PIBB11: Diversifique em 50 Ações através de 1 Único ETF

pibb11

PIBB11 foi o primeiro ETF a ser negociado no Brasil.

Ele foi lançado em 15 de julho de 2004.

Tendo o índice IBrX-50 como seu benchmark, ele está presente na carteira de investimentos de vários investidores preocupados com a diversificação.

Neste artigo, você encontrará todas as informações necessárias sobre este modo de investir em ações. Dentre elas:

  • Composição PIBB11
  • Rentabilidade Histórica
  • Risco Anual Histórico
  • Taxa de Administração
  • Imposto de Renda

Continue lendo este artigo para saber mais sobre o PIBB11 e o porquê você deveria considerar o investimento em ETFs.

PIBB11: Informações Gerais

Nesta seção, o objetivo principal será mostrar as informações gerais do fundo.

O gráfico abaixo resume essas informações e, mais abaixo, você confere os detalhes.

PIBB11-Dados-Gerais

Índice de Referência

O índice de referência (benchmark) do PIBB11 é o IBrX-50, que sumariza as 50 ações mais líquidas no Ibovespa. Para mais informações sobre o IBrX-50 consulte este PDF.

Data de Lançamento do PIBB11

O ETF foi lançado no dia 15/07/04.

Composição PIBB11: 10 Maiores Ações do ETF

Veja novamente o gráfico acima com as 10 maiores ações que compõem o PIBB11.

Negociação

Sua negociação é realizada através do lote de 10 cotas, ao contrário do lote de 100 das ações individuais, como PETR4.

Taxa de Administração PIBB11

0,059% ao ano.

Imposto de Renda PIBB11

Tratando-se de um fundo, não há isenção para vendas abaixo de R$20.000 mensais.

A alíquota de imposto de renda é de 15% sobre o ganho de capital (lucro).

Vantagens de Investir no PIBB11

Diversificação

Esta seção é um “repeteco” das vantagens de investir em um ETF como o PIBB11 ou o BOVA11.

1. Diversificação em 50 ações

Estudos indicam que uma diversificação adequada em ações deve considerar, no mínimo, 30 ações para diluir o risco.

Investir em tantas ações individuais geraria um enorme custo, além de uma necessidade de estudar e monitorar as ações investidas.

Entretanto, através de ETFs como o PIBB11, você consegue investir em um índice inteiro (no caso o Ibovespa) pagando uma única corretagem.

Esta é uma grande vantagem, já que auxilia o investidor a reduzir o nível de risco de sua carteira de investimentos.

2. Reinvestimento Automático dos Dividendos

Um dos problemas do investimento em ações individuais é o dinheiro parado na conta pelo recebimento dos dividendos.

Ao receber, por exemplo, R$ 100 em dividendos, o investidor nada pode fazer para investí-los, já que o valor é muito baixo para comprar uma ação.

Se a corretagem for de R$ 10, por exemplo, ele já perderia 10% do capital investido.

Logo, a solução nestes casos é esperar novos aportes ou acumular mais capital para investir.

Entretanto, dinheiro parado na conta não rende juros sobre juros.

Ao investir automaticamente os dividendos, os ETFs garantem que o seu dinheiro estará sempre aplicado.

3. Aluguel de Ações Automático

Boa parte das ações do PIBB11 são alugadas para terceiros, gerando renda extra para o fundo.

Você não precisa se preocupar com isso, já que o processo é comum nos ETFs e é realizado de forma automática.

Esta renda extra, mesmo que pequena, ajuda a pagar uma parte da taxa de administração cobrada pelo fundo.

Está gostando desse artigo?

Coloque seu email abaixo para receber novas atualizações do site, assim como nosso curso de investimentos 100% grátis.

Ícone curso Curso 100% grátis!

Junte-se a leitores que recebem as nossas 10 aulas grátis sobre investimentos!

PIBB11: Dados Históricos

Dados

Nesta seção você poderá acompanhar os principais indicadores que um investidor deve se preocupar.

Eles reforçam a ideia de que o investimento em ETFs está crescendo cada vez mais.

Liquidez PIBB11

PIBB11-Liquidez

A liquidez do PIBB11 não é tão alta como no BOVA11, mas também não está em um patamar capaz de atrapalhar o investidor.

A média diária está em torno de 75 negócios.

Volume Financeiro PIBB11

PIBB11-Volume

O mesmo pode ser dito em relação ao volume financeiro em relação ao número de negócios.

A média dos últimos 12 meses é de R$ 2,5 Milhões.

Rentabilidade PIBB11

A rentabilidade acumulada do PIBB11 desde seu lançamento (15/07/2004) até 15/02/2012 é de 242,95%.

Trazendo este número para termos anuais temos que:

A rentabilidade anual do PIBB11 histórica é de 18,05%.

Risco PIBB11

O risco anual do PIBB11 historicamente (de 15/07/2004 até 15/02/2012) é de 32,44%.

Este tipo de cálculo você pode fazer sem problemas através da planilha de risco.

Evolução do Valor da Cota ao Longo do Tempo

PIBB11-Evolução-Valor-Cota

Desde sua criação, esse fundo de índice oscila entre R$ 25 e R$ 110.

A maior alta ocorreu entre o período de lançamento e o final de 2007, em que o ETF mais que triplicou seu valor.

Aderência ao Índice IBrX-50

Aderência é uma preocupação de todo investidor em um fundo de índice.

Afinal, se o objetivo do fundo é seguir um índice, no caso o IBrX-50, sua rentabilidade deve ser muito próxima deste índice.

O PIBB11 possui diferença (positiva) de rentabilidade de 0,12 % em relação ao IBrX-50 nos últimos 12 meses.

É um número surpreendente, já que o tracking error (ou erro de aderência) costuma ser negativo.

Para saber mais sobre aderência e ter informações atualizadas, veja este link do site do PIBB.

Conclusão

O PIBB11 ainda é uma ótima alternativa para o investidor em ações adotar em sua estratégia de alocação de ativos.

Sua capacidade de diversificar entre as 50 ações mais negociadas do Ibovespa traz menos riscos do que escolher ações individualmente.

Porém, após ler o artigo sobre o BOVA11 e ler este artigo sobre o PIBB11 a pergunta que você deve estar se fazendo é:

BOVA11 x PIBB11: Qual é a melhor opção para o investidor?

A resposta virá no próximo artigo, que será publicado nesta segunda-feira, dia 27/02 . 🙂

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • sheila

    50% pibb11 e 50% bova11 é uma boa estratégia pro longo prazo? melhor esperar o próximo post né, rs

    • Olá Sheila!
      Na minha opinião é uma estratégia melhor do que investir diretamente em ações individuais.No próximo post trarei a conclusão entre estes 2 ETFs.Abraços!

    • kalika12

      Sheila,pode até ser uma boa estratégia,mas o melhor é analisar a composição da carteira das duas e investir apenas em qual achas ter mais chances de sucesso ( eu prefiro BOVA11,por exemplo XD )

      • Dependendo do tamanho da carteira de investimentos investir em 2 ETFs bem parecidos só traria um custo adicional.

        Abraços!

  • Eliseu

    Henrique,  o IR é retido na fonte na hora da venda, ou o investidor precisa seguir algum processo posterior para pagar o imposto?

    • Olá Eliseu!

      O IR Não é retido na fonte. Cabe ao investidor cuidar da declaração do imposto.

      Abraços!

  • Henrique,
    Liquidei minha Carteira de Ações em novembro passado e ainda estou em dúvida se devo comprar ações ou ETFs.
    São muitas as vantagens de aplicar em ETFs, mas não consegui vislumbrar que ganho terei com dividendos e bonificaçoes que serão incorporados ao ETF. Não me parece que terão influência no preço que o mercado vai me pagar na hora da venda de ETFs.
    Poderia aclarar esse assunto para mim ou deveria ser considerado como uma das desvantagens do ETF ?
    Grato e parabéns pelas suas postagens !
    Helio

    • Olá Helio!

      Assim como o Ibovespa incorpora os dividendos, os ETFs também incorporam todos os dividendos distribuídos pelas ações. Porém, você apenas não os recebe na conta da corretora.

      Eles são automaticamente reinvestidos, o que considero uma vantagens, já que você não precisa se preocupar com dinheiro parado em conta.

      A desvantagem do ETF é o IR de 15% sobre o lucro, independente das vendas mensais serem abaixo de R$ 20.000 ou não.

      Abraços!

  • Excelente resumo sobre o PIBB11!!!

    Estou ansioso para chegar o dia 27/02. Chega sexta-feira, mas não chega segunda….hehehe

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    • hahaha

      Obrigado pelo comentário amigo!

      A conclusão ficou bem legal. Segunda publico!

      Abraços!

  • Bruno

    No começo de 2005, tinha 19 anos  e nem sabia muito bem o que era isso, peguei minhas parcas economias da época (6 mil) e dividi em quatro fundos da CAIXA:
    Petro
    Vale
    Dividendos
    PIBB11

    E “esqueci” o dinheiro lá. Todos me deram um retorno substancial quando resgatei, um ano depois. 
    Bons tempos que a bolsa só subia, hehe.

    Interessante é que nesse meio tempo li muito sobre investimentos, minha carteira aumentou (mas nao muito..) mas “teimo” em tentar vencer o mercado. 
    Acho que estou começando a aprender (mesmo já tendo lido isso há muitos anos) que o que interessa é a disciplina e os aportes mensais. O resto o tempo faz por você. 
    Acho que todo mundo deve manter uma ou outra “aposta”, ou seja, uma açãozinha aqui, uma eztc3 da vida… muito mais do que isso é perder tempo no HB e, em geral, levar fumo.

    Abs

    • Olá Bruno!

      Embora não exista um caminho único para a riqueza, quanto mais eu estudo o mercado mais vejo que não vale a pena tentar bater o mercado.
      Principalmente quando avaliamos o tempo necessário para esta tarefa. Como você disse, disciplina e aportes mensais fazem a diferença. O resto o tempo cuida.Grande Abraço!

  • Estes artigos estão ótimos…
    Aguardo ansiosamente a conclusão.

    Abraço.

  • John

    henrique, e qual o momento de comprar? tanto o pibb ou o bova. penso em aplicar o $$ e resgatar só daqui 10 ou 15 anos, então vai fazer grande diferença se eu comprar já ou esperar um pouquinho pra ver se a cotação baixa? 

    • Olá John!

      “Esperar um pouquinho para ver se a cotação baixa” é muito subjetivo.”
      Nada garante a você que isso poderá ocorrer.

      Atente apenas para sua alocação de ativos. Se ela está alinhada com suas metas e seu perfil de risco não precisa comprar. 

      Porém, se está com muito dinheiro em caixa e a alocação em ações está abaixo do normal você não deve olhar para o preço. Simplesmente deve comprar o ativo.

      O difícil aqui é saber exatamente qual é a alocação padrão para você.

      Abraços!

  • Helio

    Olá Henrique!
    Por favor me tire essa duvida: os outros ETF´s tem valor de referencia de cotas. Mas o PIBB não tem! Como saber se estamos comprando mais caro ou mais barato em relação ao seu real valor?
    Um abraço, Helio.

  • TBB

    Henrique parabéns
    novamente pelos post sobre os ETFs. Espero que tenhamos mais sobre
    este assunto. Não sei se concorda comigo mas o PIBB em minha opinião
    foi feito para ser a principal estrela da bolsa, com qualidades como
    boa diversificação da carteira e baixíssimo custo. Porém com o
    tempo o mesmo perdeu seu brilho o que resultou em queda de liquidez,
    divulgação e rentabilidade. Não saberia dizer o motivo, talvez
    falta de incentivo do seu emissor. Atualmente acredito que o BOVA11
    ocupe o lugar de maior destaque e assim permanecera por bastante
    tempo.  

  • VCBN

    Oi, Henrique! Parabéns por mais um excelente artigo! Queria saber sua opinião sobre o novo fundo indexado lançado pela Órama (obs: não trabalho lá, rsrs…). Trata-se do fundo Órama Bolsa Mid Large – Small Cap. A idéia básica do fundo é que 50% dos ativos estejam indexados ao Mid Large Cap do Ibovespa e os outros 50% indexados ao Small Cap. A taxa de administração varia de 0,3% a 0,5% a.a. Sempre tive receio de investir em ETF`s por conta dos cálculos de I.R. na venda das cotas. Fiquei animado com este fundo mútuo indexado (e diversificado) com taxa de administração digna de ETF. Você já ouviu falar dele? Qual a sua opinião?

    Abraço! 

    • Olá VCBN!

      Parece muito interessante!

      A vantagem deste fundo passivo em relação aos ETFs é que você não precisa se preocupar com a liquidez no mercado secundário. Além disso, sua taxa de administração é menor do que os ETFs tradicionais e você não paga corretagens.

      Note que 90% do fundo é indexado e os outros 10% são livres para diversos investimentos.

      Obrigado pela indicação. Embora eu já conhecesse o trabalho da Órama ainda não sabia da existência de fundos passivos no leque de fundos deles. É um ótimo caminho para o investidor.

      Abraços!

      • Major

        Como é a tributação deste fundo ? Mensal, anual ? Ou só no resgate com em ETFs ?

        Abs

        • VCBN

          Oi, Major!
          Respondendo ao questionamento (direto do regulamento do fundo): “Artigo 37Os cotistas terão seus rendimentos, quando auferidos, sujeitos ao Imposto de Renda na Fonte, incidente exclusivamente no resgate de cotas à alíquota de 15% (quinze por cento).”

  • Marcos-BSB

    Putzgrila, até hoje ninguém soube explicar essa “vantagem” do Reinvestimento de dividendos…
    Se são reinvestidos, porquê o seu número de cotas não aumenta????
    Pois se amanhã o valor da cota cai para x/2 (mercado de capitais é isso, bolsa de valores é isso!), taí você com o mesmo Y de ações valendo X/2 e chupando o dedo…

    • Olá Marcos!

      O número de cotas aumento dentro do próprio ETF. Porém, nós que somos investidores vemos apenas a valorização da cota, que já incorpora esse aumento de cotas.

      Não é um assunto fácil de explicar, mas pense como o Índice Bovespa lida com isso. Ele reflete todos os dividendos distribuídos pelas empresas. Logo, a sua valorização incorpora tanto os dividendos distribuídos como o ganho no valor da cota das empresas.

      Abraços!

      • adriano

        eu tambem nao entendi isso de os dividendos serem reaplicados?ex;se eu tenho 100 cotas da DIVO11,se eu nao fizer aportes,em 10 anos eu vou ter as mesmas 100 cotas?desculpe minha inocencia,mas nao consigo entender isso ainda,pois achava que os dividendos replicados virariam mais cotas..

        • Eduardo Ferreira

          Imagino que seja o mesmo princípio dos fundos. Você tem um número de cotas do fundo, ou seja, tem um percentual do mesmo. Quando o dividendo é reinvestido, automaticamente o valor total do fundo aumenta, pois o capital aplicado agora é maior. Sendo assim, sua cota (percentual) vale mais.

          Exemplo bobo: O valor total do fundo é de R$1MM e você tem cotas que correspondem a 1% do fundo, ou seja, R$10 mil. Se os dividendos foram de 5% e os mesmos foram reinvestidos, o valor total do fundo agora é de R$1.050.000,00. Suas cotas agora valem R$10.500,00.

          Abs.

  • bruno

    Olá Henrique,

    Recentemente, descobri esse blog e tenho consumido muito do material aqui publicado. Parabéns pelo excelente trabalho!

    Invisto em ações há 2 anos e já passei por algumas das fases típicas do investidor iniciante, tais como: apostar em micos, tentar a sorte em empresas de qualidade duvidosa tendo como base apenas análise gráfica, etc. Hoje, estou curado desses males. Tenho investido apenas em empresas sólidas e pagadoras de dividendos.

    No fim do ano passado, interessei-me pelo método dos aportes duplicados após ler artigo no blog do Portinho e que inclusive já foi comentado aqui no HC. Acredito que pode ser uma boa diversificação para meu portfólio. Coloquei como uma das minhas metas para o começo de 2012, iniciar um investimento baseado no MAD, mas faltava definir o ativo.

    Penso em usar aportes entre R$ 200 e R$ 6400 e acho que tanto o PIBB quanto o BOVA são boas opções. Estou estudando como implementar com o menor custo possível.

    A melhor opção que vislumbrei até agora foi usando o fundo BB Ações PIBB, que tem taxa de administração de 1,5% aa. Não sou fã da taxa de adm, mas acredito que seja vantajosa quando comparada com as corretagens dos aportes mensais, especialmente nos meses em que os aportes forem baixos. Gostaria de saber a tua opinião sobre essa opção e também sugestões alternativas. 

    Desculpe pelo tamanho do comentário e muito obrigado!

    Bruno

    • Olá Bruno!

      Entendo sua preocupação e posso dizer que está no caminho correto.

      Embora eu defenda sempre os ETFs, este valor que você pretende investir não seria adequado para aportar mensalmente em ETFs (acredito que você colocou “6.400” ao invés de “640” né?), já que a corretagem comeria boa parte do seu lucro.

      A alternativa são estes fundos indexados. Porém, lembre-se sempre de diversificar sua carteira incluindo também títulos públicos. No TD os custos não são fixos. Logo, investir uma pequena quantia não prejudica o investidor. O custo normalmente é de 0,4% ao ano.

      Abraços!

      • Olá HC,
        Desculpe intrometer, mas já intrometendo…rs
        Creio que o Bruno quis dizer 6.400 mesmo.
        Pois o “caminho”  dos aportes duplicados seriam de 200, 400, 800, 1600, 3200 e 6400.
        Pensando agora aqui. Talvez seria uma estratégia legal para o Bruno investir no fundo do BB quando o aporte a ser feito ser até 1600 inclusive. E os de 3200 e 6400 serem feitos no PIBB11 diretamente na corretora e não no fundo do BB.
        Abs!

  • TBB

    Henrique
    alguma justificativa para aderência positiva do PIBB?

    • Olá TBB!

      Não consigo pensar em algo específico, mas o “normal” é a aderência ficar entre -0,5% e 0,5%.

      Abraços!

  • Letícia

    Parabéns por mais um excelente artigo, Henrique! O seu site está sendo fundamental para o desenvolvimento de minha educação financeira! Continue publicando este material de ótima qualidade!

    • Muito obrigado Letícia!

      É uma honra poder colaborar.

      Agradeço pelo seu comentário e convido você a aparecer mais vezes!

      Abraços!

  • Olá Henrique! Primeiramente, parabéns por ambos os artigos referente às ETFs! 

    Fiquei na dúvida com relação à aderência positiva do PIBB11. No seu cálculo, você já desconta a taxa de administração pelo o que entendi, como no caso do BOVA11 a aderência é negativa em -0,35%.No caso do PIBB11 a aderência é positiva, isso significa que nos últimos 12 meses o investidor teve um ganho acima do IbrX-50, mesmo descontando a taxa de adm?!

  • Pingback: SMAL11: Pequenas Empresas, Grandes Negócios()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Março 2012()

  • nickmga

    Olá Henrique, tenho acompanhado o site, e estou contente com as informações que tenho buscado aqui. Parabéns. Estou pensando em investir em ETF`s, DIVO11 e CSMO11, mas vejo a baixa liquidez como uma barreira. Você acha viável investir nesses fundos que mesmo com formador de mercado ainda tem baixa liquidez?

    Obrigado!

    • Olá!

      Ainda não estou investindo nesses ETFs e a liquidez é um problema mesmo. Prefiro aguardar um pouco para ter mais dados para analisar.

      Abraços!

  • Pingback: 5 Vantagens dos Fundos de Índice: PIBB11, BOVA11 e SMAL11()

  • A primeira vez que ouvi falar do PIBB11 foi em 2006, num curso de Finanças Pessoais que fiz na UFSC. Mas de lá pra cá muita gente me recomendou não entrar nessa, pq ele rende pouco, e tal. Me parece que eles nao levaram em conta que o PIBB11 é apenas para aplicar parte da grana (a parte pra diversificar). Ou será que eles têm algum bom motivo pra ser contra esse fundo? Em outras palavras, que os criticos tem de sólido contra o PIBB11 ?

    • Provavelmente eles acreditam que podem obter uma rentabilidade maior do que o PIBB11 através das escolhas próprias de ações individuais.

      É possível sim, mas não é fácil. Tanto é que 2/3 dos fundos ativos em ações perdem para o Ibovespa.

      Acho o PIBB11, BOVA11 e SMAL11 ótimas escolhas para qualquer tipo de investidor, seja iniciante ou experiente. A diversificação proporcionada é uma vantagem e tanto.

      Abraços!

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Maio 2012()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Fevereiro 2012()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Abril 2012()

  • Pingback: Os melhores investimentos: Conheça a Tríade Financeira()

  • Gustavo

    Olá Pessoal, queria saber o que acham do DIVO11 como opção ao BOVA11.
    Obrigado
    Gustavo

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Julho 2012()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Agosto 2012()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Setembro 2012()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Outubro 2012()

  • Pingback: Um Manifesto pelos ETFs: 10 Sábios Pensamentos sobre Investimentos Passivos : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Novembro 2012()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Dezembro 2012()

  • Pingback: Retrospectiva do Mercado Financeiro em 2012 (Dados e Gráficos)()

  • Pingback: Retrospectiva 2012: O que aconteceu no Mercado Financeiro (e as 90 Carteiras) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Pingback: Como Funciona o Reinvestimento de Dividendos nos ETFs?()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Junho 2012()

  • Pingback: 5 Vantagens dos Fundos de Índice: PIBB11, BOVA11 e SMAL11()

  • Pingback: BOVA11 x PIBB11: Qual é o Melhor ETF? Conheça suas Diferenças()

  • Pingback: BOVA11: Informações Gerais, Dados Históricos e Vantagens()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Maio 2012()

  • Pingback: ETFs: 10 Frases e Pensamentos que Você precisa conhecer()

  • Pingback: Alocação de Ativos Negativa. É possível?()

  • Rafael Damaceno

    Ola Pessoal, gostaria de saber mais um pouco sobre as ETFs IVVB11 e a CSMO11 , alguem conhece essas ETFs? vale investir nelas?

  • Osvaldo

    Olá Henrique, você teria os valores das cotas do PIBB11 na primeira emissão em jul/2004 e na segunda em out/2005. Realizei recentemente a venda das cotas que possuía e preciso calcular o ganho líquido para apurar o IR devido (15%), para tanto necessito desses valores para obter o custo médio ponderado da cota.
    Não tenho mais os prospectos (primeira e segunda distribuição de papeis pelo BNDES) e também não encontrei essas informações nos sites da Bmfbovespa, BNDES e do Itaú. Poderia me ajudar? Obrigado. Osvaldo

  • Ivone Santos

    Henrique, boa tarde! Tenho uma dúvida: eu tive até o ano passado, cotas PIBB através do Banco do Brasil. Com a venda delas no ano passado, e tendo que colocar no imposto de renda, como fica o lançamento? Agradeço muito. Ivone

eBook-alocacao-ativos