Carteira de Investimentos: Estratégias e Resultados [Dez/2011]

carteira-investimentos-2011

Bem-vindo a atualização de dezembro da série carteira de investimentos!

atualização do mês de novembro mostrou um ótimo desempenho das carteiras de investimentos dado o retorno negativo do Ibovespa em -2,51%.

Neste mês de dezembro o cenário novamente não foi favorável para a Bolsa…

O Ibovespa apresentou baixa de -0,21%.

Entretanto, a média das carteiras de investimentos novamente não acompanhou o mau humor do mercado, com alta de 0,52%.

Sendo esta a atualização que fecha o ano de 2011, trarei algumas novas análises além das já tradicionais.

Continue lendo este artigo para saber como as 15 carteiras de investimentos se comportaram em todo o período deste estudo sobre Alocação de Ativos.

Carteira de Investimentos: Relembrando as Carteiras

Sabemos que o sucesso de uma estratégia de investimentos tem grande relação com a alocação de ativos de uma carteira.

Logo, vamos relembrar como cada carteira foi montada no início do mês de julho:

Carteira-de-Investimentos-Classes-de-Ativos

Clique na imagem para ampliar

A média destas 15 carteiras apresenta a seguinte alocação:

1. [1,14%] Conta-Corrente (CC)

2. [42,86%] Renda-Fixa (RF)

3. [14,43%] Fundos Imobiliários (FII)

4. [6,57%] Câmbio

5. [35,00%] Ações (Bolsa)

Uma ótima alocação de ativos na minha humilde opinião.

Carteira de Investimentos: 10 Maiores Alocações das Carteiras

Além de visualizarmos a alocação em cada classe de investimentos podemos ver quais são os 1o ativos com maior participação em cada carteira:

Carteira-de-Investimentos-10-Maiores-Ativos

Clique na imagem para ampliar

Este tipo de análise nos ajudam a identificar carteiras com alta concentração, estando pouco diversificadas.

Além disso, é interessante notar que o ativo preferido das 15 carteiras é a LFT com vencimento em 2015.

Ela aparece na média com uma alocação de 18,53%.

No relação large caps (BOVA11 e PIBB11) x small caps (SMAL11), temos que a alocação em large caps (~26%) é 2x maior do que small caps (~13%).

Carteira de Investimentos: Rentabilidade dos Ativos no Mês

Rentabilidade-Dezembro

Analisando cada classe de investimento:

  • Renda-Fixa

A queda dos juros futuros foi um dos principais destaques neste ano de 2011.

Veja no gráfico abaixo (fonte: Anbima) como as taxa caíram bastante nos títulos pré-fixados..

Anbima-Juros-Pre

… e também nos títulos indexados a inflação.

Anbima-Juros-IPCA

A consequência desta queda da taxa foi a alta do preço, resultando em maiores rentabilidades para os títulos pré-fixados e indexados a inflação.

Note como estes tipos de títulos apresentaram as maiores rentabilidades em 2011.

Anbima-Rentabilidade-IMA

Nota:

  • IMA-B 5 corresponde aos títulos públicos indexados ao IPCA com prazo inferior a 5 anos.
  • IRF-M 1+ corresponde aos títulos públicos pré-fixados com prazo superior a 1 ano.

Saber calcular o retorno líquido dos títulos públicos pode lhe ajudar na tarefa de descobrir qual títulos está mais atrativo no momento.

Quem garantiu, por exemplo, LTNs com taxas acima de 13% e NTN-Bs com taxas acima de 6,75% tomou um ótimo passo para seu futuro financeiro.

Entretanto, se você ainda investe 100% em ações e não aproveita oportunidades como esta leia este artigo sobre como é importante diversificar além de uma única classe.

  • Fundos Imobiliários

Os fundos imobiliários tiveram um ótimo mês, se desconsiderármos a última colocação do FII Hospital Nossa Senhora de Lourdes.

Para desespero dos cotistas, o fundo continuou a cair durante este mês, chegando a apresentar uma queda de -42,57% entre a máxima alcançada pelo fundo em outubro de 2011 e a mínima em dezembro.

NSLU11B

Não é à toa que bato tanto na mesma tecla.

Se você quer se tornar um investir de sucesso no longo prazo você é obrigado a diversificar.

Caso contrário, ficará à mercê da sorte até que um dia, você pode ser pego de surpreso por uma notícia não esperada e seu ativo cair -50% em menos de 3 meses…

A dispersão do retorno dos fundos imobiliários é excelente exemplo para lembrar a todos investidores que:

A diversificação nos fundos imobiliários não é uma opção, é uma  obrigação.

Infelizmente ainda não existe um ETF (Exchanged Traded Fund) para os fundos imobiliários.

Portanto, como regra de bolso, é recomendável escolher pelo menos 5 fundos, mas se preferível 10.

Lembre-se do benefício entre diversificar dentro de uma própria classe, conforme ressaltei no artigo sobre estratégias de investimentos.

  • Câmbio

O destaque negativo do mês foi o Ouro, com rentabilidade de -6,59%.

Depois de apresentar rentabilidade de 24,02% até o final de novembro, o Ouro terminou fechando o ano de 2011 com retorno de 15,85%.

Ainda assim, superior ao Dólar (12,58%) e ao CDI (11,54%).

Apesar da alta volatilidade do Câmbio em 2011, ele assegurou sua capacidade de proteção.

Com o Ibovespa caindo -18,11%, o Dólar subiu 12,58%, o Euro 8,23% e o Ouro 15,85%.

Leia nosso artigo completo sobre como investir em ouro.

  • Bolsa

O ano de 2011 serviu como um ótimo exemplo para novos e velhos investidores.

Para os novos porque mostra que, apesar de meses com forte alta de 11,49% (vide outubro), o ano não foi nada fácil com queda de -18,11%.

Para os velhos porque enfatiza a importância da diversificação, já que nos últimos 5 anos o retorno anual da Bolsa está negativo.

É isso mesmo…

Nos últimos 5 anos, o Ibovespa apresentou uma rentabilidade anual de -0,39%.

Ibovespa-Ultimos-5-anos

Este retorno anual negativo nos últimos 5 anos não ocorria desde 2005.

O Ibovespa fechou 2011 com rentabilidade de -18,11% enquanto o índice de Small Caps (SMLL) terminou 2011 com -16,62%.

Carteira de Investimentos: Rentabilidade das Carteiras

  • Rentabilidade Mensal

Rentabilidade-Investidores-Dezembro

A média das carteiras de investimentos apresentou uma rentabilidade de 0,52% em dezembro.

A melhor carteira no mês foi a “AJ” com rentabilidade de 1,14%.

Embora nenhuma carteira tenha apresentado resultado negativo, o retorno se concentrou na faixa de 0% e 1%, principalmente devido ao Ouro (presente em várias carteiras), que caiu -6,59% no mês.

  • Rentabilidade Acumulada

Rentabilidade-Acumulada-Investidores-Dezembro

Na tabela acima temos a evolução da rentabilidade acumulada, mês a mês.

Na média, as carteiras apresentam uma rentabilidade acumulada de 1,40%.

  • Ranking Rentabilidade Acumulada

Rentabilidade-Acumulada-Ranking-Investidores-Dezembro

Na tabela acima temos o ranking da evolução da rentabilidade acumulada, mês a mês.

O mês de dezembro não revelou grandes surpresas…

A carteira MK apresentou a melhor rentabilidade em 2011 (5,84%), seguida da carteira BF (4,79%).

É possível notar que as carteiras mais concentradas em Bolsa (as 4 à direita) obtiveram retornos acumulados negativos durante todo o  segundo semestre de 2011.

Relação Retorno x Risco

Sem dúvida é a análise que mais gosto de fazer, embora também seja a mais trabalhosa, é a Relação entre Retorno e Risco das Carteiras de Investimentos.

Apesar de termos apenas 6 meses de análise, podemos já observar alguns pontos favoráveis a  diversificação.

Rentabilidade-Retorno-Risco-Dezembro

Clique na imagem para ampliar

A principal conclusão que podemos tirar do gráfico acima é a seguinte:

A maioria das carteiras obtém uma relação retorno x risco melhor do que a carteira simulada 50% CDI | 50% Ibovespa.

Este número pode não parecer tão importante, mas ele é extremamente importante.

Veja o porquê:

1. Diversificar entre várias classes de investimentos (RF, FII, Câmbio e Ações) ajuda a melhorar a relação retorno x risco.

2. É preciso diversificar dentro da própria classe de investimetnos.

Exemplo em Renda-Fixa: Investir em títulos indexados a Selic, pré-fixados, indexados à inflação. Variar na duração dos títulos…

Note que a carteira média obteve um retorno muito parecido com a carteira 50% CDI e 50% Ibov.

Entretanto, ela possui um risco anualizado de 10,47% contra 14,88% da 50% CDI e 50% Ibov.

Reduzir o risco de uma carteira de investimentos é fundamental.

Deste modo, você garante maior flexibilidade em sua estratégia, não fica muito dependente das oscilações da Bolsa e consegue planejar com menos erros o seu futuro financeiro.

Ter conhecimento sobre a relação retorno x risco dos ativos e de como funciona uma estratégia de alocação de ativos é um grande benefício para garantir a você melhores resultados e maior segurança financeira.

Carteira de Investimentos: Destaque do Mês

A carteira destaque do mês é uma forma de mostrar na prática o benefício da alocação de ativos.

Afinal, esta série que engloba 15 diferentes carteiras de investimentos tem exatamente este objetivo:

Mostrar a todos a importância da alocação de ativos e diversificação de carteiras na prática e com dados reais.

Pronto para conhecer o destaque do mês?

Rentabilidade-Destaque-Dezembro

Clique na imagem para ampliar

A carteira “TC” obteve uma rentabilidade surpreendente de 1,05% em dezembro.

Sua escolha foi baseada pela eficiência no segmento de fundos imobiliários, que se valorizou 1,97%.

Com a alocação de 30% neste setor, somente o segmento de FII foi responsável por 0,59% da rentabilidade total.

Além disso, a carteira TC foi a que obteve a maior rentabilidade em Renda-Fixa durante todo este estudo: 13,78%.

O motivo é sua alocação arrojada em títulos públicos:

  • [18%] NTN-B Principal 2015
  • [18%] NTN-B Principal 2024
  • [3%] NTN-B Principal 2035

Entretanto, não é uma alocação diversificada.

É arriscada, mas devido à queda dos juros este ano, esta alocação garantiu a melhor rentabilidade de todas as carteiras em Renda-Fixa.

Evolução Diária das Carteiras de Investimentos Selecionadas

Evolucao-Carteiras-Investimentos

Para finalizar as análises das carteiras de investimentos terminaremos analisando a evolução diária de algumas carteiras selecionadas. São elas:

  1. MK
  2. CDI
  3. BF
  4. Média
  5. 50% CDI e 50% Ibov
  6. IBOV
  7. EFET
  8. AJ

Observações relevantes:

Apenas ao olhar para a variação das carteiras é possível ter uma boa ideia de suas alocações.

As carteiras MK e BF são mais concentradas em Renda-Fixa, principalmente em títulos pós-fixados.

Já as carteiras EFET e AJ são concentradas em Bolsa, o que evidencia o alto risco e volatilidade.

Note como a carteira AJ chegou a perder -18% em pouco mais de 1 mês.

Não é todo investidor que suportaria este tipo de perda tão rápida.

A carteira AJ possui 80% aplicados em Bolsa, sendo 60% PIBB11 e 20% SMAL11.

Uma maior diversificação entre as diversas classes de investimentos e também dentro da classe Bolsa ajudaria esta carteira a apresentar menor volatilidade.

Conclusão

O ano de 2011 deixou lições importantes.

O caso do Hospital Nossa Senhora de Lourdes (NSLU11B) mostrou que investir de forma concentrada em fundos imobiliários pode ser tão arriscado como investir na Bolsa.

Algumas Blue-Chips apresentaram um péssimo retorno no ano, com ações tradicionais sofrendo grandes quedas em 2011.

  • GFSA3 caiu -64,9%.
  • USIM5 caiu -46,6%.
  • FIBR3 caiu -46,4%.
  • MRFG3 caiu -44,5%.
  • OGXP3 caiu -31,9%.

Além destes casos, vimos também as taxas oferecidas pelos títulos públicos pré-fixados caírem de 13% para 10%.

Nos títulos indexados a inflação elas caíram de 6,75% para 5%.

A conclusão é simples.

O tempo em que era fácil ganhar dinheiro com taxa de juros de 15% ou com 5 anos seguidos de Bolsa subindo na média 43,89% (2003-2007) parece ter ficado para trás.

O mercado hoje demanda um maior amadurecimento dos investidores.

O foco agora não deve estar na rentabilidade, mas sim onde ele sempre deveria estar, no Risco e em seu controle.

Saber lidar com a relação retorno x risco daqui para frente será o básico que todo investidor precisa saber.

E aqueles que não diversificarem se iludindo com os retornos passados poderão se enganar feio.

Volto a repetir:

Diversificação tornou-se uma obrigação e não mais uma opção…

Este é meu conselho para você em 2012! 🙂

Afinal:

Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância. ~ Sócrates

Continue acompanhando esta série sobre carteira de investimentos e observe na prática como a ampla diversificação produz resultados mais sustentáveis no longo prazo.

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • Mais um excelente post Henrique! Já aprendi muito com seu blog e as planilhas! Parabéns! 😉

  • Mais um ótimo post como sempre.

  • Muito obrigado HC!

    Também aprendi muito com esta série.

    2011 não foi um ano fácil. A queda acelerada das taxas no TD aumentou o risco de se investir em pré-fixados principalmente de longo prazo. Eu dei sorte até agora mas acho que chegou a hora de aumentar a diversificação intra-classe em RF como vc bem notou.

    Abração!

    • Muito obrigado pelo comentário Major!

      De fato, a diversificação intra-classe, seja na RF, FII ou RV, é muito importante e auxilia a melhorar a relação risco x retorno da carteira.

      Abraços!

  • Adalberto

    Mais um excelente post Henrique. Tenho acompanhado o seu blog há uns dois – três meses, e posso dizer que voce foi o que mais me influenciou para a prática da alocação de ativos. Sucesso e continue assim.

    Adalberto

    • É uma honra poder colaborar na disseminação do conhecimento sobre alocação de ativos Adalberto!

      Grande Abraço!

  • Ghuerren

    Excelente artigo!

  • Aposentando Com Estilo

    Parabéns Henrique Carvalho!

    Seu blog foi um dos primeros que comecei a ler, quando ainda divulga seus resultados mensais nos investimentos. Aqui aprendi sobre muita coisa, como Asset Allocation, como calcular o rendimento através dos esquemas de cotas e muito mais.

    Continue com o excelente trabalho!

    Eu criei um blog para compartilhar meus investimentos com ós demais interessados.

    Se quiser dar uma olhada entre em:

    http://aposentando-com.blogspot.com

    Abraço!

    • Desejo sucesos no seu novo blog!

      Asset Allocation realmente é um assunto fascinante e irá ajudar você bastante na gestão da carteira.

      Abraços!

  • MarcoK

    Ótima analise! Com a carteira MK consegui cumprir o objetivo de superar o CDI no período mesmo com toda esta turbulência. Agora qual é  a premiação: um milhão de reais em barras de ouro (ou melhor, em cotas de FII que não sejam o NSLU)  ou uma semana no Caribe com tudo pago? :DD 

    • 😀

      Parabéns pela conquista MK!

      Não foi fácil superar o CDI no período e sua carteira conseguiu com êxito!

      Abraços!

  • MarcoK

    Uma curiosidade: Henrique, você tem aquela planilha que obtêm a carteira mais eficiente. Com os dados que você tem dá para obter de maneira simples qual a carteira mais eficiente com estes ativos neste período?

    • Hmmm…dá sim.

      Estou cheio de tarefas para esta semana, mas se sobrar um tempinho acho que pode ser uma análise legal de se fazer.

      Qualquer coisa atualizo aqui mesmo no post ou escrevo um novo com os dados otimizados.

      Abraços!

      • MarcoK

        Não se preocupe, não é importante. Era só se fosse apertar uma tecla e já sair o resultado.

        • Seria ótimo se tudo na vida fosse assim! 🙂 hehe

          Mais uma vez parabéns pelos resultados Marco!

          Abraços!

  • Marcelo

    Prezado HC… Excelente matéria coroando o ano de 2011 como um verdadeiro aprendizado para todos aqueles que acompanham os mercados de investimentos… Como vc bem disse daqui pra frente teremos com certeza um novo ambiente de investimentos com variáveis muito mais complexas que exigirão dos investidores melhores estratégias para conseguirem retornos superiores à inflação. Gostaria de debater contigo a questão da valorização do ouro em 2011. Em 2010 o ouro fechou cotado a US$ 1,421.60/onça. Em 2011 fechou cotado a US$ 1,566.40. Ou seja, uma valorização de 10,19% em dólares. Como o dólar valorizou 12,58% teríamos então um ganho em Reais acumulado no ano em torno de 23%. Confere o raciocínio? Abraços

    • Confere sim, se você está mencionando o Ouro negociado nos US.

      Já o Ouro negociado no Brasil, através da BM&F, teve uma rentabilidade de 15,85%. Número ligeiramente menor que o GOLD nos US.

      Abraços!

      • Marcelo

        Você saberia indicar algum site com a cotação histórica do ouro na BM&F? Abraços

        • Sim Marcelo!

          Na lição #9 do MiniCurso HC Investimentos falo onde coletar este dado (dados diários do Ouro BM&F desde 1990), além de diversos outros.

          http://hcinvestimentos.com/mini-curso-9-recursos

          Abraços!

          • Marcelo

            Olá Henrique… Obrigado pela informação… Para minha surpresa não há nenhuma correlação de valorização/desvalorização ano a ano do ouro entre os mercados no Brasil e Estados Unidos. Os valores são bem díspares. Porém, no acumulado, após o 11/09 os valores são bem próximos. Se tiver interesse tenho o gráfico comparativo no excel. Abraços e parabéns pelo teu trabalho de informação.

  • Breno

    Chegou ao fim nossa jornada!
    Fiquei em 2º lugar, tá ótimo…rodando por volta de 95% CDI.
    Ainda mais considerando que o nosso campeão, MK é bem experiente, como pudemos ver na entrevista.

    Agora é aprender com os erros para melhorar a carteira em 2012.

    Abraços,
    Breno

    • Breno,

      Parabéns pela sua alocação de ativos.

      Pode ter certeza que aqui não há perdedores, vices, mas somente ganhadores.

      Todos aprendemos e nossa intenção será melhorar a carteira para 2012.

      Sucesso!

      Abraços!

  • Cassio Hungria

    Fala HC, tudo bem ?

    Gostei bastante das analises deste mês…

    Agora, tenho alguns questionamentos…

    Como a volatilidade, o beta e o retorno futuro de qualquer ativo são ignorados, voce concorda comigo que calculadoras de alocação ideal de ativos não servem para muita coisa ? O negócio mesmo é estabelecer suas proporcoes, suas metas e ir rebalanceando…

    Outra coisa… estabeleci minha carteira pra toda minha vida, que é 18% em FII, 30% em RF (10 pos 10 ntnb e 10 ntnf), e 52% em acoes ( 18% bova, 18% csmo11, 16% small11 )… porem, nao sou maluco de comprar todo o 52% em acoes no momento…

    O que fiz foi colocar como objetivo parcial a curto prazo 18%.. caso caia mais, eu vou subindo até 52%… vc concorda ?

    • Olá Cassio!

      Obrigado pela sua participação aqui no HC Investimentos. 

      Alocação ideal é uma ilusão perigosa e que compartilho de sua opinião.

      Entretanto, não ignoraria por completo estes indicadores, principalmente a volatilidade. Ainda não publiquei, mas nos estudos que faço a volatilidade histórica de um ativo não varia tanto, ao contrário do retorno. Logo, usar a volatilidade passada como proxy para a volatilidade futura não é uma má ideia.

      Sobre sua carteira eu gosto desta abordagem.

      Requer um certo acompanhamento do mercado para disparar estas alocações táticas, em que se vai aumentando a participação em ações na queda do mercado e vice-versa. É a estratégia que utilizo, embora é preciso estar consciente que há uma pequena influência de market timing.

      Obrigado pelo comentário.

      Convido você a participar mais vezes aqui no site! 🙂

      Grande Abraço!

  • O blog tá cada dia melhor Henrique. Estou um tempão sem comentar, mas tenho dado uma lida pelo celular quando posso. Tá difícil ficar acessando computador pra postar aqui da Austrália. Meu blog tá meio abandonado, mas depois vou postar o fechamento do ano lá. Valeu meu nobre. 2012 estamos aí =)

    • Fala Victor, tudo bem?

      É, tenho visto alguns tweets seus lá da Austrália. Curtindo bastante né?!

      Boa sorte com o fechamento de 2011 e sucesso em 2012!

      Abraços!

  • Excelente artigo, Henrique! Sempre com o padrão HCI de qualidade, o que é um selo Full HD de padrões acima da média!

    Destaco esse trecho:

    “O foco agora não deve estar na rentabilidade, mas sim onde ele sempre deveria estar, no Risco e em seu controle”.

    Parabéns também aos investidores das carteiras analisadas por aqui! Demonstram que seguiram e aprenderam na prática as lições do mestre Henrique!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    • Grande Guilherme!

      Muito obrigado pelo valioso comentário.

      Desejo sucesso para você e o seu excelente site Valores Reais em 2012 e espero que consiga alcançar e superar suas metas.

      Grande Abraço!

  • muito legal msm..
    só queria saber qdo vc vai abrir vagas para o BBB das carteiras de 2012..=)

    grande abraço,
    Adriano

    • Em 3…2…1…Veja o artigo recente aqui no site! 🙂

      Abraços!

  • Helison

    Olá Henrique.

    Fiquei com uma duvida acerca das rentabilidades por classe.

    Na analise da carteira destaque vc usou uma rentabilidade para ações no valor de 0,46%.

    O calculo usado foi =SOMA(PIBB11;SMAL11;BOVA11)…..

    Ou foi =MULT(PIBB11;SMAL11;BOVA11)….

    Ou ainda =SOMARPRODUTO(MULT( (PIBB11;SMAL11;BOVA11)+1)-1)….

    Qual conta foi usada, pois não consigo encontrar o valor de 0,46% nem a porrete…..

    Desde ja agradeço a atenção….

  • Helison

    Na verdade a unica rentabilidade que eu entendi foi o da CC 0,56%, pois é só ela.

    Explica a metodologia de calculo por gentileza.

  • Helison

    Estou fazendo tais perguntas pois venho tentando calcular o Hedge Ratio das carteiras da serie, bem como o Hedge Ratio Observado e estou tento muita dificuldade.

    Se for possível me ajudar, ficarei gratíssimo.

  • Pingback: Alocação de Ativos em 2013()

  • Pingback: Alocação de Ativos em 2012()

eBook-alocacao-ativos