante que o governo mantenha esta isenção ? Se houver uma inflação maior e o governo não reajustar este limite ? Pode ser que daqui 20 anos 20 mil não seja muita coisa. Para alguém de classe média um fundo de aposentadoria é algo provavelmente maior que 500 mil reais e fica grande as chances de ter que sacar além do limite de isenção.

  • Estou pensando em entrar com posições no SMAL11 e DIVO11, não tenho interesse agora em manter posição em ETFs que espelhem o IBOV e IBr-X. Faz tempo que estou pra comprar ETFs, mas estava primeiro equilibrando minhas posições em RF e FII.

    • Também é uma boa combinação Lu Padilha. O importante é diversificar nas 3 classes. Abs!

  • Wagner

    Oi, Henrique. Muito bom o recorte e o artigo.
    Minhas questoes quanto aos ETFs, além do IR e dos dividendos, dizem respeito a princípios pessoais de não investir em empresas de armas, fumo e bebidas, o que já me restringe bastante a escolha. Na minha pesquisa, sobraram so SMAL11 e ISUS11, que achei bem interessantes. Porem também vi que as ações que compõem os índices são revistas periodicamente, o que altera a composição do respectivo ETF. Na minha primeira pesquisa, CRUZ3 fazia parte do GOVE11, mas depois de uma revisão deixou de fazer parte do índice de governança e do ETF. E assim como saiu, pode voltar… Então sigo acompanhando os fundos por mais um tempo, antes de investir neles.
    Valeu!

  • Rômulo Arante

    Olá Henrique,
    Venho pesquisando bastante sobre ETFs e vejo um forma de investir sem mim dispor de muito tempo,
    e podendo mim dedicar mais ao meus estudos. Gostaria de saber sua opinião sobre qual ETFs seriam
    mais interessantes para investir.

  • Kay

    Bom dia, a corretora que eu uso para investimentos, cobra corretagem de 30,00 mensais para ETF’s(minima) equivalente a tres ordens mensais. Com esse valor cobrado, compensa o investimento, por exemplo de R$ 5.000?

eBook-alocacao-ativos