90 Carteiras, 51 Ativos e 1 Único Objetivo: Aprender! (Resultados de Ago/2012)

carteiras-de-investimentos-2012

Olá Amigos!

Essa é a 8ª atualização da série Alocação de Ativos em 2012.

Todas as atualizações você pode acompanhar na seção carteiras de investimentos aqui no blog.

A média das 90 carteiras nesse mês foi de 2,29%.

Continue lendo essa atualização para saber mais sobre:

  • Quais são os ativos mais comuns entre as carteiras?
  • Estatísticas surpreendentes sobre as carteiras
  • Rentabilidade Mensal dos 51 Ativos e das 90 Carteiras
  • Ranking das Carteiras
  • Qual carteira possui o maior índice de sharpe?
  • Carteira Destaque do Mês
  • Relação entre risco x retorno das 90 carteiras
  • Evolução das 5 melhores carteiras x CDI x IBOV

Conheça as 90 Carteiras de Investimentos

Acompanhe abaixo os dados sumarizados dessas 90 carteiras.

1. Alocação de Ativos Média das Carteiras (Classes de Investimentos)

Alocação Média das Classes das Carteiras de Investimentos

Uma das primeiras surpresas que tive quando comecei a receber as planilhas foi saber que vários investidores estavam utilizando o modelo 4-3-2-1.

Ele se refere a: 40% Renda-Fixa; 30% Ações; 20% FII e 10% Câmbio.

A diferença da média para este modelo é que os investidores preferem tirar 5% do Câmbio para investir esses 5% em Ações.

Na minha opinião é uma boa escolha, já que nem toda carteira deve alocar em câmbio.

2. Ativos que Receberam a Maior Alocação

Cada círculo azul no gráfico acima se refere a um ativo.

No eixo Y você pode ver a participação de cada ativo na carteira média.

No eixo X você acompanha a posição (ranking) desses ativos nos 51 ativos presentes.

O ativo com maior média de alocação foi a LFT 2015, seguida pela LTN 2015 e pelo BOVA11.

Analisando os ativos preferidos nota-se que não há nenhuma ação individual ou fundo imobiliário, o que significa que o público do HC Investimentos tende a diversificar mais sua carteira, alocando em ativos que sintetizam melhor um índice.

A lanterna fica com TAMM4, com uma alocação média de apenas 0,06%.

Warren Buffet, no livro The Intelligent Investor, já citou detestar companhias aéreas…

Não sei se é coincidência, mas os investidores parecem concordar com ele.

3. Estatísticas Interessantes e Surpreendentes sobre as Carteiras

Estatísticas das Carteiras de Investimentos

Separei 7 itens do tipo: “Você Sabia?”

  1. Além de 52% das Carteiras Investirem nas 4 Classes, 83% investem em 3 classes de Investimentos.
  2. Além de 21% das Carteiras Investirem mais de 50% em Renda-Fixa, apenas 9,52% investem mais de 50% em Ações.
  3. Costumo dizer que o investidor deve investir, no mínimo, em 5 fundos imobiliários diferentes. Neste caso, o baixo número de 63% me preocupa.
  4. Além desta regra de bolso de 5 fundos imobiliários, cito que uma diversificação ideal seria acima de 10 fundos imobiliários. Somente 30% passaram neste teste.
  5. 42% das Carteiras Investem somente em ETFs de Ações na Classe Bolsa. Até que o número me surpreendeu positivamente.
  6. 42% das Carteiras Investem em um Mix de ETFs e Ações Individuais. Aqui era onde esperava a maior concentração de investimentos.
  7. 17% das Carteiras Investem somente em Ações Individuais na Classe Bolsa. Será interessante analisar o retorno x risco destas carteiras.

Nota: Pode haver pequenas distorções nos números por questões de aproximações.

Rentabilidade Mensal

Após esses gráficos introdutórios sobre as 90 carteiras participantes, precisamos analisar o retorno dos 51 ativos que as compõem.

Somente desse modo saberemos o quanto cada carteira obteve de rentabilidade nesse mês.

Nota: A rentabilidade apresentada pode ser ligeiramente diferente de alguma base de dados, já que ela é calculada através de dados diários, ao invés de simplesmente pegar o dado mensal de uma fonte.

É um gráfico bem extenso, mas resume em detalhes todos os ativos.

Se você não está acostumado com esse tipo de gráfico vou relembrar suas principais informações:

  1. O gráfico reflete um ranking decrescente. Logo, de cima para baixo temos os ativos com maior rentabilidade.
  2. Existe uma divisão (linha cinza) entre ativos com rentabilidade positiva (barras azuis) e rentabilidade negativa (barras vermelhas).
  3. Cada classe de investimento recebe uma cor para facilitar a visualização do retorno: Renda-Fixa (azul); FII (verde); Câmbio (laranja) e Bolsa (vermelho).

A rentabilidade e as análises desses 51 ativos foram divididas em 6 gráficos diferentes:

1. Distribuição do Retorno Mensal dos Ativos

Ao invés de analisar uma longa tabela + um gráfico que mais parece um arranha céu, que tal analisar a distribuição do retorno mensal de cada ativo?

O gráfico é simples. No eixo vertical (Y) temos o retorno mensal de cada ativo.

No eixo horizontal (X) temos a posição no ranking de rentabilidade do ativo.

Logo, analisamos da esquerda para à direita os ativos com maior rentabilidade.

EVEN3 foi o destaque do mês, com rentabilidade de 17,56% e KNRI foi o fracasso do mês, com rentabilidade de -15,32%.

Todos os detalhes sobre as carteiras em breve…

Mas antes…

2. Retorno Mensal das Classes de Investimentos

Este gráfico coleta a rentabilidade média de cada tipo de classe.

Por exemplo, a Classe Bolsa possui 23 ativos, sendo 3 ETFs e 20 ações.

Logo, calcula-se a média (sem ponderação) para essa classe, assim como para todas as outras.

Nesse caso, a média da classe Bolsa é de 2,36%, valor ligeiramente superior ao retorno de BOVA11 no mês, de 1,91%.

O ETF PIBB11 apresentou rentabilidade de 0,59% e o ETF SMAL11 7,89%.

Para saber mais sobre a relação entre BOVA11 x PIBB11 leia essa análise comparativa que fiz entre os dois.

A classe Fundo Imobiliário foi (novamente) a que obteve melhor resultado no mês, com alta de 2,93% na média.

3. Distribuição do Retorno Mensal da Classe Renda-Fixa

Novamente, um gráfico que analisa a distribuição do retorno.

Porém, agora os ativos são rankeados dentro de sua própria classe. No caso, Renda-Fixa.

Com a pequena subida dos juros futuros no final do mês, LTN 2015 e NTN-BP 2015 tiveram rentabilidade abaixo da LFT 2015, título pósfixado.

4. Distribuição do Retorno Mensal da Classe Fundos Imobiliários

O ativo destaque para os fundos imobiliários foi o FLMA11, com rentabilidade de 15,55%.

Do lado negativo, o fundo KNRI11 apresentou o pior resultado, com rentabilidade de -15,32%.

Embora sejam fundos imobiliários e não apresentem a mesma magnitude de risco das ações, perceba a variação do retorno entre eles em um único mês. Portanto, nunca esqueça de diversificar.

No longo prazo, uma carteira com Renda-Fixa + FII + Bolsa, formando a Tríade Financeira, tende a obter uma relação risco x retorno muito melhor do que uma carteira somente com Renda-Fixa + Ações.

5. Distribuição do Retorno Mensal da Classe Câmbio

É importante lembrar que os ativos cambiais possuem um correlação negativa com o Ibovespa e tendem a apresentar na maioria das vezes resultados opostos ao índice.

6. Distribuição do Retorno Mensal da Classe Bolsa

Mais uma vez note a variação de retorno entre a melhor ação (EVEN3 +17,56%) e a pior ação (CMIG4 -11,56%).

A alta volatilidade e risco das ações individuais nos obriga a escolher diversas delas para não sofrer tanto em momentos de pânico e não deixar de aproveitar momentos de euforia.

O debate entre ações individuais x ETFs de Ações irá sempre existir. Independente da sua preferência, diversifique sempre!

Ícone curso Curso 100% grátis!

Junte-se a leitores que recebem as nossas 10 aulas grátis sobre investimentos!

Carteiras de Investimentos: Ranking no Mês

clique na imagem para ampliar

Na tabela acima você pode ver a rentabilidade mensal das 90 carteiras enviadas, ordenadas pelo ranking de rentabilidade no mês.

A carteira líder no mês é a AMR, com uma rentabilidade de 7,94%.

A alocação dessa carteira é de 100% apenas 1 Fundos Imobiliário (BBRC11).

Vale lembrar que essa é a carteira com o segundo pior índice sharpe e a carteira com maior risco.

Tudo por conta da ausência da diversificação.

Distribuição do Retorno Mensal das Carteiras de Investimentos

Agora você já deve estar acostumado com este gráfico da distribuição do retorno.

Neste caso, temos o retorno mensal das carteiras através do ranking da posição da carteira.

Carteiras de Investimentos: Ranking (Acumulado)

clique na imagem para ampliar

Na tabela acima você pode ver o ranking da rentabilidade acumulada das 90 carteiras enviadas.

A carteira líder continua sendo a XAR, com uma rentabilidade de 36,11%.

Distribuição do Retorno Acumulado das Carteiras de Investimentos

Acima, o gráfico de distribuição do retorno acumulado as 90 carteiras analisadas.

Na liderança isolada, segue a carteira XAR.

Carteira Destaque do Mês

O destaque desse mês é a carteira CPC com rentabilidade de 5,82%.

O motivo dela estar aqui como destaque é porque apresentou o 2º melhor resultado no mês, 3º no geral e uma boa diversificação extra-classe com 45% em Ações, 30% em RF e 25% em Fundos Imobiliários.

Entretanto, apesar desses bons resultados de rentabilidade, ela não está entre as 10 carteiras com maior índice de sharpe.

O motivo é que sua alocação é de: 25% BOVA11, 20% SMAL11, 25% BCFF11B e 30% NTN-BP 2024.

Note que, apesar da boa diversificação extra-classe (3 classes diferentes com pequenos desequilíbrios), a diversificação intra-classe não é das melhores.

Tendo apenas 1 fundo imobiliário e 1 título público, a carteira deixa a desejar na diluição do risco.

Sendo a 3ª carteira com maior rentabilidade, ela está entre as 15 carteiras com MAIOR risco das 90 analisadas.

É por esse motivo que seu índice de sharpe é apenas o 19º da lista.

Veja no gráfico abaixo as 10 carteiras com maior índice de sharpe:

Esse mês provocou novamente um mudança no índice de sharpe e agora a carteira XAR está na liderança.

Briga boa de se analisar. 🙂

Retorno x Risco das Carteiras

O retorno anualizado aparenta ser muito alto para algumas carteiras devido ao curto período de 7 meses e retornos acima de 15%.

O maior retorno (mais acima) é da carteira XAR.

O menor risco (mais à esquerda) é da carteira LASA.

Portanto, quanto mais acima e mais à esquerda a carteira estiver, significa que ela obtém a melhor relação risco x retorno.

Através desse gráfico torna-se difícil saber qual a melhor relação risco x retorno porque não sabemos exatamente o quanto de retorno adicional compensa por cada unidade de risco.

Conclusão

Até o final de agosto/2012 temos os seguintes números:

  • A rentabilidade média das carteiras acumulada no ano é de 14,34%
  • A rentabilidade do CDI em 2012 é de 6,14%
  • A rentabilidade do Ibovespa nesse ano é de 0,54%
Com esses números conseguimos chegar a uma importante conclusão:
  • O índice de sharpe do Ibovespa é de -0,24 (sua volatilidade anual é de 23,33%)
  • O índice de sharpe da média das carteiras é de 1,13 (sua volatilidade anual é de 8,63%)

Portanto, as carteiras estão obtendo um retorno bem acima do CDI (235% do CDI) e do Ibovespa, com um risco praticamente 3x menor do que a Bolsa.

Analisar os resultados dessas 90 carteiras diferentes permite amplo uso de dados para verificar conceitos como:

  • Diversificação de Carteiras
  • ETFs x Ações Individuais
  • Minimização de Risco
  • Número adequado de fundos imobiliários para investir
  • Correlação entre as diferentes classes

E o mais importante …

… Como cada carteira se comporta em diferentes cenários.

Não temos o poder para adivinhar o futuro. Logo, diversificamos.

Continue acompanhando este estudo, porque uma coisa é certa: Todos temos muito a aprender.

Nada melhor do que ativos reais, dados reais, e análises detalhadas de 90 carteiras de investimentos.

Agora é com você!

Como está a sua carteira de investimentos nesse período?

Qual tipo de alocação de ativos você está usando para driblar essa forte queda do Ibov?

Você está satisfeito com os seus resultados dado o seu perfil como investidor e a maneira que montou sua carteira?

Deixe suas ideias logo abaixo na caixa de comentários!

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • Helison

    Uma boa estrategia seria montar uma carteira no qual os ETF’s substituem as ações e após trinta anos investindo, começar a vender os ETF’s e comprar ações de empresas pagadoras de dividendos a fim de obter alto fluxo de caixa?Outra duvida se refere aos valores recebidos a título de aluguel.É possível alugar ETF’s?Os gestores alugam as ações no intuito de angariar recursos para o fundo?Quanto ao lançamento de opções. Há lançamento de opções para ETF’s?Os gestores são autorizados a lançar opções das ações que compõem o fundo no intuito de angariar recursos?Dos n ETF’s que existem, vc aconselha apenas BOVA11 e SMAL11? Sua liquidez e diversificação proporcionada é o que justifica o aconselhamento?Ter os dois seria redundante, dada a alta correlação entre eles?

    Será que seria possivel vc disponibilizar as planilhas que contem as valorizações. Estou precisando delas em formato .xls para fazer alguns estudos.Vc poderia me mandar por email, desde a 1ª atualização?

  • Helison

    Uma boa estrategia seria montar uma carteira no qual os ETF’s substituem as ações e após trinta anos investindo, começar a vender os ETF’s e comprar ações de empresas pagadoras de dividendos a fim de obter alto fluxo de caixa?Parabéns pelo artigo, eu tinha exatamente essa duvida.Outra duvida se refere aos valores recebidos a título de aluguel.É possível alugar ETF’s?Os gestores alugam as ações no intuito de angariar recursos para o fundo?Quanto ao lançamento de opções. Há lançamento de opções para ETF’s?Os gestores são autorizados a lançar opções das ações que compõem o fundo no intuito de angariar recursos?Dos n ETF’s que existem, vc aconselha apenas BOVA11 e SMAL11? Sua liquidez e diversificação proporcionada é o que justifica o aconselhamento?Ter os dois seria redundante, dada a alta correlação entre eles?
    Será que vc poderia disponibilizar a planilha .xls com as valorizações dos ativos, estou precisando para fazer um estudo. Pode me mandar por email?

    • GanhandoMuito

      Tem como alugar ETF sim. Aluguei o meu SMAL11 por 4% a.a

      Pelo que sei eles fazem isso para aumentar a nossa rentabilidade. Por isso a taca de administração não pesa.

      Flw

      • Helison

        Bom saber. Obrigado amigo.

      • Everton

        Da pra alugar o ETF DIVO11 também?

        • GanhandoMuito

          Que eu saiba todo ETF pode ser alugado.

          O problema é que se for comparar a liquidez dos ETFs acho que fica na seguinte ordem (eu acho)
          1º BOVA11
          2º PIBB11
          3º SMAL11

          Já demorou mais de 1 mês para eu conseguir alugar as minhas cotas do SMAL11. Fico imaginando como seria para o DIVO11.

          Mas tente. Pergunte para a sua corretora quanto estão pagando por ano para alugar.

          Abraços

          • @everton

            Sim, mas é o que o GM falou aí em cima! 🙂

            Abraços!

        • Sim, mas é o que o @GanhandoMuito:disqus falou aí em baixo. 🙂

          Abs!

      • Everton

        Tem como lançar opções tb?

        • GanhandoMuito

          Isso não saberei responder rsrs

          Não trabalho com opções

        • É possível lançar opções sim, mas a liquidez (pelo que me lembro) é horrível.

          No mercado americano é muito comum encontrar opções de ETFs.

          Abraços!

      • É possível alugar ETFs, assim como as ações sim.

        Na própria gestão do ETF eles mesmo já alugam as ações para otimizar a sua rentabilidade. Desse modo, eles conseguem rebater parte da taxa de administração cobrada.

        Abraços!

  • Carteira CPC:

    Grande Henrique! Obrigado por destacar neste artigo a carteira CPC, que é minha sugestão de alocação de ativos para essa ótima seção do site. Minha ideia com a carteira é imaginar um investidor Com Pouco Capital, por isso o nome – CPC. Quando fiz ela imaginei um investidor com 10 mil reais que consegue fazer uma boa diversificação extra-classe porem acaba tendo dificuldade de fazer uma diversificação intra-classe. Entendo como dificuldade para esse investidor CPC as taxas de corretagem referentes a investimentos em AÇÔES e Fundos Imobiliários, que acabam consumindo a possível rentabilidade dos mesmos. Gostaria de saber sua opinião sobre isso e alguma sugestão para esse investidor CPC.

    Aproveitando este recado gostaria de te convidar para conhecer o blog que eu fiz: http://ocuriosodapoupanca.blogspot.com.br.

    Admiro teu trabalho e com certeza tu já é referência em alocação de ativos e FII.
    Grande abraço meu amigo!

    • Muito obrigado por participar da série e pelo comentário Rômulo.

      Interessante a maneira que você montou a “Com Pouco Capital”.

      No artigo mais recente sobre o IFIX (índice de fundos imobiliários) eu comento justamente sobre a possibilidade de no futuro ser possível investir nas 3 classes (RF, FII, Ações) com apenas 3 ETFs e mesmo assim ter uma ampla diversificação.

      It’s a brave new world we shall see ahead.

      Abraços!

  • Essas carteiras estão fixas desde o início do ano ou tem mudanças ?

    • Oi Roberto!

      As carteiras estão fixas desde o início do ano.

      Abraços!

  • Everton

    HC,

    Para o investidor PF , você acha importante botar o FGTS como parte da carteira de investimentos?

    • Breno

      Não.
      Ativo ilíquido e que rende pouco.

  • Rodolfo Barbosa

    Vamos lá, minha carteira cada mês subindo!!
    Atenciosamente,

    RB.

  • Breno

    HC,
    Acho que você poderia divulgar o ranking completo do índice de sharpe. tenho curiosidade de saber o meu e acredito que mais gente tenha.

    abs,
    BF

  • Henrique boa noite,
    Porque a rentabilidade do ouro foi de 1,89%? O valor do mes para o OZ1D (BMF) foi de 4,67%. Faço parte da “competição” com a carteira FAGM.

    • Oi Fabio!

      Você está certo. A variação mensal realmente foi de 4,67%.

      É provável que até o momento da coleta dos dados não havia ainda todos os dias disponíveis no site do BC.

      Entretanto, essa diferença é facilmente atualizada no mês seguinte.

      Abraços!

  • Matheus

    Henrique Boa noite,
    Ultimamente venho acompanhando seu blog. E ja gostaria de parabenizar pelo excelente trabalho que vc vem realizando. Apos todas minhas leituras e conhecimentos adquiridos neste blog, decidi me aprofundar um pouco mais em alocação de portfolio ( aprender a estimar riscos, retorno de ativos,construir carteiras otimizadas,volatilidade, estatistica etc…). Assim gostaria de algumas dicas quanto a cursos que vc realizou ou indica para conhecer um pouco mais sobre o assunto, assim como livros recomendados.
    Grande abraço

    • Matheus

      Henrique Boa noite,

      Por favor, ainda estou no aguardo de uma resposta.

      Abrs

eBook-alocacao-ativos