Como Investir em Ouro com apenas R$ 1.000

como-investir-ouro

Como investir em Ouro é uma pergunta muito recorrente que recebo sobre investimentos.

Após pesquisar bastante, conseguir entrevistas com especialistas e testar na prática diversas alternativas para investir em ouro, posso finalmente compartilhar com vocês a melhor maneira que encontrei para investir em Ouro.

O objetivo desse artigo é ser um guia completo sobre tudo o que envolve o tema investir em ouro.

Entretanto, se você já deseja saber qual é a melhor forma de investir em ouro (na minha opinião), adianto que é através do Fundo Órama Ouro, que possui os seguintes benefícios:

  • Aplicações iniciais de apenas R$ 5.000.
  • Taxa de administração de 0,60%.
  • Fundo Passivo, que segue de perto a cotação do Ouro.

Clique AQUI para saber tudo sobre esse fundo de investimento em Ouro.

Continue lendo esse artigo para entender todos os tópicos abaixo:

(ao clicar em um desses links você é direcionado exatamente para o seu respectivo tópico)

Uma Breve História do Ouro

investir-em-ouro

O ouro é conhecido desde a Antiguidade, sendo um dos primeiros metais trabalhados pelo Homem. Conhecido na Suméria, no Egito existem hieróglifos egípcios de 2600 a.C. que descrevem o metal, que é referido em várias passagens no Antigo Testamento.

Ele é considerado um dos metais mais preciosos, e o seu valor foi empregado como padrão para muitas moedas ao longo da história.

A moeda, ou dinheiro como hoje conhecemos, já passou por diversas transformações, seguindo a seguinte ordem:

  1. Escambo (trocas primitivas, especialmente da exploração da natureza, como trigo por exemplo).
  2. Mercadorias-moeda (mercadorias raras, como o sal da Roma Antiga e o dinheiro de bambu na China).
  3. Metalismo (metais preciosos, como cobre, bronze, ferro, prata e ouro).
  4. Moeda-Papel (certificados de depósito com lastro em metais preciosos).
  5. Papel-Moeda (certificados de depósito sem lastro metálico integral).
  6. Moeda Escritural (moeda escritural correspondente a débito e crédito ou invisível, sem existência física, como depósitos bancários).

Cada transformação acima foi necessária para evitar problemas do meio de troca anterior.

O Metalismo, por exemplo, teve um ótima aceitação, já que os metais preciosos possuem uma oferta mais limitada do que gado, por exemplo.

O ouro é raro, durável, fracionável e homogênio. Para a época, esses fatores o fizeram como escolha número 1 para ser instrumento de troca, denominação comum de valores e reserva de valores.

Após séculos servindo como a principal forma de troca, o Ouro foi gradativamente substituído pela moeda-papel e o papel-moeda devido à sua dificuldade de manuseio, transporte e custódia.

A facilidade de realizar pagamentos atualmente através do papel-moeda (notas de dinheiro), cartão de crédito e outras transações sem uso de um papel-moeda, é um fator que dificilmente alguém abrirá mão.

Entretanto, a livre impressão de dinheiro dos Bancos Centrais (com praticamente nenhum lastro em Ouro) possui consequências diretas como inflação e o aumento da dívida pública.

Portanto, diversas pessoas procuram investir em ouro para se proteger dessa falta de lastreamento, que aparece com clareza nas crises financeiras.

O Ouro como Proteção para Crises Financeiras

investimento-em-ouro

Você provavelmente já ouviu falar que o Ouro é um excelente investimento nos períodos de graves crises financeiras, ou seja, quando o Ibovespa está caindo.

Se você nunca percebeu essa correlação, dê uma olhada no gráfico abaixo:

Ouro-Crise-Financeira-2000-2002

Perceba que o investidor que investiu R$ 1,00 em Ouro no período de abril de 2000 até setembro de 2002, teria um retorno de 130%, ou 2,3 vezes o valor investido.

Já o investidor que investiu R$ 1,00 no Ibovespa no mesmo período, teria um retorno de -52,00%.

A correlação entre o Ouro e o Ibovespa não é negativamente perfeita, mas fica clara a demanda pelo metal nesse período de crise, que engloba a bolha das empresas .com na Nasdaq e o atentado terrorista às duas torres nos Estados Unidos.

Veja abaixo outro período de crise que comprova essa correlação negativa.

Ouro-Crise-Financeira-2008

A crise de 2008 foi rápida e intensa. Em apenas 6 meses, o Ibovespa perdeu 50% do seu valor.

Porém, o Ouro subiu 24% no mesmo período, de junho de 2008 até novembro de 2008.

E não é apenas nos períodos de crise financeira que o Ouro possui uma forte demanda, aumentando seu preço.

Veja a seguir todos os números sobre o investimento em ouro.

Investimento em Ouro: Números e Estatísticas

cotação-ouro

Se você deseja pular essa parte sobre estatísticas e saber logo como investir em Ouro, basta clicar AQUI

Para validar essa análise com os números do Ouro, coletei dados diários desde 01/07/1994 (início do Plano Real) até o dia 20/02/2013 do preço do Ouro na BM&FBovespa.

O gráfico abaixo mostra a evolução da cotação do Ouro nesse período.

Evolução do Preço do Ouro desde 1994

Ouro-Diario-1994-2013

Clique aqui para ver a imagem em um tamanho maior. (1020 x 510)

Esse gráfico com dados diários do Ouro mostra diversos aspectos interessantes. São eles:

1. Pouca volatilidade até 1999.

A evolução do preço do Ouro entre 1994 e 1999 foi muito lenta e praticamente ficou no zero-a-zero. O motivo é que o preço do Ouro aqui no Brasil é bastante influenciado pelo Dólar.

Até janeiro de 1999, o padrão cambial no Brasil era o regime de Bandas Cambiais, em que o Dólar só podia variar dentro dessa banda imposta pelo governo.

Após essa data, o valor do Dólar passou a variar livremente, com mais volatilidade e, consequentemente, afetando a cotação do Ouro.

2. Ouro tem rentabilidade de 70% em um único mês.

O mês era janeiro de 1999. A pressão pela desvalorização do Real era grande desde 1994. Porém, devido as bandas cambiais, o valor do Dólar não subia tanto como deveria, caso pudesse varia livremente.

Com o fim das bandas cambiais e o início da livre variação do Dólar, o valor do Dólar subiu praticamente 65% em janeiro de 1999.

O ouro acompanhou essa tendência, com rentabilidade de 70% nesse mês.

3. O forte “Canal de Alta” desde 2008

Tracei no gráfico um canal de alta de 2008 até atualmente (20/02/2013).

Note como o preço do Ouro tocou 3 vezes tanto o topo como na base do canal nesse extenso período.

Não que eu acredite que o preço irá “respeitar” o canal, nem que esse tipo de Análise Técnica seja livre de riscos (leia mais aqui), mas quando uma tendência fica clara em um prazo como esse de quase 5 anos, é, no mínimo, interessante observá-la.

Desse modo, o Ouro tem sua cotação hoje perto dos R$ 100,00, valor praticamente 10 vezes superior ao valor de julho de 1994 (R$ 11,35).

E como a evolução do preço do Ouro se compara com diversos ativos?

A resposta está no gráfico abaixo:

Evo-Ativos-94

Analisando o mesmo período do gráfico anterior, o líder de rentabilidade é o CDI, com valorização em torno de 2868%, ou 29,68 vezes o valor investido desde o início.

Isso significa que se o investidor tivesse investido R$ 100.000 em ativos atrelados ao CDI, ele estaria hoje com R$ 2.968.000.

O mesmo vale para todos os ativos entre julho/94 e fevereiro/13:

  1. CDI: R$ 2.968.000
  2. Ibovespa: R$ 1.673.000
  3. Ouro: R$ 874.000
  4. Dólar: R$ 200.000

Os dados são importantes, porém, sabemos que a política cambial anterior ao ano de 1999 impossibilitava o avanço do Dólar e do Ouro, assim como as taxas de juros na época beiravam 50%, favorecendo investimentos atrelados ao CDI ao contrário dos demais.

E se o início da análise fosse em 1999?

Evo-Ativos-99

O Ouro seria o primeiro colocado em rentabilidade!

Confira o valor para um patrimônio inicial de R$ 100.000 no período entre janeiro/99 e fevereiro/13:

  1. Ouro: R$ 950.000
  2. Ibovespa: R$ 899.000
  3. CDI: R$ 737.000
  4. Dólar: R$ 165.000

Investir em Ouro nesse período foi um ótimo negócio. Leia 3 curiosidades do gráfico:

1. Ouro na frente do CDI? 

Na evolução dos ativos desde 1994 até 2013, o CDI apresentou uma rentabilidade 3 vezes superior ao Ouro. Entretanto, no período de câmbio livre, o Ouro tomou a liderança, com uma rentabilidade anual em torno de 21%, conforme veremos mais abaixo.

2. Bolsa perde fôlego. Ouro ganha.

Desde sua máxima alcançada em 2008, o Ibovespa não tem conseguido superar seu topo histórico e perdeu valor nesses últimos 5 anos.

Muitos analistas ainda reforçam a tese de que a economia mundial ainda não se recuperou da crise e de que novas rodadas de liquidações de ações serão comuns nessa década.

Alguns analistas que idolatram o investimento em Ouro, chamados de gold bugs, vão além e acreditam que o dinheiro como o conhecemos hoje, está em crise, motivo pelo qual muitos estão procurando investimentos em Ouro, como uma forma de retorno às origens (metalismo).

O crescimento desenfreado da dívida americana e seus diversos bailouts são uma causa/consequência desse processo todo, que resulta em uma maior demanda por Ouro.

3. Ouro como Duplo Hedge? 

Ao mesmo tempo que o Ouro cumpre seu papel de proteção (hedge) nas crises financeiras que causam quedas de 50% no Ibovespa, ele também pode ser associado ao retorno do lastreamento do dinheiro.

Isso significa que ao mesmo tempo que ele protege o investimento em Bolsa ele também promove uma certa proteção contra a desvalorização do Dólar, agindo como um duplo hedge (dupla proteção).

Saiba mais sobre hedge (proteção) aqui.

Rentabilidade média do Ouro

ouro-moeda

Esta seção do artigo irá tratar sobre os números anuais do investimento em ouro em comparação com os demais ativos.

Qual seria a sua rentabilidade anual ao investir em Ouro desde 1994?

Retorno-Anual-94

12,43% seria a resposta. Praticamente 1,00% ao mês.

O destaque nesse período (1994-2012) fica para o CDI, com uma rentabilidade anual acima de 20%.

E os dados para 1999?

Retorno-Anual-99

Dessa vez, o Ouro lidera o ranking com rentabilidade anual de 21,52%, bem próxima do Ibovespa, de 21,35%.

O Dólar ocupa a última posição em ambos períodos. Porém, com uma melhor rentabilidade a partir de 1999 (6,50%) do que 1994 (3,81%).

Ícone curso Curso 100% grátis!

Junte-se a leitores que recebem as nossas 10 aulas grátis sobre investimentos!

Comparação Anual do Retorno do Ouro com Demais Ativos

Barra-Ouro
Veja abaixo uma comparação entre o retorno ano-a-ano de 4 ativos: CDI, Ouro, Dólar e Ibovespa.

Retorno Ano-a-Ano

Esse é um gráfico alinhado verticalmente para você observar a variação de cada índice ao longo dos anos.

Apesar desse alinhamento dos anos, perceba que o eixo vertical (eixo Y) é diferente para cada gráfico.

No entanto, já é possível ter uma boa ideia de qual foi o melhor investimento em cada ano. Curiosidades:

1. CDI praticamente imbatível de 1994 até 1999.

Com retornos acima de 20%, investir na taxa de juros do país, apesar de um risco maior, principalmente após o confisco da poupança na era Collor, era sinônimo de altos retornos.

Atualmente, retornos acima de 20% ficaram na história e é esperado um retorno na casa de 1 dígito futuramente para o CDI.

2. 1999: O ano que todo investidor sonha.

Perceba a barra do ano de 1999 para os 4 ativos. Todas com retornos acima de 20%. A ordem de retorno nesse ano foi:

  1. Ibovespa: 151,95%
  2. Ouro: 52,72%
  3. Dólar: 48,07%
  4. CDI: 25,12%

3. Dólar: Um ativo faminto por crises.

Diferentemente do Ouro, que apresentou boa rentabilidade em períodos de crescimento da economia, o Dólar necessita de crises financeiras para mostrar bons resultados.

Perceba que no período de crise (2000-2002) ele subiu.

Nos próximos 5 anos de forte crescimento (2003-2007) caiu em todos.

Em 2008 subiu novamente, seguido de uma forte queda em 2009.

De 2010 até hoje, como a Bolsa está “andando de lado”, o Dólar não tem apresentado fortes variações, mas sim uma ligeira subida.

Retorno Ano-a-Ano desde 2008

Para finalizar a série de gráficos estatísticos sobre o Ouro e a comparação deste com demais ativos, trago o gráfico abaixo comparando o retorno ano-a-ano desde 2008.

Retorno-2008-2012

Estão destacados os melhores e piores ativos de cada ano.

O Ouro aparece 3 vezes como melhor ativo, além da correlação negativa com o Ibovespa.

Receba Todos os Dados acima Através de uma Planilha Excel

Para você receber todos os números que foram utilizados para esse artigo sobre como investir em Ouro e seus respectivos gráficos e tabelas, você só precisa clicar no link abaixo.

Clique AQUI para fazer o download da planilha Excel com todos os números e estatísticas dessa seção.

Versão Excel 2007

Cotação do Ouro (Preço do Ouro)

cotação-ouro

O site Ouro Hoje oferece um meio simples para você visualizar a cotação do ouro. Lá você poderá também converter reais por dólar, euro, libra e peso.

Por que comprar Ouro?

comprar-ouro-barato

Existem diversas razões para o investidor comprar Ouro, como por exemplo:

  • Ouro é um bem escasso, tendo elevada demanda.
  • É durável.
  • É uma excelente proteção contra a desvalorização da moeda e contra inflação.
  • Oportunidade para diversificar os investimentos.
  • Em casos extremos de instabilidade monetária, social ou guerra, é fácil de ser transportado e de esconder pelo seu tamanho reduzido.

Além das razões acima, o ouro costuma apresentar alta demanda e ótima rentabilidade em momentos de crise e pressão inflacionária. Por funcionar como uma reserva de valor, ele é tido por muitos como um porto seguro nestas situações.

Fatores Que Influenciam o preço do Ouro

moedas-ouro

Todo ativo de investimento tem seu preço influenciado pela relação entre oferta e demanda.

Com o Ouro não é diferente e precisamos avaliar os dois lados para entender os fatores que influenciam seu preço:

Do lado da oferta, o preço do ouro pode sofrer alteração devido a sua extração e produção, assim como a venda realizada por bancos centrais, bancos de investimentos e pessoas físicas.

Quanto maior a oferta de Ouro, menor tende a ser o seu preço. Do mesmo modo, quanto menor a oferta (mais escassa), maior tende a ser o preço do Ouro.

Do lado da demanda, o preço do ouro é influenciado basicamente pela indústria de joalharia e dos investidores no metal.

Conheça os 4 Fatores que Mais Influenciam o Preço do Ouro:

1. Cenário Econômico

Conforme vimos no início desse artigo, o Ouro é um ativo muito procurado em tempos de crises financeiras. Portanto, seu preço tende a se elevar bastante nesses períodos.

2. Taxas de Inflação

Outro fator que influencia fortemente a cotação do ouro é a expectativa inflacionária, levando em consideração que o metal é visto como proteção tanto em relação à inflação quanto à deflação.

O Ouro tende a ser procurado em momentos de instabilidade monetária e em períodos de altos gastos deficitários.

3. Cotação do Dólar

A convencional e mais convincente relação entre o preço do ouro e a cotação do dólar é que um dólar fraco leva a preços maiores do ouro.

Essa é uma tendência que já é observada desde a desvalorização do dólar em 2002, quando o Dólar atingiu o patamar máximo próximo dos R$ 4,00.

4. Taxas de Juros

Relação básica para todo tipo de investimento. Quanto maior a taxa de juros, menor tende a ser a atratividade dos demais ativos financeiros.

Isso ocorre porque o investimento em títulos públicos é considerado o investimento de menor risco. Logo, se ele apresenta alto retorno e um risco menor do que os demais ativos, a lógica é que os investidores prefiram esse tipo de ativo.

Terminada essa parte sobre a história do ouro, estatísticas e preço do ouro vamos ao que realmente interessa: Afinal, como investir em Ouro?

Ícone curso Curso 100% grátis!

Junte-se a leitores que recebem as nossas 10 aulas grátis sobre investimentos!

Como Investir em Ouro?

vender-ouro

Essa deve ser a pergunta que a grande maioria dos leitores desse artigo procura uma resposta e, felizmente, eu tenho uma ótima solução sobre como investir em Ouro.

Apresentarei diversas modalidades de investimento em Ouro, assim como suas vantagens, desvantagens e custos.

Se você quiser saber logo qual é a forma mais adequada que eu encontrei basta visitar esse link, que trará mais informações sobre o Fundo Órama Ouro (fundo passivo que segue o preço do Ouro), com investimento inicial de R$ 5.000 e taxa de administração de 0,6%.

7 Maneiras para Investir em Ouro:

1. Comprar Ouro Através de Jóias

joia-de-ouroComprar jóias é uma das oportunidades para se investir em ouro. Assim como o investimento na Bolsa de Valores, o objetivo é tentar comprar barato para vender caro.

Há quem pense nas jóias simplesmente como patrimônio, acumulando ouro, prata e afins como parte dos bens familiares.

Apesar da facilidade do investimento, o Ouro presente nas jóias nem sempre será o de 24k (999 partes de Ouro para 1.000 partes do metal), mas sim 18k (750 partes de Ouro para 1.000 partes do metal).

Portanto, é preciso ter em mente que o teor de pureza para esse investimento é de 75%, ao contrário do investimento no Ouro através da BM&FBovespa, que é de 99,9%.

Vantagens:

  • Tendo dinheiro, é muito fácil entrar em uma joalharia e sair com uma jóia.
  • Facilidade para guardar, sendo ,inclusive, utilizável caso o comprador da jóia deseje.

Desvantagens:

Esta é uma modalidade pouco comum e que possui suas dificuldades por diversas questões como:

  • Necessidade de avaliação da qualidade da jóia no momento da venda.
  • Toda jóia guardada em casa necessita de um lugar muito seguro para evitar olhares de interesseiros.
  • Nem sempre o preço obtido ao vender ouro através da jóia é justo, dependendo da expertise do avaliador.
  • Opção de investimento pouco prática.
  • A correlação com o preço do Ouro não é muito forte.

Conclusão: Não Recomendado para Investimentos!

2. Penhor de Jóias (Ouro)

penhorar-joiasQuem possui jóias ou barras de ouro pode utilizar o penhor como forma de capitalização.

A operação é muito mais vantajosa do que um empréstimo pessoal, por exemplo, já que a jóia serve como garantia do empréstimo feito a partir do penhor.

Esta é uma forma pouco tradicional, já que capitalização pode não ser considerada exatamente uma forma de investimento, mas resolvi colocá-la no artigo, já que envolve as barras de ouro.

Conclusão: Não Recomendado para Investimentos!

3. Comprar Ouro através de Sites de Leilão

ouro-australiaSites famosos de leilão como o Mercado Livre e o eBay (links para a seção de ouro desses sites) oferecem oportunidades para se comprar tanto jóias como moedas e barras de ouro.

Apesar da grande variedade de opções e preços, é preciso tomar muito cuidado com a compra de ouro através desses sites, já que a informalidade é grande e a qualidade do material nem sempre pode ser confiável.

Vantagens:

  • Praticidade de comprar pela internet.

Desvantagens:

  • Qualidade do material vendido depende da credibilidade do vendedor, que nem sempre é confiável.
  • Preços altos em comparação ao preço do Ouro na BM&F.
  • Falta de uma padronização do material.
  • Dificuldade de revenda, já que você teria de seguir o mesmo caminho de sua compra, anunciando nesse tipo de site.
  • A Pureza do Ouro vendido (18k, ou 750 partes de ouro para cada 1.000 partes do metal) é diferente do ouro na BM&F (24k, ou 999 partes de ouro para cada 1.000 partes do metal).

Conclusão: Não Recomendado para Investimentos!

4. Comprar Ouro Através de Distribuidoras de Valores

cartao-ourominasExistem hoje algumas corretoras e distribuidoras de valores (DTVMs) que criam produtos a partir dos contratos e barras de Ouro de 250g, vendendo pequenas quantidades (1g a 25g) em cartões laminados e barras de diferentes tamanhos.

Os produtos são baseados na cotação do ouro do dia mais um ágio (acréscimo) definido pela distribuidora. Todos são padronizados, certificados e lacrados.

As empresas mais comuns desse segmento são a Ourominas e o Grupo Fitta (Reserva Metais).

Vantagens:

  • Praticidade de comprar pela internet.
  • Facilidade para transportar e guardar o ouro (principalmente os cartões, com mesmo formato dos cartões de crédito).

Embora a opção aparente ser atraente, ela possui algumas fortes desvantagens que valem a pena serem citadas:

Desvantagens:

  • Garantia na Revenda do Ouro. Antes de fechar qualquer negócio com uma distribuidora de valores, verifique seu histórico e suas condições de garantia.
  • Altos Custos. Desde o seguro, o frete até o spread (diferença) entre o preço das barrinhas e do ouro na BM&F, torna-se muito caro investir através dessa modalidade. Eu mesmo já investi através desse tipo e fazendo as contas percebi que os custos chegavam às vezes a 10% do valor investido.
  • Revenda é Física. Como você recebe o Ouro em sua casa, para vendê-lo você precisa ir até uma das agências da distribuidora de valores que, em sua maioria, localizam-se em São Paulo. O spread entre preço do Ouro BM&F e o preço da sua barrinha de ouro também está presente no momento da venda.

Conclusão: Não Recomendado para Investimentos!

5. Comprar/Investir em Ouro diretamente na BM&F Bovespa

comprar-ouro

Uma alternativa utilizada por vários investidores é comprar ouro diretamente na BM&FBovespa. Você precisará de uma conta em uma corretora de valores e deverá pagar alguns custos para realizar a operação. O ouro é de extrema qualidade, sendo de 24k (999 partes de ouro para cada 1.000 do metal).

Tipos de Contratos Oferecidos:

  • OZ1D: Ouro de 250g
  • OZ2D: Ouro de 10g
  • OZ3D: Ouro de 0,225g

Passo-a-Passo para Comprar Ouro na BM&FBovespa:

1. Abrir uma conta em uma corretora. É preciso, antes, se certificar de que a corretora está habilitada a operar o ouro.

2. Após fazer seu cadastro na corretora, você terá de assinar um contrato que permitirá você negociar na BM&F.

3. No momento da compra, você não poderá utilizar o homebroker, como faz naturalmente com ações e fundos imobiliários, mas precisará ligar para sua corretora e falar com a mesa de operações para negociar a compra do ouro.

4. Para fazer a retirada do Ouro na BM&F, você precisa negociar no mínimo o contrato de 250g (OZ1D) ou múltiplos dele. A retirada pode ser agendada através da sua corretora e pode-se também pedir a entrega em sua casa com custo adicional.

Custos para Investir em Ouro

1. Corretagem

A aplicação está sujeita ainda à cobrança de taxa de corretagem, que varia de acordo com a corretora contratada. Geralmente, a taxa fica na faixa de 0,2% sobre o valor total envolvido na transação.

2. Custódia

A Bolsa faz a cobrança da taxa de custódia e a repassa para o banco custodiante. São cobrados 0,07% ao mês, calculados diariamente sobre a posição mantida pelo investidor, de acordo com a seguinte metodologia:

Taxa de Custódia ao dia = (preço máximo do ouro no dia x 0,07% x saldo em gramas)/ 30 dias.

Exemplo: 

  • Valor Máximo do Dia: R$ 100,00
  • Taxa Padrão da Bolsa: 0,07%
  • Saldo em Gramas: 250 (g)
  • Dias: 30

R$ 100 x 0,07% x 250 / 30 = R$ 0,58. (Taxa diária)

Estes valores são calculados diariamente e acumulados para serem pagos no quarto dia útil do mês seguinte, ou quando o investidor zerar a posição.

Vou ter de pagar imposto sobre o ouro que eu vender?

Como é considerado renda variável, o ouro como ativo financeiro fica isento de IR até o limite de R$ 20.000. Nesse caso, ele entra na declaração como “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.

Caso a venda exceda R$ 20 mil, a alíquota é de 15% sobre o ganho de capital.

Passo-a-Passo para Vender Ouro na BM&FBovespa:

Texto adaptado do PDF da BM&FBovespa.

No caso da venda total ou parcial de seus contratos, o investidor poderá:

  • Receber a respectiva quantia em dinheiro (liquidação financeira) em D+1.
  • Retirar o metal (liquidação física), em quantias múltiplas de 250g, no custodiante que indicar à Bolsa ou deixar as respectivas barras em custódia.

Para vender novamente o Ouro para a Bolsa é preciso que ele passe pelo fundidor e que esteja depositado em custódia. Para isso, é preciso cumprir três etapas.

1. Da Corretora para o Fundidor

  • O investidor escolhe corretora.
  • A corretora indica um fundidor credenciado pela Bolsa.
  • O fundidor padroniza o ouro em barras e atesta seu teor de pureza, conforme critérios estabelecidos pela Bolsa.

2. Do Fundidor para o Custodiante

  • O fundidor envia ao custodiante o ouro padronizado.
  • O custodiante efetua a guarda dessas barras em nome do investidor.
  • O custodiante controla as posições do investidor, expressas em gramas de ouro fino, em conta individualizada.

3. Para Negociação na Bolsa

  • A corretora informa o custodiante sobre a intenção de seu cliente vender as barras de ouro.
  • O custodiante transfere essas barras de ouro para a Bolsa.
  • A BM&FBOVESPA deposita o saldo na conta do investidor.

Conclusão: Recomendado apenas para Investidores Experientes e com elevado capital.

6. Comprar Ouro através do Banco do Brasil

investir-em-ouro

Uma opção citada pelos nossos leitores nos comentários é a compra de ouro através do Banco do Brasil. O investimento é bem parecido em relação à BM&FBovespa. Vamos aos detalhes:

Tipos de Negociação

O Banco do Brasil oferece a opção de investir em Ouro Escritural (múltiplos de 25g), assim como o Ouro Lingote (250g).

Vale lembrar que em ambas modalidades é necessário ser correntista do banco e as operações podem ser realizadas em qualquer agência. Entretanto, devido à baixa procura por esse tipo de investimento é bem provável que os empregados do próprio banco desconheçam essa modalidade de investimento.

Um diferencial que o BB oferece é a garantia de recompra do Ouro vendido aos seus clientes oferecendo liquidez diária, com liquidação no mesmo dia (D+0), bastando que o Ouro adquirido pelo cliente esteja custodiado no Banco.

Custos e Impostos

Na modalidade Lingote o custo é de 0,10% e na modalidade Escritural 0,07%, sobre o montante custodiado, cobrados mensalmente. O valor da tarifa de custódia é apurado com base no saldo de posição médio mantido no mês, de forma proporcional à quantidade de dias em que o ativo esteve depositado em custódia, multiplicado pela cotação média do metal neste mesmo mês. Nas operações de compra e venda, não há cobrança de tarifas de corretagem ou taxas de emolumentos.

Vendas até R$ 20.000,00 por mês estão isentas de imposto de renda. Acima deste valor, estarão sujeitas à alíquota de 15% sobre ganhos.

Conclusão: Recomendado apenas para Investidores Experientes.

7. Fundos de Investimentos (A Melhor Maneira!)

ouro

Apesar da opção por investir em ouro através da BM&FBovespa ser interessante, ela é burocrática e necessita de muito dinheiro para negociar o OZ1D, Ouro de 250g, que possui liquidez superior ao OZ2D (10g), embora ambas sejam baixas.

Um investimento no Ouro de 250g necessita de R$ 25.000, caso o preço do Ouro esteja em R$ 100,00. Portanto, é uma maneira cara de se investir e ainda possui pouca liquidez e elevada burocracia.

Do outro lado, fundos de investimentos são extremamentes práticos e simples de investir. Basta estar associado a um banco/corretora/distribuidora e transferir o dinheiro para o fundo.

Até o dia 31/10/2012, não havia opção de investir em Ouro através de um fundo de investimento que buscasse replicar o desempenho do Ouro BM&F.

Porém, seguindo a alta demanda do mercado e buscando criar um fundo de fácil acesso, a Órama criou o Fundo Órama Ouro, que tem como objetivo ser um fundo passivo (fundo de índice) do Ouro.

Com apenas R$ 5.000 e uma taxa de administração de 0,6%, você investe em Ouro de forma simples e rápida.

Além desse fundo, a Órama oferece diversos outros fundos (passivos e ativos) com aplicacão inicial de R$ 5.000 e taxas de administrações muito baixas, o que é um ótimo atrativo para o investidor que deseja investir sem preocupações, com praticidade e tempo de sobra.

Conclusão: A melhor maneira para investir em Ouro, seja você um investidor iniciante ou experiente!

Dúvidas Comuns sobre o Investimento em Ouro

investir-ouro

Listei abaixo algumas perguntas que talvez tenham ficado sem respostas ao longo desse artigo.

Se após o final desse artigo você ainda tiver alguma dúvida, deixe um comentário para tornar esse artigo ainda mais completo.

Como identificar bons momentos de compra para o Ouro?

Essa é a pergunta que todos desejamos resposta prontas com diversas dicas de investimentos.

Apesar de ser impossível prever o futuro, bons momentos para compra do ouro seriam:

  • Alta inflação
  • Alta no Preço do Dólar
  • Baixas taxas de juros
  • Crises Financeiras

Ouro é investimento ou proteção de capital?

Podemos dizer que ele cumpre bem as duas funções, dada a devida atenção para ambas funções.

Do ponto de vista técnico do investimento, ele oferece uma baixa correlação com os demais ativos e um alto retorno (histórico). Desde 1999, o Ouro teve rentabilidade de 1.050% ou um retorno anual de 21,52%.

Portanto, qualquer carteira que teve o ouro em sua alocação desde 1999 melhorou sua relação retorno x risco.

Além do bom retorno histórico, o Ouro é um investimento essencial em crises financeiras, garantindo ótima proteção para o investidor.

Nesses períodos de crise, ativos como ações, fundos imobiliários e títulos prefixados e indexados ao IPCA de longo vencimento tendem a perder valor.

Poucos são os ativos que ganham valor nesses períodos e o Ouro é um dos melhores, junto com o Dólar.

Investir em Ouro em espécie ou Ouro em certificado?

Alguns leitores mais conservadores e preocupados, provavelmente preferem o Ouro em espécie e guardado consigo para evitar confisco do governo e servir como moeda em situações extremas.

Já o ouro em certificado, oferece mais praticidade para comprar e vender, além de menos burocracia e um próprio lugar seguro para custódia.

Essa resposta depende das preferências do investidor. Pessoalmente, prefiro o Ouro em certificado, pela sua praticidade em relação ao Ouro em espécie.

Prefiro um certificado de que meu Ouro está guardado no banco do que ter meu próprio ouro guardado em casa.

Quais são os riscos relacionados ao ouro?

O principal risco para quem deseja comprar certificados de Ouro é a sua desvalorização do preço na Bolsa.

Para quem deseja ter o Ouro físico em casa os principais riscos são:

  • Não ter um lugar seguro para a custódia do Ouro e aumentar as chances de ser roubado.
  • Necessidade extra de avaliação da qualidade do Ouro, para atestar se é realmente 24k (99,9% puro).
  • Falta de liquidez no momento da venda.

Qual é a Alocação Adequada do Ouro em uma Carteira de Investimentos?

1kg-ouro

Apesar de toda a atratividade do investimento em Ouro e de sua ótima rentabilidade nos últimos 14 anos, não é recomendado o investidor ter mais de 20% de sua alocação em Ouro.

O ideal é o investidor buscar uma diversificação ampla de sua carteira de sua alocação de ativos, nunca colocando grande parte de seu capital em uma única classe de investimentos.

Como é muito simples investir em Ouro através do fundo Órama Ouro a partir de R$ 5.000, acho muito viável para todo tipo de investidor colocar ao menos 5% de seu capital em Ouro.

Generalizando, o investimento em Ouro poderia ser alocado da seguinte forma:

  • Cenário Econômico Otimista: 5%
  • Cenário Econômico Neutro: 10%
  • Cenário Econômico Pessimista: 20%

Este é apenas um exemplo, e a alocação ideal varia de investidor para investidor.

Ícone curso Curso 100% grátis!

Junte-se a leitores que recebem as nossas 10 aulas grátis sobre investimentos!

A Órama sob a Visão de um Investidor em busca da Excelência

Orama_logo

Esse artigo sobre como investir em Ouro é uma prioridade antiga minha e que somente agora está sendo concretizada.

Eu queria ter a experiência (teórica e prática) necessária antes de compartilhar todas essas informações com vocês.

Por esse motivo, antes de recomendar o investimento em Ouro através do Fundo Órama Ouro, eu me tornei um cotista do fundo para avaliar a qualidade do fundo.

Em todo esse período, pude verificar que a minha rentabilidade no fundo está muito próxima da rentabilidade do Ouro na BM&F, o que me deixou extremamente feliz, percebendo que o fundo entrega o que promete, boa indexação ao Ouro da BM&F.

Pelos padrões da Anbima, ele precisa investir no mínimo 95% do seu patrimônio em Ouro.

Não satisfeito em apenas acompanhar a evolução do fundo, eu resolvi marcar uma reunião com o Guilherme Horn, CEO da Órama.

Essa foi uma ótima experiência e pude aprender bastante sobre todo o trabalho para trazer fundos inovadores como o fundo Órama Ouro a partir de aplicações iniciais de R$ 5.000 e com baixa taxa de administração, de 0,6%.

Saber que os sócios da Órama colocam grande parte de seus investimentos nos próprios fundos, conhecer o minucioso processo de escolha dos fundos e a preferência pela qualidade ao invés da quantidade, focando sempre nos clientes, foram fatores que me deixaram muito satisfeito com a organização e mais seguro de meus investimentos com eles.

Buscando ir além de conhecer a sede da Órama no Leblon, aqui no Rio de Janeiro, marquei uma entrevista com a Sandra Blanco, consultora de investimentos há mais de 15 anos.

Entrevista com Sandra Blanco da Órama

Sandra-Blanco-Orama

Acompanhe abaixo a entrevista que realizei rapidamente com a Sandra Blanco sobre o investimento em Ouro e o fundo Órama Ouro.

Henrique Carvalho (H.C.) 1. Quais são as demais formas de investir em Ouro e quais as vantagens do fundo Órama Ouro em relação à elas? 

Sandra Blanco (S.B.) As formas mais tradicionais de investir em ouro são comprar barras ou certificados. As vantagens do Fundo Órama Ouro em relação a elas são que não há o risco nem as dificuldades operacionais inerentes ao ouro em barra ou certificados.

Investindo no Fundo não há risco de ser roubado, de comprar ouro de baixa qualidade. Em termos operacionais, o imposto é retido na fonte, não é preciso recolher quando efetuar venda com lucro e a principal vantagem é com relação ao preço e volume negociado.

Não há diferença entre os preços de compra e venda, que pode ser grande quando a quantidade negociada é pequena. O Fundo negocia lotes padrão de 250g.

H.C. 2. Por que todo investidor deveria considerar a opção de investir em Ouro? 

S.B. Porque é uma opção para diversificação e proteção nos momentos de instabilidade. Historicamente, no longo prazo, tem superado a inflação.

H.C. 3. Como funciona basicamente um fundo passivo de investimentos em Ouro? 

S.B. Todo dinheiro que é aplicado no Fundo é utilizado para comprar ouro na BM&F, no mínimo, 95%, independentemente do momento de mercado, esteja o ouro em alta ou em baixa.

Assim, um fundo passivo segue muito de perto a variação do metal no mercado brasileiro, que depende da variação no mercado internacional e da cotação do dólar (R$/USD).

Nota pessoal (H.C.): O fundo é obrigado a possuir no mínimo 80% em Ouro, conforme determinado pela Anbima. Entretanto, é política do fundo manter no mínimo 95% do investimento em Ouro para ter uma ótima indexação a variação do Ouro BM&F.

H.C. 4. Como o Ouro se insere em uma estratégia de investimentos?

S.B.  Numa estratégia de longo prazo serve como proteção, diversificação e liquidez. Não recomendo a especulação.

H.C. 5. Existe uma alocação adequada para se investir em Ouro dado os diversos perfis de investidores? 

S.B. Não recomendaria investir mais de 20% do patrimônio em ouro e frente ao cenário atual, não mais de 10%. Além do perfil, os objetivos e disponibilidade de recursos também são relevantes na determinação da alocação mais adequada.

H.C. 6. Ainda vale a pena investir no Ouro após longos anos de valorização?

S.B. Depende, como todo mercado de risco há prós e contras.

Prós: apresentou valorização real ao longo de 15 anos, discussões sobre o teto da dívida americana, baixo crescimento e taxa de juros real negativa em vários países.

Contras: subiu muito nos últimos anos, o pior da crise já passou, pode passar longos períodos com preço estável, como aconteceu entre final de 2002 e 2007.

Sandra Blanco é consultora de investimentos na Órama, tem mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro e orienta investidores como consultora de valores mobiliários autorizada pela CVM desde 2004. É autora de diversos livros sobre investimentos.

Conclusão

ouro-joia

Antigamente, investir em Ouro era uma exclusividade para investidores com muito dinheiro e dispostos a vencer todas as barreiras da burocracia desse tipo de investimento.

Entretanto, hoje em dia é possível investir facilmente em Ouro através de fundos passivos como o Órama Ouro com apenas R$ 5.000.

É o desejo de todos nós investidores que essa iniciativa seja um ótimo modelo a ser seguido.

Decisões sábias sobre como investir precisam ser amparadas com opções de fácil acesso para todo tipo de investidor, seja ele rico, pobre, experiente ou inexperiente.

É por esse motivo que quando sai da sala de reunião com o Guilherme, CEO da Órama, tive a certeza de que havia um esforço sincero e voraz para facilitar e transformar a forma com que investimos hoje no Brasil.

Eu raramente falo diretamente sobre um tipo de fundo de investimento ou um serviço financeiro aqui no blog, mas todas as barreiras que esse pessoal enfrentou para montar essa solução inovadora do Fundo Órama Ouro merece toda a atenção devida.

Clique AQUI para saber tudo sobre esse fundo de Ouro. Espero que esse artigo tenha esclarecido diversas dúvidas que você tinha sobre como investir em Ouro.

Entretanto, apesar desse amplo guia, entendo que talvez ainda existam algumas curiosidades ou dúvidas que ficaram sem respostas.

Se esse for o seu caso, por favor, compartilhe abaixo seu comentário para enriquecermos ainda mais esse artigo.

Nota: Esse artigo não é patrociando, já que o artigo foi escrito integralmente por mim. Toda a pesquisa, os dados e as conclusões refletem o meu ponto de vista sobre o investimento em ouro. Porém, visando manter nossa política de transparência, preciso informar que existe sim uma parceria entre o site HC Investimentos e a Órama.

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Sobre o autor

Henrique é especialista em alocação de ativos, eleito um dos 5 melhores educadores financeiros do Brasil em 2012/2013. Continue Lendo aqui!

  • Breno

    Grande post, HC.

    Alguns comentários:
    – a rentabilidade do ouro, pura e simplesmente, deve ser considerada em dólares. Vale ressaltar, como vc bem disse, ao comprar ouro tendo o patrimonio em reais faz com que vc, além do metal, fique COMPRADO em dolar.
    Um grafico ouro em dolar seria legal.

    – nao comprei nem pretendo comprar ouro.
    Sua maior funcao ainda é fazer joias…é uma demanda estranha, a meu ver. ouro nao paga dividendos, jcp, nada disso…

    O ouro, como metal, é um ativo supervalorizado.
    Acho que isso não muda em 10 ou 20 anos, mas quem sabe 30 ou 50.

    Abs,
    Breno

    • Oi Breno!

      Vou pesquisar melhor sobre a evolução do Ouro em dólar e atualizo o artigo com informações importantes.

      Abraços!

    • clerton

      pois eh compreendo tb que o REAL FRACO eh bom pro ouro. Quando o DOLAR SOBE o preço do ouro BMFtende a subir. comprando ouro vc tb esta comprando dolar.

      no texto passa a impressao que eh o contrario em passagens como

      “A convencional e mais convincente relação entre o preço do ouro e a cotação do dólar é que um dólar fraco leva a preços maiores do ouro. Essa é uma tendência que já é observada desde a desvalorização do dólar em 2002, quando o Dólar atingiu o patamar máximo próximo dos R$ 4,00.”

      ora, em 2002, o dolar estava superforte. o real eh que tava fraco. como fica claro noutra parte do texto, nesse ano o ouro subio 65%. de acordo com essa fonte http://www.usagold.com/reference/prices/2002.html, o gold em london aumentou poco mais de 20% no periodo, sendo o grande causador do boom tupiniquim foi dolar que foi pra extratosfera com medo do lula.

      • clerton

        como seres humanos somos tao mesquinhos que sempre q agente ve algo que discorda partimos com unhas e dentesrsrsrs

        volto pra agradecer pelo excelente post. ah tempos procuro info sobre investimento em ouro na net e seu texto eh sem duvida o mais completo até o momento.

        com um possivel updade acerca do investimento via BB, vai ficar melhor ainda. nem mesmo os funcionarios do BB sabem como funciona essa partersrsrsrsrs

        • Gouvea

          Olá Henrique, muito bom o artigo. Vc poderia informar quais os outros fundos da Orama que vc investe?

          Acredito que o fundo da orama ou do BB, é bom para quem não sabe investir por conta própria.

          Qual o melhor investimento, investir em OZ2D(100 g) OU OZ3D(10 g) via BM&F?

          Abri conta na HCOMCOR para investimento em ouro e outros ativos da BM&F, o que vc acha dessa corretora, alguma outra indicação?

          Abraços.

          • Gouvea

            Comecei a investir, hj fiz a compra de 3 contratos de ouro (OZ2D),
            contrato de 10 g, a cotação hj na bm&f tava em 98 ~ 102 reais.

            O ouro foi o melhor investimento de 2012.

            Estou utilizando a corretora Hcommcor, até agora td ok com esta corretora. O atendimento foi muito bom.

            Vou olhar outros investimentos na BM&F e escolher outro que for vantajoso.

            Abraços.

          • Legal Gouvea!

            Depois compartilhe conosco como foi sua experiência com o OZ2D na BM&F.

            Forte Abraço!

          • Gouvea

            Olá Henrique, investi em OZ2D pela Commcor, paguei R$ 3,80 de corretagem. Mas abri conta na TOV, pois eles cobram R$ 2 e operam OZ2D e outros.
            Fica a dica da corretora.
            Abraços.

          • Valeu Gouvea! Abs!

          • Oi Gouvea!

            Não comento muito sobre meus investimentos pessoais, mas posso dizer que todos são fundos passivos, filosofia que busco seguir na minha alocação de ativos.

            Sobre a corretora HCOMCOR não conheço. Utilizo a Rico (Octo).

            Forte Abraço!

        • Obrigado pelo comentário Clerton!

          Vou atualizar o post com o investimento através do BB.

          Forte Abraço!

  • Pingback: Investir em Ouro: Bolha Financeira no Metal Dourado?()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Janeiro 2013()

  • Pingback: Retrospectiva do Mercado Financeiro em 2012 (Dados e Gráficos)()

  • Pingback: Os melhores investimentos: Conheça a Tríade Financeira()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Fevereiro 2012()

  • Pingback: Carteira de Investimentos: Resultados de Janeiro 2012()

  • Pingback: Carteira de Investimentos: Diversificação Não é Opção, é Obrigação!()

  • Pingback: Otimização de Carteiras: O Guia Completo()

  • Pingback: Diversificação de Investimentos: Descubra sua Importância()

  • Pingback: Dicas de Investimentos para Você Vencer no Mercado()

  • Pingback: Alocação de Ativos: Estratégias de Investimentos()

  • Pingback: Risco País (Risco Brasil): Definição e Dados Históricos()

  • Pingback: Você pode vencer no Mercado Financeiro()

  • Pingback: Melhores Sites para Índices e Indicadores Financeiros()

  • Pingback: 3 razões para não investir todo o seu capital em ações [Parte II]()

  • Bruno

    Olá HC, bela iniciativa de escrever sobre o assunto. Queria corrigir/comentar alguns pontos do texto:

    1. Dinheiro multiplicado por 2,3x é 130% de ganho, não 330%. E 29x também não é 300%.

    2. O fundo recomendado tem mínimo de 80% em ouro, não 95%. É o que está escrito no site. Não parece tão passivo assim.

    3. A taxa tem mínimo de 0,6% e máximo de 1,1%. É o que está escrito no site. Seria bom ter colocado isso no artigo.

    4. Seria bom explicitar no artigo que o período de 1999-2012 foi o segundo melhor período para se comprar ouro nos últimos 150 anos, apenas perdeu para a década de 70. Seria bom também ter dito que cada 1 dólar comprado em ouro em 1980 teria valido 0,50 em 2000.

    5. Não há nada especial em relação a ouro. Se o artigo fosse em relação a petróleo, os números teriam sido praticamente os mesmos, o aumento de preço nos últimos 12 anos também foi enorme.
    Ouro é apenas uma commodity, assim como petróleo, carvão, açúcar, café,… Ele não representa um contrato e não representa ativos de produção, e portanto, não faz sentido achar que ele apresentará retornos reais positivos ao longo prazo.

    6. E por último… Eu concordo que ouro pode ter uma boa valorização em momentos de crise ou aumento de percepção de inflação futura. A questão é, vc consegue identificar o ponto de início e fim desses momentos? Porque caso vc não consiga (como a maioria dos mortais) não tem a menor utilidade o argumento de retorno em crises.

    • Oi Bruno!

      Respondendo seus pontos:

      1. Corrigido.

      2. Estranho, a informação que me foi passada é de 95%, mas realmente no site fala de 80%. Vou confirmar esses números e, se necessário, altero o artigo.

      3. Vou coletar mais informações também sobre a taxa máxima, porque não vejo muito sentido, já que o fundo não é derivado de outro fundo.

      4. Vou pesquisar gráficos históricos do Ouro em Dólar para termos uma visão mais de longo prazo.

      5. Do ponto de vista de uma carteira de investimentos e da sua relação risco x retorno, embora o ouro de fato não seja um gerador de renda, acredito que ele pode melhorar essa relação, pela baixa correlação com a Bolsa.

      6. Ninguém consegue prever. Por isso que a alocação de ativos não foca no quando, mas sim no quanto. Quanto iremos investir em cada ativo. Por esse motivo, coloquei umas alocações muito básicas para investir em Ouro e que varia muito de investidor para investidor. O principal objetivo é definir o quanto investir em Ouro, podendo ser de 5% a 20%, na minha opinião.

      Abraços!

    • Fernando

      Bruno,
      Excelente comentários, desde que o site do Henrique ficou muito comercial eu me afastei, não consigo perceber até que ponto a analise é livre de influência dos patrocinadores, não estou dizendo que ela faça post sob encomenda ou se deixe influenciar por eles, mas eu que não consigo ficar isento, procuro sempre uma casca de banana, por isso me afastei.

      De qualquer maneira, seus comentários enriqueceram bastante o texto.

      • Oi Fernando!

        É uma pena que ache o site muito comercial. Não coloco nenhum anúncio do tipo google adsense, tenho um dos layouts mais limpos dos blogs.

        Divulgo meu eBook por acreditar no valor dele, além dos serviços/produtos de pessoas que conheço bastante, sabendo que elas irão oferecer conteúdo de qualidade para meus leitores.

        No caso da Órama, eu coloco meu próprio dinheiro em 4 fundos deles porque acredito na filosofia, estando alinhada com meus próprios objetivos ao investir.

        Você pode saber mais detalhes sobre a transparência do site HC Investimentos e o porquê dessa parceria nessa página: http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

        Abraços!

  • Kleber Rebouças

    Olá HC.

    Mais um artigo muito esclarecedor! Tenho pesquisado sobre como investir em Ouro para diversificar um pouco mais minha carteira. Este artigo ajudará muito.

    Complemento um pouco lembrando que o Banco do Brasil oferece ao investidor a opção de investir em ouro escritural equivalente a 25g. Assim, dado o valor de R$ 100,00 o grama, o investimento necessário seria de R$ 2.500,00, menor que os R$ 5.000,00 da Órama. A taxa de custódia é de apenas 0,07% a.m. Só não consegui informações sobre a corretagem no site.

    Outra coisa: não sei se é o caso mas, se a indicação do fundo da Órama é uma indicação patrocinada seria de bom tom dar este alerta. Apesar de ter mencionado que experimentou na prática antes de indicar, sempre que um artigo tem indicação de produtos de terceiros é eticamente importante ressaltar quando se está sendo patrocinado.

    Fica dica e parabéns!

    http://dnhro.blogspot.com

    • Oi Kleber!

      Obrigado pela informação sobre o fundo do BB. Conforme respondi ao leitor @1321fd3fbd76b791ef56c7293e47abe6:disqus vou incluir informações dele no artigo. Só preciso organizar melhor a informação aqui antes de compartilhá-la.

      Agradeço também pela preocupação perante ética ao recomendar um serviço de terceiros.

      Abraços!

  • Eduardo

    Olá Henrique.

    Sou iniciante no assunto de investimentos, e acompanho sempre o blog. Gostei muito do texto, muito explicativo, só fiquei um pouco assutado com o tom de artigo patrocinado, soou meio forçado. De qualquer forma, patrocinado ou não, foi de grande ajuda.

    Uma dúvida: seria interessante acrescentar aos comparativos o euro?

    Uma sugestão: você pode desenvolver uma matéria específica sobre investimentos em câmbio, sobre as principais moedas mundiais e a vantagem de investir em alguma delas como alternativa de alocação?

    Obrigado e sucesso!

    • Oi Eduardo!

      Desculpe caso tenha soado meio forçado a recomendação do fundo.

      Estou testando novas formas visuais de informação, como os campos coloridos para dar destaque à áreas especiais do texto e talvez essa novidade tenha parecido um pouco agressiva.

      O Euro, assim como o Dólar, pertence a classe de Câmbio e não oferece a mesma proteção que o Ouro, embora também suba em períodos de crise.

      Você também pode investir em Dólar e Euro através de fundos cambiais. Pela minha experiência, o BB tem os melhores fundos desse ramo.

      Entretanto, o investimento em câmbio não é recomendado para todos, já que funcionam mais como proteção do que geração de renda.

      Abraços!

    • Oi Eduardo!

      Eu publiquei uma nota de esclarecimento sobre o fato do artigo ser ou não patrocinado, além dos motivos de preferência pela parceria entre o site HC Investimentos e a Órama. Basta clicar no link a seguir para ler:

      http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

      Abraços!

  • Matheus

    Com essa propaganda toda, o artigo perde credibilidade. Investir em ouro é uma boa escolha como forma de proteção em crises sistêmicas. Mas se o bicho realmente pegar, contratos não vão valer nada, principalmente se não lastreados. Então na minha opnião, investir em forma física ainda é a melhor.

    Abraço!

    • Oi Matheus!

      O fundo recomendado está em destaque porque na minha visão é uma iniciativa inovadora no Brasil e que merece todo destaque. Além disso, eu mesmo possuo investimentos em 4 fundos da Órama e acredito que podem ser muito úteis para os leitores do site.

      Se uma crise sistêmica vier, aí o ouro em espécie é muito mais recomendado do que os certificados.

      Abraços!

    • Oi Matheus!

      Eu publiquei uma nota de esclarecimento sobre o fato do artigo ser ou não patrocinado, além dos motivos de preferência pela parceria entre o site HC Investimentos e a Órama. Basta clicar no link a seguir para ler:

      http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

      Abraços!

  • marcelo

    Faltou informar:
    1) O Banco do Brasil oferece a possibilidade de investimento em ouro escritural (múltiplos de 25g). Há taxa de custódia e “spread” entre as cotações de compra e venda.
    Possui a vantagem da isenção de IR para vendas de até R$ 20 mil por mês. O fundo de ouro não possui essa isenção.
    2) A CEF está lançando também um fundo de ouro.
    3) Há possibilidade de investimento em “minicontratos” de ouro na Bolsa. Não se compra o ouro, mas apenas se “aposta” em sua alta ou baixa.
    4) Pode-se investir em moedas comemorativas do Banco Central e Medalhas feitas pela Casa da Moeda. Com a alta observada a partir de 2008, o valor do conteúdo em ouro aproximou-se muito do valor das moedas.

    Pessoalmente, considero mais interessantes a compra no BB ou um fundo de ouro. Depende de fazer as contas!

    • Oi Marcelo!

      Fico grato pelas informações adicionais.

      Vou preparar um campo para falar sobre esses tipos de investir em ouro e atualizo o artigo.

      Abraços!

  • Max

    HC;

    Você também pode comprar Ouro na modalidade escritural no Banco do Brasil. Segue cotação BMF e é vendido em multiplos de 25g. O Custo de custódia é similar ao da BMF.

  • Luiz Lima

    Henrique,
    Excelente artigo! Estava mesmo com dúvidas sobre investir em Ouro e agora tudo está claro. Obrigado e Parabéns!

  • A.

    HC, eu sou fã de carteirinha do seu blog mas concordo com os comentários de que este post não esta inspirando credibilidade.

    • Olá!

      Sinto muito por isso. Vou mudar alguns textos do artigo que podem aparentar o patrocínio de um serviço. A intenção é mostrar como eu, após meses de pesquisa, encontrei a melhor solução para investir em ouro.

      Conhecendo melhor o serviço deles, faço questão de recomendar por estar alinhado com o que defendo no blog.

      Abraços!

    • Olá!

      Eu publiquei uma nota de esclarecimento sobre o fato do artigo ser ou não patrocinado, além dos motivos de preferência pela parceria entre o site HC Investimentos e a Órama. Basta clicar no link a seguir para ler:

      http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

      Abraços!

  • Investidor Troll

    É possível aprender alguma coisa com o artigo, desde que se leia com bastante reserva, já que é claramente um artigo patrocinado e tendencioso.

    • Olá!

      Mesmo investindo nesse fundo de ouro há meses, eu só agora estou recomendando ele para os leitores por vários motivos:

      1. Acredito de verdade que é a melhor forma de investir em ouro.

      2. Eu mesmo tenho dinheiro no fundo.

      3. Acredito na filosofia da empresa e que ela está ajudando milhares de investidores.

      4. Verifiquei por conta própria os riscos e as vantagens do fundo antes de recomendá-lo aqui no blog.

      5. Coletei todas as informações possíveis sobre o investimento em ouro para dar alternativas de investimento, mas expressando claramente qual é minha preferência.

      Desculpe se soou tendencioso e patrocinado para você, mas é o que acredito ser melhor para mim e para meus leitores.

      Abraços!

    • Massaker

      Esse artigo é igual aqueles e-mail do japonês falando sobre os cavaleiros da pobreza. Propaganda pura. Para ficar rico tem q parar de dar dinheiro para pessoas que vão dizer exatamente o que vc já sabe.

      • Olá!

        Às vezes um mesmo conteúdo pode ser a solução na vida financeira de uma pessoa e para outra pessoa pode não acrescentar muito. Nem sempre é possível agradar à todos.

        Eu publiquei uma nota de esclarecimento sobre o fato do artigo ser ou não patrocinado, além dos motivos de preferência pela parceria entre o site HC Investimentos e a Órama. Basta clicar no link a seguir para ler:

        http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

        Abraços!

    • Oi!

      Eu publiquei uma nota de esclarecimento sobre o fato do artigo ser ou não patrocinado, além dos motivos de preferência pela parceria entre o site HC Investimentos e a Órama. Basta clicar no link a seguir para ler:

      http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

      Abraços!

  • O artigo é excelente e congratulo você pela iniciativa. Como executivo da Reserva Metais esclareço que nosso site http://www.reservadouro.com.br vende barras de 5 a 50 gramas, moeda de onça troy (31,1g) além de lâminas (destinados a pequenos ourives).
    Encaramos na Reserva Metais o investimento em pequenas barras como porta de entrada para investidores. Para investidores mais qualificados sugerimos com frequência a aquisição de múltiplos de 250 gramas, que são entregues diretamente no endereço indicado pelo investidor sem custo algum.
    Lembro que o investidor pode vender o metal a preço competitivo a terceiros, não sendo necessário efetuar a transação em uma instituição financeira.
    O ouro é portátil e de aceitação universal. Você pode colocar sua barra no bolso e negociá-la por um preço justo em qualquer país do mundo, respeitando a legislação vigente. Que outro ativo pode proporcionar tal versatilidade e universalidade? Ações? Imóveis?

    O “ágio” mencionado está alinhado com práticas comerciais em países desenvolvidos (de 4 a 7%). Não seria possível comercializar sem que os custos pudessem ser repassados.
    Novamente o felicito pelo artigo e espero poder colaborar com você em outras oportunidades.

  • Helison

    Olá Henrique,

    Parabéns!

    Excelente artigo.

    Muito bom mesmo.

    Cumpriu os objetivos propostos.

    Informar acerca de preço, onde e como comprar e vender ouro.

    Com os comentários puntuais, o artigo ficou melhor ainda.

    E com certeza vai melhorar mais, haja vista que carece de algumas atualizações.

    Ficou a duvida quanto ao patrocínio.

    Foi patrocinado ou não foi patrocinado?

    Para mim, sendo patrocinado ou não, eu entendi sua mensagem e confio na sua indicação.

    Nunca me decepcionei.

    Abraços, e muito obrigado.

  • FS

    Caro HC, ser ou não um post patrocinado não desmerece a análise minuciosa que fez sobre investimento em ouro. Exceto pela opção dada pelo BB, todas as demais estão analisadas em detalhe. É nítida sua preocupação em mostrar os caminhos/opções para o que investidor comum realize a estratégia de alocação de ativos. Contudo, seu trabalho seguirá primoroso se continuar independente. Com todo respeito, sugiro que se foi patrocinado, a primeira frase do post (inclusive quando atualizá-lo) deveria comunicar isso. Um abraço

  • Luis Roberto

    Bom artigo. Apesar das diversas citações ao Fundo, o texto é esclarecedor para quem possui pouca ou nenhuma experiência em Ouro.

  • amigo

    Henrique, bom artigo, mas cara, seu blog há 1 ano atrás era MUITO melhor. Eu sei que você deve estar fazendo algum dinheiro com ele mas, sinceramente, busque outras fontes de rendimento e mantenha a qualidade e imparcialidade que ele tinha quando você era um estudante no início da faculdade. Também tenho um blog razoavalmente grande sobre financiamento, e eu chegava a ganhar em média 500 reais para um um publieditoral… financeiramente, vale a pena no curto prazo. Mas paguei um preço por isso: queda nas visitas e na qualidade dos visitantes. Felizmente voltei atrás e, após algum tempo de recuperação, os visitantes constantes voltaram e tenho grandes amigos que me conheceram através do meu blog, hoje imparcial e pouquíssimo voltado para o lado comercial. Qnd se tem qualidade, o dinheiro vem de outras formas, e qualidade é algo que você pode entregar, disso não tenho dúvida. Tente não monetizar seu blog e veja os resultados! Um abraço.

    • Oi!

      Entendo sua opinião, principalmente por estar do “outro” lado, o de autor, editor de conteúdo.

      Sempre preferi a qualidade ao invés da quantidade. Por esse motivo nunca aceitei artigos patrocinados (publieditoriais) no blog, assim como parcerias com serviços/produtos que nunca usei ou não conheço bem a fundo.

      Eu publiquei uma nota de esclarecimento sobre o fato do artigo ser ou não patrocinado, além dos motivos de preferência pela parceria entre o site HC Investimentos e a Órama. Basta clicar no link a seguir para ler:

      http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

      Abraços!

  • Dr. Cooper Invest

    HC, fui ver no site comparacaodefundos o desempenho deste fundo que vc faz propaganda e ele como investimento foi completamente desastroso no último ano e em especial nos últimos 3-4 meses. Acha que vale colocar seu nome em cheque por um artigo patrocinado?

    • Olá!

      O fundo (que não faço propaganda, mas o divulgo como melhor forma de investimento em Ouro e que aplico meu próprio dinheiro) foi mal nos últimos meses porque o preço do ouro caiu.

      Ele é um fundo passivo e acompanha o preço do metal. A sua recomendação é válida SE o investidor seguir o princípio da alocação de ativos, investindo apenas uma pequena parte de seu capital em Ouro.

      Eu publiquei uma nota de esclarecimento sobre o fato do artigo ser ou não patrocinado, além dos motivos de preferência pela parceria entre o site HC Investimentos e a Órama. Basta clicar no link a seguir para ler:

      http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

      Abraços!

  • Grande Henrique, ótimo artigo!!

    Estava mesmo querendo aprender mais sobre como investir em ouro!!

    Colocar uma entrevista foi uma boa ideia, dá uma credibilidade ainda maior, porém como a entrevistada vende o produto ficou um pouco tendencioso!!!

    Como já foi comentado por outros usuários a propaganda ficou um pouco forçada!!

    Tirando isso ótimo trabalho como sempre!!

  • Adriana

    Excelente Artigo Henrique! Parabéns pelo seu tempo e dedicação ao escrever um guia tão completo sobre Como Investir em Ouro.

    Sobre o fundo de ouro tenho certeza de que você só o recomendou porque investe diretamente nele e acredita na filosofia da empresa.

    Acompanho seus emails e adoro todas as indicações que você compartilha lá. Tudo de altíssima qualidade.

    Muito obrigado!

    Adriana

  • André

    Reamente seu artigo foi um dos mais completos que circulam por aí. Mas faltou citar a operação do BB. Pois tenho certificados dele e achei bem interessante por não ter taxa de corretagem apesar de ter spread, e a custódia é 0,07 para o ouro escritural e 0,10 para linguote (a partir de 250 gr). E independente de seu artigo ser patrocinado ou não acredito que cada um deva ter um discernimento para depreender as intenções de tudo que se lê e se fala por aí. Curti o fato de criarem esse fundo de índice do ouro e percebi seu entusiasmo com o mesmo e isso é interessante. Quem acredita cegamente em alguma coisa tem é fé e não informação, portanto obrigado pelas informações e gráficos!

    • Oi André!

      Agradeço seu comentário e atualizarei o artigo com as informações sobre o fundo do BB.

      Abraços!

  • Guilherme

    Parabéns, amigo, excelente artigo!

    Aproveite e salvei no meu Instapaper pra revisar esse artigo sempre que eu quiser!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  • rodshan

    muito esclarecedor o post… poucos tratam o assunto com tal abrangência… mas para não ficar tão comercial e tendencioso, você deveria ter feito propaganda ou pelo menos mencionado outros fundos, corretoras e bancos que também permitem a negociação.

  • Jailson

    Excelente texto!
    No entanto, deixe-me fazer algumas ponderações:
    Penhor é diferente de penhora. Uma coisa é empenhar, outra é penhorar. No texto, você não utilizou a expressão correta.
    O livro “Como investir em metais preciosos” do Michael Maloney é leitura obrigatória. Um dos pontos interessantes é que ele faz um estudo de mais de 100 anos entre o Dow Jones e o Ouro e apresenta as conclusões. Ele não utiliza dólares porque a moeda americana pode ser impressa a vontade pelo governo e a cada dia vale menos. Conclusão: se você dividir o Dow Jones pela cotação do ouro (onça) e se der um número próximo de “4” significa que o ouro está caro em relação às ações; se der próximo de “10” o ouro está barato e “7” ele estaria no “preço justo”. Hoje temos o Dow Jones em 14.054 e o ouro a 1580, ou seja, temos o valor de “8,9”, o que, de acordo com o estudo sugere que o ouro estaria levemente barato em relação as ações ou que as ações estão um pouco caras em relação ao ouro.
    Pessoalmente, para finalizar, acredito que com a enorme dívida dos EUA e com a política de imprimir dinheiro o dólar deve cada vez mais perder valor e o ouro é uma alternativa interessante numa alocação de ativos.
    Abraço, Jailson.

    • Muito obrigado pelo seu comentário Jailson!

      Já modifiquei a expressão “penhora” no texto. Grato pelo aviso.

      Lembro-me de ter visto um gráfico durante o estudo mostrando esses números comparando o índice americano ao valor do ouro, mas não me recordo agora onde…

      De fato é um indicador de longo prazo que pode ser observado.

      Forte Abraço!

  • Lucas

    Infelizmente o artigo excelente perdeu credibilidade ao fazer indicação patrocinada de Fundo. Abs.

  • Germano Silveira

    Henrique , gostaria saber sua opinião a respeito desse comentário pois achei interessante essa maneira de adiquirir ouro , me resta saber se é seguro . O que vc achou ? Germano !

    O artigo é excelente e congratulo você pela iniciativa. Como executivo da Reserva Metais esclareço que nosso site http://www.reservadouro.com.br vende barras de 5 a 50 gramas, moeda de onça troy (31,1g) além de lâminas (destinados a pequenos ourives).

    Encaramos na Reserva Metais o investimento em pequenas barras como porta de entrada para investidores. Para investidores mais qualificados sugerimos com frequência a aquisição de múltiplos de 250 gramas, que são entregues diretamente no endereço indicado pelo investidor sem custo algum.
    Lembro que o investidor pode vender o metal a preço competitivo a terceiros, não sendo necessário efetuar a transação em uma instituição financeira.
    O ouro é portátil e de aceitação universal. Você pode colocar sua barra no bolso e negociá-la por um preço justo em qualquer país do mundo, respeitando a legislação vigente. Que outro ativo pode proporcionar tal versatilidade e universalidade? Ações? Imóveis?

    O “ágio” mencionado está alinhado com práticas comerciais em países desenvolvidos (de 4 a 7%). Não seria possível comercializar sem que os custos pudessem ser repassados.
    Novamente o felicito pelo artigo e espero poder colaborar com você em outras oportunidades.

  • Eu

    Um post com o título de “O Guia completo” totalmente voltado para a indicação de um fundo específico.

    Embora não seja obrigatório, é de bom tom sempre deixar claro de forma explícita quando um post é um patrocinado. A maioria dos blogs faz isso, inclusive os blogs divertidos fazem isso (bobagento, insoonia, eumenti, ahnegao etc). Isso deixa o leitor mais seguro, pois ele sabe que o que está sendo lido é patrocinado. Isso pode ser feito através de um tag no título do post ou ou um comentário no fim do post, com a última linha dizendo que o post é patrocinado.

    É claro que o blog é seu e você tem todo o direito de fazer o que quiser com ele. Mas esse tipo de post sem o aviso apenas faz com que muita parte da credibilidade se perca. Você nunca indicou um fundo específico (ninguém tem coragem de fazer isso), e de repente vem uma indicação desse jeito? Francamente, é um pouco de falta de respeito com seus leitores. Lembre-se que toda ação tem uma reação. Qual tipo de público você quer para o seu blog? Qual tipo de frequentador deseja?

    Apenas para deixar claro, não há nada de errado em vender espaço para propaganda. Mas isso tem que ficar claro, o que não foi o caso. Só faltou dizer que o fundo órama salvou sua vida…

  • C.WhiteSox

    Oi Henrique!
    Gostei muito do seu artigo, parabens!
    Defendo vc e acho que vc deve colocar as suas recomendações sim. Cabe ao leitor a decisão final em qual instituição aplicar.
    Achei o maximo a facilidade do fundo orama ouro e acho que será muito util aos leitores em geral.

    • Olá!

      Obrigado pela sua opinião.

      Eu publiquei uma nota de esclarecimento sobre o fato do artigo ser ou não patrocinado, além dos motivos de preferência pela parceria entre o site HC Investimentos e a Órama. Basta clicar no link a seguir para ler:

      http://us2.campaign-archive2.com/?u=c17ba392b5bb70bf966ac9589&id=93dd87428d

      Abraços!

    • Rafael Mathias

      Henrique, sempre estou acompanhando o quadro demonstrativos indicando as variações da cotação do ouro ao longo do tempo.
      Recentemente vi uma notícia nos jornais sobre a descoberta de produzir ouro “sintético” por um grupo de cientistas e fiquei preocupado em relação aos investimentos no metal puro.
      Essa descoberta, se for real, poderá abalar o mercado criando desconfiança quanto ao tipo adquirido, aumentando os custos de certificação, ponderações sobre os preços, etc.?
      Outra questão: com maior volume do metal, as operações de um investidor em bolsa como hedger são recomendadas?
      Abraços.
      Rafael.

  • Adriano Sacras

    Sugestão:

    Coloque um texto no começo do artigo esclarecendo que:

    1) o artigo não é patrocinado,

    2) que vc pessoalmente investe seu patrimonio no fundo e acredita na sua verdadeira credibilidade (para não configurar conflito de interesses entre a recomendação e a sua carteira pessoal)
    3) que as opções de investir em ouro são essas e que a melhor NA SUA OPINIÂO é esta, e que ninguem é obrigado a copiar, nem seguir.

    Eu pessoalmente invisto neste fundo e para o investidor que não qualificado (que acredito ser a maioria do publico do site) é o que mais vale a pena para quem quer investir em ouro (o que não se aplica a todos).

    O que acho uma sacanagem são as diversas acusações sobre a pessoa do Henrique. O cara sempre faz textos excelentes, se preocupa em passar um conteúdo bacana, bem apresentável, e me vem uma meia dúzia ai criticar o trabalho do cara.

    Se realmente ele fosse comprado pela Órama, ele nunca iria recomendar compra de ETF BOVA11 ou SMAL11. Pelo contrário, recomendaria os fundos geridos pela ÓRAMA. E outra, quando ele recomendava os fundos BOVA11 e SMAL11 ninguém nunca alegou que ele era comprado pela iSHARES.

    Mas, Henrique, num liga pra essa galera não. Continue seu trabalho. Parabéns. E lembre: nem Jesus conseguiu agradar a todos…

  • Fernando Pizzolante

    Prezado Henrique. Li seu artigo e todos os comentários. ” Não importa o que for publicado pelo mundo afora a seu respeito, o importante é que a verdade esteja dentro de você. Richard Bach. Um grande abraço e até breve.

  • Pingback: [2/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Fevereiro/2013) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Bla uqaz

    Edson,

    Gostaria de entender mais este mercado de ouro, e acessei o site reservadouro.com.br que vc indicou. Ocorre que fiz algumas contas aqui e o spread mencionado não é de 4 – 7% como vc afirma. É maior, de uns 9% considerando o preço do frete. No caso simulei uma compra de um moeda de onça-troy no site indicado e comparei com o preço internacional, usando o dolar comercial para conversão.

    Formulei uma série de perguntas e enviei no “Contato” do site. Seria possível vc respondê-las ou gostaria que eu as refizesse por este canal?

    Sds

  • Pingback: Como Investir em Ouro | Como Investir em Ouro()

  • Pingback: Cotação do Ouro | Cotação do Ouro()

  • Pingback: Preço do Ouro | Preço do Ouro()

  • Pingback: Investimento em Ouro | Investimento em Ouro()

  • Pingback: Investir em Ouro | Investir em Ouro()

  • Pingback: [3/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Março/2013) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Fevereiro 2013()

  • afl76

    Queda de 30% no ano, e bolha do ouro começa e desinflar. Sinto pelos que entraram no oba-oba do ouro . Compraram topo, muitas vezes prestando demasiada atenção nos gurus do mercado, e vão começar a vender com grande prejuízo as cotas do fundo de ouro que patrocinou este artigo.

  • Felix

    Este é um dos melhores artigos que já li sobre aplicações em ouro, esclarecendo as várias formas de investimento, suas vantagens e desvantagens, de uma maneira simples e objetiva. Parabéns!

  • Everton

    Ótimo guia, só acho que faltou falar do ouro 24k 999.9 contra o ouro vendido aqui no Brasil que é 24k 999

  • Karine Pazion

    Olá Henrique, antes de mais nada desculpe-me se a consulta que quero lhe fazer é muito “amadora”, mas procurando informação ao respeito, encontrei esse seu excelente artigo e acho que você poderia me ajudar já que não encontrei mais nenhuma informação sobre minha questão especifica: moro há 10 anos na Argentina onde adquiri lingotes de 100g com comprovante de compra certificado pelo Banco de la Ciudad de Buenos Aires. Final deste ano me mudo de volta ao Brasil e como as leis cambiarias argentinas estão bem complicadas, gostaria de saber se seria possível eu trazer e vender esses lingotes aqui no Brasil e qual seria a forma mais adequada de fazer essa transação. Desde já muito obrigada por qualquer esclarecimento que me possa brindar. Atenciosamente,

  • Pingback: [4/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Abril/2013) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Mark

    I invest in gold with cmvwkiq3mf44o3lq.onion.sh Don’t judge me, they’re my Robin Hood

  • Mark

    I invest in gold with cmvwkiq3mf44o3lq.onion.sh Don’t judge me, they’re my Robin Hood

  • Pingback: [5/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Maio/2013) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Maio 2013()

  • Pingback: Blog Willian Rodrigues » Alocação de Ativos()

  • Pingback: Blog Willian Rodrigues » A Tríade Financeira()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Junho/2013()

  • Pingback: [6/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Junho/2013) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Edson Magalhães

    Uma vantagem do ouro em barras (fisico) que observamos ultimamente é a da impenhorabilidade…..qualquer fundo, ouro custodiado, recurso financeiro, ação, tesouro direto, cdb, etc….pode ser bloqueado , bastando para isso o juiz apertar um botão…..com o ouro isso fica um pouco mais complicado….
    Não incentivamos na Reserva Metais essa prática mas é crescente o volume de consultas de pessoas preocupadas em penhoras, sejam por motivos de pensão, disputas judiciais, etc…

  • Pingback: [8/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Agosto/2013) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Rafael Vergani

    Boa tarde Henrique. Vc mencionou que possui aplicações em 4 fundos das Orama. Podes dizer quais são?

    Grato pela atenção

  • Pingback: [7/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Julho/2013) | Economia de forma rápida e descomplicada()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Abril 2013()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Fevereiro 2013()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Setembro 2012()

  • Pingback: [Investimentos] Qual é o melhor Hedge?()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Agosto/2013()

  • Pingback: Por que Pessoas Inteligentes Falham Feio ao Tentar Bater o Mercado?()

  • Pingback: Alocação de Ativos Negativa. É possível?()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Julho/2013()

  • Pingback: Resenha eBook Alocação de Ativos | Bizz Invest()

  • Pingback: [9/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Setembro/2013) | Economia de forma rápida e descomplicada()

  • Pingback: [9/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Setembro/2013) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Pingback: [9/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Setembro/2013)()

  • Pingback: [9/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Setembro/2013) | Como Investir em Imóveis()

  • Pingback: [8/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Agosto/2013) | Como Investir em Imóveis()

  • Pingback: Carteiras de Investimentos: Resultados de Outubro/2013()

  • Pingback: [10/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Outubro/2013) : Dinheiro&Você | Conquiste sua independência financeira!()

  • Pingback: [11/12] Atualização Mensal das 380 Carteiras (Novembro/2013) | Economia de forma rápida e descomplicada()

  • Pingback: Investindo em ouro | Intermitências()

  • Tatiana

    quem quiser investir, pode falar comigo, trabalho em uma distribuidora de ouro, 11-97636-5192, para maiores informações, só me ligar 😉 Tatiana Loureiro.

  • Fabio

    HC, o fundo da Órama possui o famigerado “come-cotas”? E quando há prejuízos mensais, o rendimento do fundo não seria prejudicado, especialmente o efeito dos juros compostos?

  • Sensacional!
    Analisando o tempo que demorei pra ler esse excelente artigo, não quero nem imaginar o quanto você levou em termos de pesquisa, organização e dedicação.

    Ótimo trabalho! Sucesso, você merece!

  • Jordano

    Ola,

    Obrigado Henrique por sua colaboração, isso mostra que independente de ganhar ou não, vc esta ajudando muitas pessoas a sair da ignorância financeira, não paguei nada por estas informações e agreguei um monte de conhecimento lendo seus artigos. O importante é que você compartilha seus conhecimentos de graça, e assim esta ajudando muitas pessoas (falo por mim).

    Parabéns e continue ajudando, e saiba que ” as arvores que dão frutos é que recebem a pedrada”

    abraços

    sds

    jordano

  • Claude

    Parabéns pela matéria!!! Tenho 2 dúvidas: Você mostrou que o ouro é inversamente proporcional ao Ibovespa, mas ao mesmo tempo, sua cotação depende dos mercados externos (dólar, por exemplo). Posso entender então que todas as variáveis internas e externas podem influenciar? No caso de ter um cenário de instabilidade brasileira e o resto do mundo em pleno equilíbrio, ainda assim o ouro sofre valorização?

    A outra dúvida seria como obter o valor histórico do ouro para sabermos o quanto já cedeu de 2008 pra cá? Obrigado

  • Carlos Eduardo

    Muito bom artigo Henrique, muita informação boa, mas tenho uma consideração: vc disse que os melhores momentos para se investir em ouro seriam alta inflação, alta no preço do dólar, baixa taxa de juros e crises financeiras. Com exceção de momentos de baixa taxa de juros (onde teoricamente a economia estaria acelerada e o ouro “esquecido”) nas outras 3 hipóteses eu já gostaria de ter comprado ouro antes que esses sinais estivessem visíveis, digo isso porque alta na inflação, alta do preço do dólar e crises financeiras têm características macro em comum e todas remetem a uma possível alta no preço do ouro e, como é um ativo que não te dá fluxo de caixa, o melhor seria comprar o mais barato possível, quando outros ativos são mais interessantes que ele. Assim, acho que os melhores momentos para se comprar seriam quando a inflação estivesse baixa ou controlada, o dólar barato (com muita entrada desta moeda no país para investimento) e economia acelerada, pois são nestes momentos que os investidores migram para outros ativos e “esquecem” o ouro. Digo esquecem entre aspas porque a economia funciona em ciclos e logo o ouro será relembrado.

    O que acha?

    Abraço.

  • Abel Alves Pereira

    Muito bom o Artigo. Eu já invisto em Ouro há um bom tempo e sei que este é um dos melhores investimentos que tem, pois sobrevive a qualquer crise. Recentemente conheci uma empresa que faz extração de ouro e entrei como investidor. Não vou citar o nome da empresa pois não quero que este meu comentário seja mal interpretado como promoção de empresa.

    Todo investimento que for relacionado a ouro podem investir pois vc vai assegurar bem o seu patrimônio.

  • Ótimo artigo HC, investir em ouro parece um ótima oportunidade, mas como você mesmo falou , a estabilidade e um dos grandes fatores, que me faz pensar duas vezes antes de investi.

  • Pingback: Alocação de Ativos | Blog Willian Rodrigues()

  • Elender Góis Gallas

    Um dos artigos mais completos que eu já li. apesar do tom patrocinado, as informações presentes não deixam de ser valiosas. ainda prefiro ouro físico e jóias, o importante numa situação extrema é que a “valorização” (na verdade o que ocorre é a desvalorização das moedas, e o ouro permanece com seu valor) o ouro permanece com a mesma liquidez e independente do seu grau de pureza, sempre haverá a demanda. este negócio de não guardar ouro em casa vai da pessoa, eu não vejo problema algum. o fundo ouro da órama é bom, assim como os outros, e apesar de eu não gostar de “taxas de administração”, esta não é muito alta.

  • Dt Timm

    Olá Henrique Carvalho. Por favor, gostaria de um esclarecimento para o cálculo e forma de pagamento do imposto. Se comprei um lingote de 250g por RS 28.000,00 e vendi por RS 29.250,00, então 15% de RS 1.250,00 = RS 187,50. Pago esse valor até 1 mês após a venda, no banco, com um Darf de papelaria? Isso mesmo? Aguardo, obrigado.

  • Pingback: Como Investir com Pouco Dinheiro? 3 Dicas Simples e Práticas!()

  • Carlos Eduardo

    O meu interesse em ter ouro físico é compor uma parte do patrimônio como reserva de valor e não investimento. Isto servirá para cenários agudos de crise como hiperinflações, confiscos monetários em que as pessoas tendem a majoritariamente ter ativos tangíveis e escassos, como ouro, obras de arte, terras e demais metais preciosos. Então cheguei a conclusão de optar comprar jóias (75% ouro e o restante é liga metálica) ou moedas/lâminas, tendo ciência das suas vantagens e desvantagens. Acredito que em cenários como esse, não deve ser difícil converter o ouro em dinheiro ou trocar por bens e serviços básicos à sobrevivência.

  • angelo gonzaga

    gostaria de saber qual e a % cobrado de imposto sobre ouro aqui no Brasil ? ouvi falar de 25 % e isso mesmo que tenho que pagar ?

  • Eduardo Magalhaes

    Galera melhor site pra investimento de ouro é na Goldmoney.com/r/TMb832
    Recomendo!!

  • Pingback: Como se planejar financeiramente - Felipe M. LimaFelipe M. Lima()

eBook-alocacao-ativos