Como Calcular o Retorno de um Investimento – Parte II

Este artigo faz parte da série Planilhas Financeiras.

No artigo anterior desta série, vimos como calcular corretamente o retorno de um investimento e de uma carteira, através do método de cotas, utilizado pelos clubes de investimentos e fundos profissionais.

No entanto, o exemplo utilizado considerou apenas dois ativos e um aporte no início do mês.

Neste artigo iremos muito mais longe. Ao ler todo o artigo você terá em suas mãos um sistema capaz de medir a rentabilidade de sua carteira e de seus investimentos de forma precisa.

Consideraremos em nosso exemplo diversas situações.

Novos Desafios. Carteira com mais de dois ativos, aportes iguais e desiguais durante o mês, compra de novos ativos, retiradas e venda de ativos.

Enfim, diversas situações para que você tenha maior familiaridade com este método. Depois que dominá-lo, verá que é bem simples e já poderá usar em seus investimentos.

Assim como o artigo anterior, disponibilizarei no final deste artigo a planilha utilizada para os cálculos realizados com comentários embutidos em cada operação importante. Vamos aos exemplos?

1. Três Ativos com aportes iguais

Neste exemplo, consideramos parâmetros bem próximos dos utilizados no artigo anterior. Patrimônio inicial de R$ 10.000, aportes mensais de R$ 1.500 e valor da cota inicial de 100.

A alocação entre os 3 ativos é igual, sendo de 33,33% em cada um. Os valores das rentabilidades dos ativos foram simulados, não sendo a rentabilidade verídica de nenhum ativo.

Nenhuma novidade até aqui. Relembrando os ensinamentos do artigo anterior, veja que no momento do aporte de R$ 1.500 o valor da cota não se altera.

Apenas a quantidade de cotas é alterada. Afinal, a rentabilidade de uma carteira não muda quando adicionamos (ou retiramos) dinheiro dela.

Entretanto, a quantidade de cotas aumenta, já que estamos aumentando o patrimônio da carteira.

No caso, são adicionadas 14,90 cotas, resultado da divisão do aporte (R$ 1.500) pelo valor da cota naquele momento (100,6667).

Uma dica valiosa. Saber quando o valor da cota deve ser alterado e quando a quantidade de cotas deve ser alterada é muito simples.

A quantidade de cotas sempre será alterada quando houver algum fluxo de dinheiro.

Ou seja, aportes mensais ou retiradas alteram a quantidade de cotas, porém, sem alterar o valor da cota.

Se você já possui um investimento em algum fundo de investimentos esse raciocínio é trivial.

O valor da cota é alterado quando quisermos calcular a rentabilidade da carteira.

No meu controle pessoal,  por exemplo, só atualizo o valor da cota antes de fazer um aporte ou retirada (é preciso estar com o valor da cota atualizado para gerar a quantidade correta de cotas) e na mudança de um mês para outro, visando guardar o valor final de cada mês para o cálculo da rentabilidade mensal.

2. Aportes, Retiradas, Compras e Vendas

Na tabela abaixo, iremos simular um mês com diversas movimentações, seguindo a determinada cronologia:

1. Compra do Ativo 4 no dia 05.

2. Aporte mensal no dia 10.

3. Retirada no dia 15.

4. Aporte desigual entre os ativos no dia 20.

5. Venda do Ativo 4 no dia 25.

clique na imagem para ampliar

1. Compra Ativo 4 no dia 05. Devido a compra de um ativo no dia 05, temos que saber exatamente o valor da cota da carteira neste dia para poder calcular a quantidade de cotas que serão adicionadas.

Para isso necessitamos saber a rentabilidade dos ativos desde o início do mês até o dia 05.

Notem que o valor da carteira no dia 05, assim como o valor da cota são diferentes do valor no final do mês anterior.

O valor da carteira e da cota sempre mudam após recalcular a rentabilidade dos ativos.

Nova Quantidade de Cotas. O valor da compra do novo ativo, estipulado em R$ 5.000 foi realizado com um valor da cota de 100,7684, o que resulta em uma quantidade adicional de cotas de 49,62 (5.000 / 100,7684).

Deste modo, a nova quantidade de cotas total é de 164,52 (114,90 + 49,62).

Ressalto novamente que, assim como nos aportes, o valor da cota não muda ao comprarmos um novo ativo, já que o valor da cota não se altera.

É apenas uma transação de dinheiro, que nada influencia na rentabilidade.

2. Aporte mensal no dia 10. De maneira semelhante ao processo descrito inicialmente, devemos atualizar o valor da cota antes de fazer um novo aporte.

Neste caso, temos de analisar a rentabilidade dos ativos entre o dia 05 e o dia 10 para termos o valor atual da carteira, que agora é de 16.642.

Logo, como a quantidade de cotas é a mesma (164,52), temos um valor da cota de 101,1542 (16.642 / 164,52).

Nova Quantidade de Cotas. Com este valor da cota de 101,1542, podemos calcular a nova quantidade de cotas após o aporte mensal de 1.500, que será de 14,83 (1.500 / 101,1542).

Este valor, somado a quantidade de cotas anterior (164,52) resulta em uma nova quantidade de cotas de 179,35.

3. Retirada no dia 15. Embora seja um conceito novo ainda não abordado, seu efeito é semelhante ao aporte, com a diferença de que a quantidade de cotas desta retirada será negativa.

No exemplo, consideramos uma retirada de 4.000, que foi repartida entre os 4 ativos, resultado em -1.000 para cada.

Antes de calcularmos a quantidade de cotas que iremos subtrair devido a retirada, precisamos atualizar o valor da cota, considerando a rentabilidade da carteira entre o dia 10 e o dia 15.

No exemplo, o novo valor da cota, após fazer este processo é de 101,5399 (18.211 / 179,35).

Nova Quantidade de Cotas. Com este valor da cota de 101,5399, podemos calcular a nova quantidade de cotas após a retirada de 1.500, que será de -39,39 (-4.000 / 101,5399).

Este valor, somado a quantidade de cotas anterior (179,35) resulta em uma nova quantidade de cotas de 139,95.

4. Aporte desigual entre os ativos no dia 20. Está lembrado como calculamos a quantidade de cotas adicional ao realizar um aporte? = Valor Total do Aporte / Valor da Cota Atual.

Portanto, não importa se o aporte será direcionado de forma assimétrica para cada ativo. O importante é o seu valor total (1.500).

Deste modo, temos uma situação semelhante ao caso nº 2, com um aporte de 1.500.

Logo, como o valor da cota é de 101,9424, temos uma quantidade adicional de cotas de 14,71 (1.500 / 101,9424), que adicionada aos 139,95 anteriores, resultam em uma nova quantidade de cotas de 154,67.

5. Venda do Ativo 4 no dia 25. Após atualizarmos a rentabilidade dos ativos até o dia 25, podemos calcular exatamente a quantidade de cotas que será retirada da quantidade de cotas anterior (154,67).

A venda do Ativo 4 gerará um valor de 4.822, que será subtraído do portfólio.

Com um valor da cota de 102,3345, teremos uma quantidade de cotas de -47,12 (-4.822 / 102,33345).

Somada a quantidade de cotas anterior (154,67), temos a nova quantidade de 107,55.

Antes de calcularmos a rentabilidade no mês e a rentabilidade acumulada precisamos da rentabilidade dos ativos entre o dia 25 e o final do mês.

Após fazer este processo, chegamos a um portfólio no valor de 11.019 e uma quantidade de cotas de 107,55.

Logo, o valor final da cota é de 102,4556 (11.019 / 107,55).

Rentabilidade no Mês. Valor da Cota no Final do Mês (102,4556) / Valor da Cota no Final do Mês Anterior (100,6522) – 1 = 1,79%.

Rentabilidade Acumulada. Valor Atual da Cota (102,4566) / Valor Inicial da Cota (100) -1 = 2,46%.

Observações Importantes:

Para facilitar o entendimento não considerei a conta-corrente – dinheiro em caixa – como um ativo.

Na prática, novos aportes devem ir para o caixa, antes de serem direcionados para a compra de um ativo.

De maneira análoga, a venda de um ativo resulta em um aumento de caixa, que pode ser usado para uma retirada.

Faça o download da planilha grátis! Nos modelos Excel 2007 ou Excel 2003.

(Excel versão 2007 | Excel versão 2003)

Para baixar mais planilhas financeiras como esta confira o restante da série Planilhas Financeiras.

Conclusões

No dia-a-dia, fazer todos estes cálculos apresentados acima é uma tarefa muito simples e rápida.

Só é preciso atualizar o valor da cota antes de realizar um novo fluxo de caixa (aportes ou retiradas) e na virada do mês (visando guardar o valor da cota no final do mês para comparar com o anterior).

A quantidade de cotas é atualizada colocando o valor do aporte (ou retirada) e dividindo-o pelo valor atual da cota.

Importando os valores atuais dos ativos e atualizando-os através um código em VBA, esta tarefa de calcular a rentabilidade do portfólio não lhe tomará mais do que alguns segundos.

Festas de Final de Ano

2010 está sendo um ano especial para mim e para o blog HC Investimentos.

Alcançamos a marca de 1.000 visitas diárias, além da marca de 100.000 visitas desde sua criação (20.000 apenas no mês de novembro).

Gostaria de agradecer a todos vocês, os grandes responsáveis por estes ótimos números.

Muito obrigado pelo seu tempo em ler e compartilhar os artigos, pelos excelentes comentários de alta qualidade e pela sua constante visita ao blog.

Daremos uma pausa para estas festas de final de ano e voltaremos provavelmente em meados de janeiro, com uma atualização especial da carteira HC Investimentos e uma retrospectiva completa do ano de 2010.

Desejo a todos um Feliz Natal e que 2011 seja ainda melhor do que 2010. Boas Festas!

Grande Abraço,

Henrique Carvalho

Gostou do artigo? Compartilhe!

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • Essa planilha foi um verdadeiro presente de Natal!
    Boas festas!!

    • Henrique Carvalho

      Obrigado Gisely!

      Qualquer dúvida, comentário ou sugestão, estou a disposição!

      Grande Abraço e Boas Festas!

  • Sergio Fonseca

    Bom dia Henrique !

    Um dúvida: vejo que esse método de cálculo através do uso de quotas é bastante usado. Mas se com o Excel podemos usar a função XTIR que permite a apuração direta da taxa interna de retorno não seria mais fácil calcular assim ? Abç

    • Henrique Carvalho

      Olá Sergio

      São metodologias diferentes.

      Eu prefiro o sistema de cotas, que é usado pelos clubes de investimentos e fundos de investimentos.

      Acho que ele é muito mais preciso do que a Taxa Interna de Retorno para este tipo de cálculo.

      Abraços!

  • André Savi

    Olá HC, depois de sair dando uma pesquisada, encontrei uma forma para saber a cotação atual dos títulos e das cotações históricas.

    Compartilhando:

    Cotação atual: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/consulta_titulos/consultatitulos.asp

    Cotações históricas: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/historico.asp

    Parabéns pela parte 2 da série. Muito boa!

    Abraço!

    • Henrique Carvalho

      Valeu André!

      Abraços!

  • Guilherme

    Henrique,

    Muito interessante o cálculo através das cotas. Minha dúvida está em relação aos dividendos recebidos da empresa “A”. Acredito que eles devem entrar junto com o ativo “A” para o cálculo da rentabilidade pois não houve compra de novas cotas. Mas quando utilizamos o valor recebido desse dividendo para comprar cotas do ativo “B” não podemos considerar que estamos vendendo cotas do ativo “A”, estou um pouco confuso. Você poderia acresentar essa nova variável dos dividendos ( ou cupons dos títulos do Tesouro Direto ) na sua planilha ? Parabéns pela planilha !!!

    • Henrique Carvalho

      Olá Guilherme!

      Estou pensando em voltar uma última vez ao tema considerando um ativo Caixa (conta-corrente) para explicar melhor o lance dos dividendos, dos custos, entre outros.

      Obrigado pela sugestão!

      Abraços!

      • Dornel

        Olá HC!

        Mas no caso da rentabilidade, como você faz?

        Por exemplo, o papel FFCI11 teve valorização de 2% e de proventos gerou 0,8%.

        Como fica o caso acima no cálculo da rentabilidade mensal do FFCI11?

        Abraço e feliz natal.

      • É verdade Henrique. Acho que o post merece uma parte 3.

  • Mais um ótimo artigo Henrique.

    Com essa didática e disposição em ajudar os outros, você tem muito pela frente. Desejo o sucesso contínuo do blog e em sua carreira profissional.

    Um feliz natal pra você.

    • Henrique Carvalho

      Muito obrigado pelas palavras Victor!

      Desejo o sucesso semelhante para você!

      Grande Abraço e um ótimo Natal para você e sua família!

  • Parabens pelo artigo!
    Feliz Natal!!

    • Henrique Carvalho

      Valeu Inv.Fin!

      Feliz Natal!

      Abraços!

  • Evertonric

    Feliz Natal e um prospero Ano Novo Henrique C.,
    Saudações a todos leitores, e amigos deste lindo e maravilhoso espaço, no qual podemos compartilhar todas nossas experiencias do dia a dia e dos investimentos, que todos tenham um lindo final de Ano e melhor ainda Ano Novo, que 2011 seja repleto de realizações e sentimentos amorosos e carinhosos com o próximo ao seu lado….Não se esqueça de cuidar da sua própria VIDA, que o que mais vale em termos de VALOR PRÓPRIO é : Viver, como já disse vc em outras palavras.
    .
    Obrigado por vcs existirem, adorooooo tudo isso.
    Forte Abraços a todos e que um dia num futuro próximo nós todos poderiamos nos reunir, fazendo um encontro,
    Que tal daqui a alguns anos ou menos, fazermos um encontro dos leitores dos blogs?: VR., HC., IF., I40., IJ., FI., e assim por diante.
    Até 2011 PessoALL.
    Fuiiiiii

    • Henrique Carvalho

      Olá Evertonric!

      Obrigado pelas palavras!

      Acho que posso falar por todos que nosso intuito com os blogs sobre investimentos é proporcionar a todos (inclusive nós mesmos) uma informação de qualidade para tomarmos melhores decisões sobre investimentos e possamos, deste modo, ter mais tempo e tranquilidade para aproveitar nosso tempo para VIVER!

      Ótimas festas de final de ano para todos!

      Nos encontraremos novamente em 2011 para caminharmos ainda mais longe do que terminamos 2010.

      “Caminhantes, não há caminho. Faz-se o caminho, ao andar” -Vincent Van Gogh

  • Sr. Planilhas !

    Muito bom esses dois artigos. Obrigado mais uma vez.

    Boas Festas !

    • Henrique Carvalho

      Valeu FI!

      Aproveite as festas de final de ano!

      Abraços!

  • Guilherme

    Henrique,

    Tem uma matéria no site “fundamentus” sobre o cálculo da rentabilidade de uma carteira utilizando o sistema de cotas muito interessante. Dá uma olhada:

    http://fundamentus.com.br/pagina_do_ser/InvestingReturns.htm

    • Henrique Carvalho

      Obrigado pela menção da matéria Guilherme!

      Aliás, foi a partir dela que eu passei a utilizar o método do sistema de cotas.

      Grande Abraço!

  • Ótimo artigo, pode ter certeza que você está ajudando muito.

    Sucesso e boas festas!

    • Henrique Carvalho

      Boas festas Fabrício!

      Abraços!

  • Evertonric

    Olá HC !!
    Gostei muito da sua planilha e explicação, sobre a rentabilidade acumulada, parabéns pelo trabalho, vc é show de bola companheiro.,
    mas em relação a médiaHenrique,
    Qual a formula correta? – Vc poderia nos fornecer amigo…
    .
    Thanks a million.

    • Henrique Carvalho

      Já estou planejando este post Everton!

      Peço somente a gentileza de aguardar um pouquinho…

      Abraços!

  • Muito bom post!! Feliz 2011 a todos!!!

  • BOA TARDE,
    Eu estou com a intenção de migrar meus investimentos da previdencia privada , para o tesouro direto , uma vez que a minha intenção no final do plano é retirar o capital e reaplica-lo. O motivo seria os melhores retornos do tesouro direto e o IR que é aplicado sobre o lucro. Poderia por gentileza dar a sua opinião sobre esta intenção, pois estou na dúvida se estou tomando a decisão correta.
    http://investindo-mes-a-mes.criarumblog.com/Primeiro-blog-b1.
    Obrigado,
    Eduardo

    • Henrique Carvalho

      Olá Eduardo,

      Sou bastante favorável a esta mudança. Tomar as rédeas do investimento é muito importante!

      Lembre-se de diversificar. Dê uma olhada na Carteira HC para saber como eu fiz em 2010 para ter bons retornos com baixo risco!

      Abraços!

  • Pingback: Sistema de cotas « Investimentos de Longo Prazo()

  • Um 2011 repleto de trades positivos e rentabilidades acima da média em sua carteira e na de todos que acompanham seu blog

    Votos do Grupo SferaSockAnalysis
    http://sferastockanalysis.blogspot.com/

  • HELISON

    Olá HC,

    Em relação a debentures, mesmo as pré-fixadas onde a rentabilidade mensal já é conhecida, o ideal é consultar o preço de mercado da debenture e comparar como do mês anterior?

  • Henrique, fantástica essa sua série sobre cálculo de rentabilidade de um investimento. Era justamente desse tipo de informação que eu precisava para começar o ano de 2011!

    Como eu disse no blog do nosso amigo Jônatas, aproveito p/ agradecer a todos os comentários que vc tem postado nos últimos dias lá no VR. Eu fiquei afastado do blog alguns dias, período dentro do qual fui acometido de um forte resfriado, e, para completar, o notebook que eu uso inventou de dar problema. Mesmo assim, eu não desisto tão fácil…hehehe…. e quero colocar em dia os comentários de todos. Obrigado pela sua participação sempre efetiva e brilhante!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    • Henrique Carvalho

      Eu que agradeço a você Guilherme!

      Sempre prestativo e mostrando no Valores Reais como é possível se aprimorar tanto nos investimentos como na vida.

      Que você tenha um 2011 brilhante amigo!

      Abraços!

  • Flávio

    Prezado Henrique,

    Parabéns pelo excelente ano e obrigado pela qualidade dos comentários. Uma grande ano novo de muitas realizações e aprendizados.

    Obs. Os fundos imobiliários foram o destaque de 2010, em termos de crescimento de negócios e valorização.

    Abraços.
    Flávio

    • Henrique Carvalho

      Grande Flávio!

      Obrigado pelos comentários amigo. Em breve, traremos um balanço anual dos FII em 2010. A rentabilidade foi excepcional mesmo, acima de 25%.

      Grande Abraço!

  • Bruno

    Henrique, feliz 2011 pra vc.

    Tenho uma dúvida, desculpe minha ignorância, mas como eu faço para calcular um aporte no primeiro mês?

    Tenho o valor inicial para o dia 01/01/11 e faço uma compra no dia 07/01/11. Como eu calculo?

    Grato.

  • Gostaria de lhe fazer uma pergunta.
    É correto dizer que o Ativo1 teve +0,6% de rentabilidade no mês 3?
    (1+0,001)×(1+0,001)×(1+0,001)×(1+0,001)×(1+0,001)×(1+0,001)-1 = 0,6%

    E o Ativo2 teve -1,49%?

    Muito obrigado pela resposta!

    • André Savi

      Olá Fabrício, de onde você encontrou 0,6%?

      Por que esse calculo todo?

      Qual é o valor de compra ou inicial do Ativo1 e o valor de fechamento ou venda?

      Abraço!

      • Encontrei por aquele cálculo.

        Porque houve várias movimentações e dentre as movimentações o Ativo1 rendeu +0,1%.

        Se eu fizer isso me retorna uma rentabilidade negativa, pois a quantidade mudou para menos.

        Abraço

  • Abusando um pouco…
    Qual dos 2 casos tem o cálculo correto para a rentabilidade líquida?
    https://spreadsheets.google.com/ccc?key=0Am6nxqH7aVqIdGY2ZWxlTXhRbEl2dldEUGluSjNUR3c&hl=pt_BR

    Obrigado!

    • Eu analisei com cuidado e cheguei a conclusão que o primeiro está correto.

      • André Savi

        Para calcular a rentabilidade você pode considerar o seguinte calculo:

        rentabilidade = (preço de venda / preço de compra) – 1

        Se você comprou uma ação por 1 real e vendeu por 2 reais, seu lucro foi de 100%.

        No caso de rentabilidade líquida, considere os custos no preço de venda.

        Espero ter ajudado.

        Abraço.

      • Eu prefiro calcular assim:

        despesa para comprar: R$ 0,10
        despesa para vender: R$ 0,10
        despesa total: R$ 0,20

        Valor de compra: R$ 1,00
        Valor final: R$ 2,00

        Rentabilidade bruta: 2/1-1 = 100%
        Rentabilidade líquida: 2/(1+0,2)-1 = 66,67%

        Mesmo que o mais correto seria:
        (2-0,1)/(1+0,1)-1 = 72,73%

      • André Savi

        O que eu considero, é o calculo do rentimento sob o capital investido.

        Eu considero que quando compro uma ação, eu estou investindo o valor da ação + as despesas.

        Se eu compro 100 ações de determinada empresa a 1,00 real, com custo total de 10 reais (considerando impostos), considero que estou investindo 110 reais.

        Considero o custo de venda como custo total da operação e não de forma separada como no segundo calculo.

  • SEGURANÇA

    Fala HC!

    Em 1o lugar quero dar os parabens pelo Blog. Minha vida financeira pode ser classificada em antes HC investimentos e depois HC investimentos.

    Bom o que eu gostaria de tratar neste comentário é sobre dólar. Seu blog me convenceu da importancia desse investimento como Hedge para ações. Em uns posts passados vc mencionou que faz aplicações em dolar através de um fundo. Pois bem fui dar uma olhada nos fundos que tenho disponíveis e encontrei o BTG pactual cambial. De 2007 a out/2010 esse fundo rendeu -17,18% e a variação do dolar foi de -5,23%. O que quer dizer essa diferença enorme? Melhor procurar outro fundo?

    Obrigado pelos ensinamentos.

    • Henrique Carvalho

      Opa, muito obrigado pelos elogios!

      Agradeço sua presença no blog e espero continuar agregando valor para que os leitores possam tomar decisões mais inteligentes sobre investimentos.

      Os fundos de bancos oferecem boa opção. Os do BB são ótimos. Eu uso o do Bradesco, pois minha conta é lá.

      Abraços!

  • INSEGURO

    Oloco Segurança ! Com tanto fundo por ai, vc foi procurar no BTG ? Fundos cambiais em bancos de varejo são simples e costumam ir melhor que o dolar…
    Procure as tabelas de rentabilidade de Itau, Bradesco e compania que vc vai ter surpresas…

  • HELISON

    Estou ansioso pela carteira de Dezembro e o fechamento de 2010, alem das expectativas e planos para 2011.

    Mais informação de primeira qualidade.

    No aguardo.

    • Henrique Carvalho

      O fechamento foi excelente!

      Em breve postarei o resultado completo!

      Abraços!

  • HC,

    Parabens pela reportagem na revista InvestMais de Jan/2011.

    Tá ficando famoso!!

    Sucesso amigo!

    Abs

    • Henrique Carvalho

      Obrigado meu amigo!

      Abraços!

  • Olá Henrique, tudo bem?

    Li um artigo teu na revista InvestMais, a estratégia apresentada serve também para fundos de investimento ou somente para ações?

    Por favor, responda no meu e-mail.

    Parabéns pelo blog.

    Abraços

  • EvertonRic

    Parabéns Henrique , pela entrevista na Revista InvestMais
    Parabéns
    vC é o cara, rsrsrs… e tem atitude de vencedor amigo
    Forte ABRAÇO

    • Henrique Carvalho

      Muito obrigado pelas palavras gentis meu amigo!

      Sucesso!

      Abraços!

  • Parabéns, Henrique, vou querer um autógrafo, hein!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    • Henrique Carvalho

      rsrs

      Obrigado pelo apoio de sempre amigo!

      Abraços!

  • Parabéns pelo artigo e não deixe de fazer a parte 3!
    Eduardo.

  • André Savi

    Olá HC, tudo bem?

    Gostaria de tirar uma dúvida, na sua organização de planilhas que compõe a sua carteira, você cria uma planilha pra ações, outra pra títulos do governo, outra pra fundos imobiliários, etc. e depois consolida as informações em uma outra planilha ou faz tudo em uma única planilha?

    Abraço e obrigado pela atenção.

    • Henrique Carvalho

      Primeiramente, precisamos convergir sobre o que significa “planilha”.

      Parece bobagem, mas já passei por alguma confusões por isso…rs.

      Planilha = Workbook
      Abas = Worksheet (sheet1, sheet2, …)

      Eu consolido tudo em uma única planilha. Porém, uso diversas abas para diferentes classes.

      É possível fazer tudo em uma única aba (sem criar muita confusão), mas preferi organizar deste modo segmentado.

      Abraços!

      • André Savi

        Então o que eu quis dizer era em um único arquivo mesmo, Workbook rs.

        Mas então, como você divide os meses? Por linhas? Como no exemplo do artigo?

        Abraços

        • Henrique Carvalho

          Olá André!

          O artigo mostrou apenas como seria a evolução da cota mês a mês.

          Na verdade, o valor da cota só precisa ser anotado em poucas ocasiões (quando fazemos um aporte, no início do mês, …)

          Logo, não ocupa muito espaço na planilha. É meio que algo automático.

          Na parte III detalharei melhor este assunto.

          Abraço!

  • Anna Clara

    Olá!

    Sou mais uma esperando uma parte III explicando como incluir os custos de operação nos cálculos. 🙂

    Estou fechando minha planilha de rentabilidade de 2010 de acordo com os dois primeiros artigos, e notei que precisa ser feito algo diferente para incluir estes custos.

    Do jeito que me pareceu mais óbvio eu já percebi que o resultado não está correto.

    Abraço!

    • Henrique Carvalho

      Olá Anna!

      Pode deixar que não esqueci da parte III.

      Nela, explicarei como incluir todos esses custos, dividendos, etc!

      Abraços!

  • Leonardo

    * Em busca de uma planilha para lançar os meus investimentos e acompanhar minha carteira e evolução do patrimônio. *

    HC – estou tendo muita dificuldade em avaliar minha carteira. Desde 2005 venho aplicando (constantemente, mas sem objetivos definidos – mas com visão de longo prazo) em previdência privada, fundo de renda variável (vários), ações, CDB, poupança.

    Tudo foi adquirido de forma totalmente aleatória… sem qualquer estratégia… mas até que consegui formar uma patrimônio considerável… graças… é claro da capacidade dos aportes que fui fazendo durante esse período.

    Gostaria muito de lançar essas aplicações (pretéritas e também as futuras) para uma análise mais didática e transparente… objetivando averiguar os meus erros.

    Entretanto… tenho muita dificuldade em lhe dar com as planilhas e cálculos… infelizmente a matemática nunca foi meu forte (rsrs).

    Apesar de ler atentamente seu artigo “calculando o retorno dos seus investimentos I e II” tenho muita dificuldade em montar a planilha.

    Gostaria muito de obter uma planilha “pre-pronta” para lançar o meus aportes e ela autormaticamente fazer os cálculos… para averiguar as rentabilidades (de um período identificável), verificar a porcentagem aplicada em RF e RV (objetivando aplicar o método dos aportes dobrados – que por sinal achei muito interessante e talvés poderá me ajudar no equilíbrio e evolução do patrimônio).

    Até consegui uma programa (Meu $ sob Controle) até comprei o livro que explica o programa… mas fiquei desapontado pois comigo ele travou algumas vezes… e principalmente porque no gráfico de lucro não há espaços para identificar todas as aplicações.

    O programa se aproximou muito do que queria… mas bateu na trave. Estou tentando usá-lo assim mesmo…

    Gostaria muito de uma poio nesse sentido!

    Grande abraço,
    Léo.

  • ANDRE

    Henrique,

    parabéns pelo trabalho, mas gostaria de tirar uma dúvida,
    se puder responder no e-mail seria excelente.

    é uma dúvida realmente boba,mas que não estou achando a resposta deve ser porque esta meio tarde mas vai la: se eu tenho a rentabilidade acumulada ( ex: 2% ) e tenho o patrimonio inicial ( ex: 100 reais) o meu ganho seria de 2 reais? mesmo no meio deste período eu tenha feito aportes e retiradas?

    ex de caso completo com outros valores:

    jan -> iinicio 100 rentabilidade 1%

    fev -> inicio 101 rentabilidade ate dia 15 1% , aporte dia 15 de 50, rentabilidade de 3% do dia 15 ao dia 25 e depois rentabilidade do dia 25 ate o final de -2%

    qual seria o meu ganho, fiz na planilha enviada e a rentabilidade acumulada foi de 2,97% o ganho entao seria de 2,97?
    ou seria de (101*(1+1%) + 3%*(101,1*(1+1%) + 50) – 2%*(101*(1+1%)+3%*(101*(1+1%) + 50)) = 104,438 – 101 = 3,44 )?????

    novamente parabens pelo sucesso,
    att,
    Andre

  • Fábio Corvello

    Ola, parabens pelo artigo. Controlo recursos de alguns investidores e preciso criar uma planilha em excel aonde posso controlar as cotas e as rentabilidades dos investidores, sempre descontando minhas despesas e meu retorno de 25% acima CDI. Tenho várias dúvidas de como passar o valor mensal para eles, se as vezes eu retiro meu ganho e outras vezes não. Não sei como fazer, talvez você possa me ajudar. Obrigado.

    • Henrique Carvalho

      Olá Fábio!

      Acabei de lhe responder via e-mail.

      Abraços!

  • Pingback: Como Calcular o Retorno de um Investimento - Parte I | HC Investimentos()

  • Pingback: Meus gráficos de rentabilidade e patrimônio « Investimentos Zen()

  • Pingback: 17 Dicas de Investimentos para Vencer no Mercado()

  • Julio Cesar

    Bom Dia Henrique,
    Estou entrando no mundo dos investimentos e estava a procura de justamente como calcular as rentabilidades das carteiras e essa planilha caiu como uma luva. Parabéns pelo artigo e pela planilha disponibilizada.
    Uma duvida que ficou foi a seguinte: os fundos e outras aplicações feitas pelos bancos (caixa, brasil, itau, etc) somente encontro a informação das rentabilidades mensais, como faço para atualizar o valor das cotas, assim como você fez obtendo as rentabilidades até um determinado dia (se não disponho desse valor). Ou é por minha inexperiência que não encontro esses valores ?

    • Olá Julio!

      Muito obrigado pela participação aqui no site.

      Muito provavelmente você pode consultar a cota atual dos fundos de investimentos no próprio site destes fundos.

      Exemplo com fundos do Bradesco:

      https://wwwss.shopinvest.com.br/infofundos/fundos/ConteudoTabelaRentabilidade.do?cdSgmtoProdt=1

      Aqui você encontrará o valor da cota do fundo.

      Abraços!

      • Julio Cesar

        Muito Obrigado Henrique

        Realmente não tinha me atentado que tem os valores diários e acumulados no mes. E até após ler um outro artigo seu sobre como importar dados da internet para o excel estou tentando otimizar esse processo.

        Parabens pelo site

        PS: cadastrei meu email para receber o mini-curso e a planilha premium. O curso estou recebendo, mas a planilha premium de investimentos não recebi, ela virá apenas após todas as licoes ?

        ATT

        • Olá Julio!

          Você recebeu a planilha logo no primeiro email que enviei! 🙂

          Mas fique tranquilo, vou enviar diretamente para seu email.

          Abraços!

  • Es Cristiano

    Boa tarde,

    Nos comentarios vc disse que ia elaborar a 3 parte desse artigo, ja foi publicado? Parabens pelo site

    • Nossa Cristiano..

      Nem sei onde esconder meu rosto de vergonha…

      Já fazem quase 1 ano e ainda não publiquei o 3º post.

      O motivo é que, além dos outros tópicos que surgiram, gostaria de fazer em formato de vídeo.

      O problema é que sou muito chato com a qualidade do que produzo/publico e não queria largar um vídeo qualquer, mas sim algo memorável sobre o assunto.

      Logo, não posso prometer quando irei publicar a parte III, mas ano que vem ela sai! 🙂

      Abraços!

  • Audrey Baldin

    Henrique, seu que esse post é um pouco antigo, mas gostaria de tirar uma dúvida. Resolvi montar uma planilha seguindo esse exemplo que você postou, só que não estou bem certo do que fazer com os “custos de operação”. Quando faço uma operação de compra ou venda de um papel, ou mesmo os custos do Tesouro, eu coloco na planilha e diminuo o número de cotas, pois trato como uma retirada. Só que, ao fazer isso, minha carteira fica, por exemplo, com uma rentabilidade de 0,14%, mas se eu pegar o valor inicial da carteira e acrescentar essa rentabilidade, o valor final da carteira fica com um erro para mais de exatamente o valor dos “custos de operação”! Como tratar estes custos? Descontando do rendimento? Se o custo é uma retirada, não deveria diminuir as cotas ao invés de comprometer o seu valor?

  • Diogo Azevedo

    Ainda pensa em liberar a Parte III? Assim como o colega acima fico perdindo ao tentar estruturar os gastos das operações ou o acréscimo dos dividendos.

    • Pretendo sim Diogo!

      Porém, estou com outras prioridades na lista de posts para o blog no momento.

      Até porque grandes novidades estão prestes a chegar aqui no HC Investimentos.

      Stay Tuned!

      Abraços!

      • Pedro Bretas Jr.

        Bom dia, Henrique e Diogo!

        @Henrique, muito obrigado pelo artigo. Tinham meses (ou anos) que vinha me perguntando como seria a forma correta de calcular a rentabilidade! Assim como o Diogo, porém, estou um pouco perdido também em como estruturar os custos operacionais e como acrescentar os juros/dividendos no resultado de rentabilidade final. Você teria alguma dica ou material de leitura que possa me sugerir?!

        @Diogo, você conseguiu resolver sua dúvida? Poderia compartilhar o método?!

        Obrigado

  • João Melo

    Henrique tudo bem?

    Gosto muito de seus artigos, inclusive comprei seu excelente livro. Fiz uma planilha que ficou muito boa com as dicas postadas por você. Porém estou na dúvida na hora que recebo algum dividendo. Como faço? vira aporte? como fica a cota? pois o valor da cotação irá diminuir e será computado como prejuízo. No aguardo, obrigado.

    • Olá João!

      Sugiro colocar como dinheiro em caixa. O mesmo vale para os aportes. Primeiramente, eles vão para dinheiro em caixa e, somente depois, serão destinados ao ativo escolhido para investir.

      Abraços!

      • Joao Melo

        Henrique,

        Eu posso abater o valor recebido dos dividendos no meu preço inicial do mês? acredito que dessa fora daria na mesma, correto?

        Por exemplo, começo o mês com 100,00 e durante o mês recebi 10,00 de dividendos. Então no fim do mês mudo meu preço inicial de 100,00 para 90,00. E faço o fechamento.

        Obrigado.

  • GanhandoMuito

    Dae Henrique

    A parte III ainda está nos planos?

    Abraços!

  • Bruno

    Olá Henrique !
    Acredito que vc deve andar bem ocupado com o lançamento livro e tudo o mais, quando voçê tiver um tempinho gostaria de pedir para voçê publicar a parte lll do artigo mostrando o que deve ser feito com os dividendos e os custos de investimento, acredito que será de grande ajuda para aqueles que estão começando no mundo dos investimentos(eu incluso) já que somos inundados com informações inúteis do tipo ¨ações que subiram 100% na semana, sistema de day-trade infalível e etc¨, porém informações básicas,como calcular o rendimento da carteira e etc são omitidas,,nos fóruns de investimentos que tem por aí é cada bobeira que postam(outro dia estava lendo um post onde o sujeito falou que fazia aportes regulares e a corretagem era igual à 5% do valor total do aporte, WTF ????? 🙂

  • Paulo Silva

    Fiz uma aba na planilha II, de forma a facilitar o meu controle sempre que ocorre um evento na carteira (entrada/aporte, saida/venda). Caso seja interesse, posso compartilhar. Não criei nada, apenas usei a excelente planilha do Henrique para ter uma visão facilitada para minha gestão.

  • Marcelo

    Parabéns Henrique Carvalho, ótimo material.
    Mas fazer o acompanhamento da carteira usando planilha ainda é muito trabalhoso.
    Deve existir algum aplicativo ou site que faz acompanhamento de carteira de investimento, você indica algum ?

eBook-alocacao-ativos