[12/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Dezembro/2013)

carteira-investimentos

Bem-vindo à 12ª e última atualização da série Alocação de Ativos 2013.

Confira aqui todas as atualizações da série.

Vimos na atualização do mês passado que os resultados foram de  -1,93% para a média das 380 carteiras e -3,27% para o Ibovespa.

Nesse mês, os resultados foram de -1,13%  para a média das 380 carteiras e de -1,86% para o  Ibovespa.

Continue lendo essa atualização para saber mais sobre:

  • Quais são os ativos mais comuns entre as carteiras?
  • Estatísticas surpreendentes sobre as 380 carteiras
  • Rentabilidade Mensal dos 80 Ativos e de todas as Carteiras
  • Ranking das Carteiras
  • Qual carteira possui o maior índice de sharpe?
  • Carteira Destaque do Mês
  • Relação entre risco x retorno das 90 carteiras

Conheça as 380 Carteiras de Investimentos!

Primeiramente, apresentando os 80 ativos da série.

Os 80 Ativos

80Ativos

Esses são os 80 ativos que ficaram disponíveis para as 380 carteiras investirem.

Eles cobrem muito bem as 4 principais classes de investimentos do mercado financeiro, possibilitando ótimas oportunidades para o investidor diversificar sua carteira.

Alocação Média das 380 Carteiras

Alocação Média das Carteiras

No gráfico acima você pode ver a alocação média das 380 carteiras de investimentos.

Observações:

  1. A alocação em Bolsa é a maior de todas, contrariando o padrão do ano passado.
  2. A alocação em Fundos Imobiliários (FII) ganhou força esse ano. Provavelmente, devido às boas rentabilidades em 2012 (35,01% para o índice – IFIX) e os artigos aqui do site.
  3. A baixa alocação em Câmbio me faz acreditar que o sucesso da Tríade Financeira como investimento é um ótimo caminho a seguir pela grande maioria dos investidores.

Devido ao grande número de carteiras não detalharei todas aqui no site.

Porém, para os curiosos de plantão e os preocupados com a transparência dos dados, coloquei as 380 carteiras com seus nomes e alocações nas planilhas abaixo.

É só escolher sua versão e baixar!

380 Carteiras Excel 2007   |   380 Carteiras Excel 2003

As 15 Maiores Alocações das Carteiras

TOP 15 Ativos das Carteiras

Gráfico bem curioso! Minhas observações:

  1. Predomínio dos ETFs na parte das ações. Nenhum ação individual está entre os TOP15, com alocação acima de 1,60%.
  2. IFIX como “carro-chefe” dos Fundos Imobiliários. Sendo o 3º ativo com maior alocação fica claro uma forte demanda por um ETF desse gênero.
  3. BCFF11B é o fundo imobiliário individual com maior demanda. Novamente, esse é um fundo de fundos. Portanto, uma tentativa dos investidores diversificarem ainda mais em fundos imobiliários sem precisar escolher 20 deles.
  4. NTN-B Principal. O fluxo de pagamentos nas NTN-Bs é ineficiente por conta do imposto regressivo na hora do pagamento semestral. Logo, os investidores preferem um título com pagamento único na data final.
  5. Ouro como proteção. Apesar da alocação média de apenas 3%, o Ouro aparece no TOP15 com 1,97% de alocação. Sem dúvida, um ativo com boa demanda e que merece ser melhor explorado. (clique AQUI para saber tudo sobre o investimento em Ouro)
  6. IMA-Geral. Parâmetro para aplicações em títulos públicos o IMA-Geral aparece em 6º lugar. Uma outra demanda pouco explorada aqui no Brasil pelos fundos de investimentos (também publicarei um artigo sobre esse tema)

Os 15 ativos mais populares e os 65 demais

TOP 15 Ativos x Outros Ativos

Apenas uma divisão entre os 80 ativos. Interessante notar como 15 ativos representam 64% e os demais 65 ativos apenas 36%.

Talvez se tivéssemos 100 ativos poderíamos observar o princípio de Pareto: 80% da alocação pertencendo a 20% dos ativos.

Curiosidades e Estatísticas das 380 Carteiras de Investimentos

Conforme tradição da série anterior, veja 10 curiosidades e estatísticas das 380 carteiras analisadas:

Estatisticas-Carteiras

Após essa introdução, vamos dar início as análises da série Alocação de Ativos 2013!!!

Análise Mensal do Retorno dos 80 Ativos

Distribuição-do-Retorno-Mensal-dos-Ativos

Maior Retorno: OGXP3, com 50,00%.

Menor Retorno: CMIG4, com -28,63%.

Veja a rentabilidade completa dos ativos nesse imagem aqui.

Retorno Mensal por Classe de Investimento

Retorno-Mensal-das-Classes

Este gráfico calcula a rentabilidade média de cada tipo de classe.

Por exemplo, a Classe Bolsa possui 39 ativos, sendo 11 ETFs e 28 ações.

Logo, calcula-se a média (sem ponderação) para essa classe, assim como para todas as outras.

Distribuição do Retorno Mensal: Renda-Fixa

Distribuição-do-Retorno-Renda-Fixa

Maior retorno: IMA-Geral ex-C, com 0,98%.

Menor Retorno: NTN-B 2050, com -0,02%.

Esse é um gráfico bem interessante para acompanharmos, já que temos as variáveis:

  • Tipo de Título: Posfixado, Pré-Fixado, IPCA
  • Duração: Curto, Médio, Longo
  • Índices: IMA-Geral e IMA-Geral ex-C

Caso você ainda não esteja acostumado com esses índices sugiro dar uma olhada no site da Anbima e nesse PDF com a metodologia do índice.

Distribuição do Retorno Mensal: Fundos Imobiliários

Distribuição-do-Retorno-Fundos-Imobiliários

Maior retorno: WPLZ11B, com 6,24%.

Menor Retorno: BBVJ11, com -11,47%.

Aviso de sempre: Embora sejam fundos imobiliários e não apresentem a mesma magnitude de risco das ações, perceba a variação do retorno entre eles em um único mês. A lição: nunca esqueça de diversificar.

No longo prazo, uma carteira com Renda-Fixa + FII + Bolsa, formando a Tríade Financeira, tende a obter uma relação risco x retorno muito melhor do que uma carteira somente com Renda-Fixa + Ações.

Distribuição do Retorno Mensal: Câmbio

Distribuição-do-Retorno-Câmbio

Maior retorno: EURO, com 2,03%.

Menor Retorno: Ouro, com -1,63%.

Distribuição do Retorno Mensal: Bolsa

Distribuição-do-Retorno-Bolsa

No gráfico acima, todos os 39 ativos de classe Bolsa, incluindo 11 ETFs e 28 ações individuais.

A alta volatilidade e risco das ações individuais nos obriga a escolher diversas delas para não sofrer tanto em momentos de pânico e não deixar de aproveitar momentos de euforia.

O debate entre ações individuais x ETFs de Ações irá sempre existir. Independente da sua preferência, diversifique sempre!

Maior Retorno: OGXP3, com 50,00%.

Menor Retorno: CMIG4, com -28,63%.

Distribuição do Retorno Mensal: ETFs

Distribuição-do-Retorno-ETFs

Resolvi criar um gráfico especial para o merecido destaque aos ETFs.

Maior retorno: MATB11, com 0,00%.

Menor Retorno: FIND11, com -4,70%.

Ícone curso Curso 100% grátis!

Junte-se a leitores que recebem as nossas 10 aulas grátis sobre investimentos!

380 Carteiras de Investimentos: Rankings, Retorno x Risco e Sharpe

Distribuição-do-Retorno-Mensal-das-Carteiras

No gráfico acima, você observa a distribuição do retorno das 380 carteiras nesse mês.

Média de Retorno das 380 Carteiras nesse mês: -1,13%.

Maior Retorno:  Bola d Neve, com 19,73%.

Menor Retorno: Crazy, com -13,78%.

O ranking detalhado do retorno mensal de todas as 380 carteiras você pode encontrar nas planilha abaixo:

download-excel

Carteiras (com ou sem) o suporte do eBook

eBook-Não-eBook

Conforme prometido, estou dando os devidos créditos ao pessoal que adquiriu o eBook Alocação de Ativos e participa da série.

São 163 carteiras (42,89% do total) que utilizam todo o potencial da alocação de ativos para investir.

No gráfico acima uma comparação entre o pessoal que adquiriu o eBook e que não adquiriu o eBook (ainda). 🙂

Não será uma regra as carteiras com eBook apresentarem sempre os melhores resultados.

Até o momento, todos os meses foram favoráveis para as carteiras apoiadas no eBook para todos os indicadores, como:

  • Maior retorno Anual
  • Menor risco
  • Maior índice de sharpe (como o índice de sharpe é negativo não faz sentido compará-los)

Para saber todos os detalhes sobre o material Alocação de Ativos basta clicar AQUI.

Relação Retorno x Risco

Retorno-x-Risco

A relação entre retorno e risco é um dos conceitos mais importantes do mercado financeiro.

Afinal, de que adianta um alto retorno se existe um alto risco inerente ao investimento?

Você pode ganhar 100% em um ano e perder 50% no outro e estará no mesmo lugar que começou.

As 10 Carteiras com Maior Índice de Sharpe

10-Carteiras-com-Maior-Índice-de-Sharpe

O índice de sharpe é um excelente indicador para medir:

  1. Retorno
  2. Risco
  3. Custo do Dinheiro

Quanto maior, melhor. O número positivo significa que a carteira gerou um retorno adicional ao CDI (ativo livre de risco) com baixo risco.

Você pode consultar o ranking completo do índice de sharpe das 380 carteiras baixando a planilha a seguir.

download-excel

Carteira Destaque do Mês

carteira-destaque

Todo mês publicarei uma carteira destaque aqui nessa série.

A carteira da vez é a MMOG, que ficou com o seguinte ranking de retorno: 8º no geral

Das 10 primeiras carteiras, ela é a que apresenta uma ótima diversificação entre classes, com a alocação 50% | 25% | 15% | 10%.

É uma carteira muito parecida com a média das 380 carteiras, sendo bem diversificada em todas as 4 classes de investimentos.

Resumo e Conclusão

carteira-investimentos

Abaixo uma comparação de dados (em 2013):

  • Média do Retorno das 380 Carteiras: -11,51%
  • CDI: 8,06%
  • Ibovespa: -15,50%

Artigos e Links para aprender além desse artigo:

Forte Abraço!

Henrique Carvalho

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • Fim. 2014 teremos mais?

    http://www.ricodinheiro.com.br

    • Oi Kleber!

      Sinceramente, não sei.

      Essa série consome um tempo e energia enorme para ser publicada.

      São 80 ativos com 380 carteiras e 365 dados diários.

      Portanto, são mais de 1.000.000 de dados ao longo do ano que devem estar corretos e que são publicados e devidamente organizados em tabelas e gráficos sem custo algum aqui.

      Não sei se o pessoal realmente deseja continuar essa série. O nível de comentários desses artigos está baixo e algumas pessoas já vêem essa minha publicação como uma obrigação.

      Abraços!

      • Gus

        Faço votos que continue

  • Leonardo Bopp

    Excelente como sempre.

    Mesmo não continuando em 2014, parabéns pela iniciativa. Imagino o trabalho que deve dar manter tudo atualizado.

    Um pequeno ajuste: o gráfico de distribuição das rentabilidades de FII está desatualizado.

  • Imagino que utiliza um sistema de BI para geração destes gráficos. Pode me dizer qual é?
    Grande abraço!

    • Leonardo Bopp

      Acredito que ele utiliza o bom e velho Excel.

    • Oi Andres!

      Como o Leo disse, uso o bom e velho Excel. 🙂

      Abraços!

  • Joao

    Que software usa para criar esses gráficos?

  • iTradeSys

    Oi HC. Acompanho seu blog há um tempo e estou iniciando um novo projeto. Você poderia adicionar o meu link na sua lista de blogs? (www.itradesys.com.br)

    Obrigado.

  • Reinaldo

    Como é possível comprar fundo IMA-Geral? Existe um ETF para isto?

  • MK

    A carteira com a pior rentabilidade anual de todas as 380 carteiras e com o risco enorme ficou entre os 10 “melhores” índice Sharp …..Eu já havia mostrado e dado referências de artigos que mostravam que não faz sentido usar índice Sharp quando ele é negativo, e nos artigos mostram como estender (modificar) a definição para o caso negativo…. A modificação era bastante simples… Infelizmente este resultado final não faz nenhum sentido.

  • Ícaro Cavalcante Dourado

    Você segue acompanhando mensalmente rentabilidade de carteiras cuja composição inclui ações e renda variavel num geral, o que na minha opiniao nao faz muito sentido porque é renda VARIAVEL, entao varia oras pra cima oras pra baixo (OSCILA). Talvez se o fizesse semestralmente ou anualmente, menos mal.
    Sua analise de risco é interessante, os demais dados são uteis mais no quesito curiosidade. Do ponto de vista de quem porventura queira acompanhar ou saber os perfis de investidores em geral é interessante, mas fora isso, quem e por que alguem acompanha estes resumos mensais? OBS: Estou perguntando, sem afirmar nada.

  • Antonio Carlos

    qual seria a utilidade de acompanhar carteiras negativs?

  • Jeca Tatu

    Henrique: acompanho há tempos seu blog, mas só agora tive coragem de escrever uma pergunta, a fim de evitar indagar bobagem ou algo que já tivesse sido abordado por você.

    Bem, antes de mais nada, parabéns pelo site.
    Indo à indagação: qual a correlação entre as NTN-B longas (ou o IMA-B +5) com o dólar e/ou a Bolsa?
    Eu tenho ficado doido com essa questão. Li seus posts, excelentes, como sempre, sobre o “hedge” para o IBOV, dólar versus Selic.
    Mas e a NTN-B? Sob um primeiro enfoque, raciocínio: se a SELIC sobe, o juro da NTN-B sobe, logo o preço cai, a Bolsa tende a cair e o dólar, que tem correlação inversa com esta, subiria.
    Mas sob um segundo prisma, raciocínio, de forma contraditória: se a SELIC sobe, o juro da NTN-B sobe, logo o preço cai, o que deveria atrai o investidor estrangeiro para a renda fixa, levando o dólar a cair (e a Bolsa, por consequência, a subir).

    Teria como fosse me clarear a questão? Pelo menos a minha conclusão de que há forte correlação negativa entre o aumento da SELIC e o preço das NTN-B, principalmente as longas, está correto, não?
    Abraço,
    Jeca.

  • Gerson de Abreu

    Henrique, boa noite.

    Meio off-topic, mas gostaria de tirar uma dúvida com você… Para valorização da sua carteira, você apropria a “rentabilidade” da renda fixa de acordo com o valor atual do título (atualização mensal do tesouro direto com o valor do dia) ou com “pró-rata” mensal estimado do ganho total?

    Sei que a pergunta é um tanto boba, mas imagine o seguinte caso: tenho um título de renda fixa qualquer do tesouro que na data do vencimento vai me gerar R$ 100.000 de rentabilidade acumulada (por exemplo), mas essa rentabilidade é fruto do tempo, obviamente. Como “apropriar” mensalmente ou anualmente esse ganho para acompanhar a rentabilidade dos meus títulos e valorizar o ganho da minha carteira de investimentos de uma maneira que me ajude a perceber que a minha meta de alocação de ativos não está fugindo do plano?

    Grato pela resposta e parabéns pelo excelente blog.

    Abraços.

  • Rodrigo Silva

    Olá HC, compreendo perfeitamente a energia demandada por aqui. Assim como nos investimentos pensar em um longo prazo pode ser uma boa, se alguém tem alguma dúvida na compra do ebook por exemplo e acompanhar durante um tempo para ver na prática os números dando certo a pessoa poderá por fim decidir investir no Ebook também. Adicionalmente, há muita gente assim como eu chegando agora e claro os novos de hoje e o de amanhã vão curtir uma atualização de modo que tende a lhe render mais. Oque pode ser feito é dar uma enxugada nas informações e ou de algum modo automatizar mais o processo. Abraços, sucesso!

eBook-alocacao-ativos